Home Periféricos Headphones Tt eSPORTS Shock

Introdução

Actualmente existem inúmeros headsets, com diferentes características. Estes periféricos, quando bons, proporcionam uma experiência de utilização fascinantes, seja de jogos, música ou filmes. A sua escolha é, portanto, muito importante para cada utilização e utilizador.

Hoje iremos testar um produto da marca TT eSports, o Shock. A TT eSports é uma marca da Thermaltake, virada para o mundo dos jogos e que, portanto, têm como objectivo apresentar aos jogadores produtos de grande qualidade, tendo sempre presente como conceito os jogos. Os Shock não são, por isso, excepção.

Vamos então ver o que a TT eSports nos reservou.

Embalagem, Conteúdo e Especificações

À semelhança de tantas outras embalagens deste tipo de produto, também aqui temos uma “janela” que nos permite ter um primeiro vislumbre do headset. Na frente, alguns símbolos chamam a atenção para as principais características deste conjunto. O design da embalagem remete para um tema metálico e industrial.

Na parte de trás encontramos informação mais detalhada sobre o equipamento e algumas recomendações em diversas línguas, entre as quais se encontra o português com cheirinho a samba.

Nas laterais encontramos mais algumas informações técnicas e mais vistas para o interior.

A estrutura interior está muito bem conseguida e é bastante prática para arrumar todos os componentes que acompanham o headset. Apesar de ser feita em cartão com uma espessura fina, é resistente o suficiente para suportar o conjunto.

E por falar no conteúdo… Para além do headset, a TT eSports inclui também o manual de instruções, garantia e uma bolsa de transporte. De referir que entre as diversas línguas em que se encontram traduzidos está incluído o português, embora na variante brasileira. Não tenho nada contra, muito pelo contrário, tem toda a lógica, o Brasil tem mais pessoas que Portugal. No entanto, a língua é portuguesa e não brasileira.

Estas são as características técnicas dos auscultadores:

  • Driver unit: 40mm
  • Frequency Response: 20Hz~20 KHz
  • Impedance: 32 ohm
  • Sensitivity: 114+/-4 dB
  • Max. input: 100mW
  • Connector: 3.5mm plus x2
  • Cable length: 3m

E estas são as características técnicas do microfone:

  • Characteristic: Bi-directional (Noise canceling)
  • Directivity: Uni-directional
  • Impedance: 2.2 k ohm
  • Frequency: 100~10KHz
  • Sensitivity: -54dB+/-3dB (odB=1Vpa@1KHz)
  • Test condition: 4.5V

O headset

O headset tem um design interessante, está disponível em duas cores, branco e preto, é bastante funcional e prático. Não tem uma dimensão muito exagerada e é confortável o suficiente para aguentarmos largas horas de utilização. Não tem qualquer tipo de botão nos auscultadores, isso fica para um pequeno comando situado ao longo do cabo. O logótipo da marca destaca-se bastante, mesmo não sendo iluminado.

A banda superior é constituída por um plástico resistente e com um efeito espelhado que dificulta bastante as fotografias mas que lhe confere um acabamento muito bom. Para ajustar perfeitamente aos diferentes utilizadores, existe uma esponja na parte de dentro. Também aqui está presente o logótipo da marca.

Para ajudar a regular a posição dos headphones, existem dez níveis de regulação possíveis, tanto do lado direito como do esquerdo. Apesar do desenho dos encaixes ser engraçado, a verdade é que isso cria muitas arestas que poderá levar a alguns cortes, principalmente porque a qualidade dos acabamentos do plástico não era a melhor.

A haste do microfone é constituída por um material flexível o suficiente para se poder colocar na melhor posição possível. No entanto, a estrutura interna da mesma não tem rigidez suficiente para manter essas posições, tal como se podia verificar no Logitech G35 já aqui analisado.

A marca decidiu optar por um conjunto de almofadas de tecido. Isto é uma opção que pode dividir os utilizadores pois há quem prefira as de tecido e há quem prefira as de napa/cabedal. De qualquer maneira, são bastante confortáveis, apesar do orifício para a orelha ser um pouco atrofiado, mais pelo desenho do que pelo tamanho. Por trás destas almofadas esconde-se uma unidade de som de 40mm, semelhante aos concorrentes da mesma gama. Uma membrana de tecido vermelho ajuda a dar unidade a todo o conjunto, remetendo outra vez para a cor da marca. Um pormenor inteligente.

Um pequeno comando permite controlar o volume e desligar o microfone. Este comando está situado ao longo do cabo para ter um acesso fácil. É, no entanto pouco prático. Os jacks de ligação são banhados a ouro pois assim permite a melhor conexão possível.

Uma das principais características do headset é o facto de se poderem dobrar para serem mais cómodos de transportar na bolsa fornecida. Uma vez que o conceito por trás desta empresa é o mundo dos jogos, esta característica é um ponto que vai fidelizar muitos utilizadores, principalmente aqueles que frequentarem muitas lan partys.

Utilização

Mais uma vez me deparo com as mesmas questões sobre a utilização de um conjunto deste tipo. Assim sendo, os testes a que submeti o headset foram os mesmo que usei em análises anteriores, ou seja, ver filmes, ouvir música e jogar, de um modo profissional. Jogar muito. Música. Filmes! Vamos ver como se portou.

Apesar de não ser a principal função para o qual foram criados, a verdade é que esta também é uma realidade de funcionamento. Neste campo o headset mostrou-se bastante razoável, embora não tenha características para além do som estéreo. Mesmo assim, o Shock teve um comportamento bastante bom, porém, em determinadas alturas durante o filme The King’s Speech, em sons mais altos, notava-se alguma distorção.

Ao ouvir música, o som é razoavelmente limpo e são perceptíveis todos os diferentes instrumentos das músicas. Uma das características deste headset são os auscultadores com enhanced bass que tornam as músicas com mais profundidade e ambiente.

Uma vez que o conceito por trás desta marca são os jogos, seria de esperar um comportamento bastante bom nesta área, e de facto os TT eSports Shock correspondem de um modo excelente. O ambiente nos jogos é muito bom, o enhanced bass torna a experiência de jogo mais envolvente e espectacular.

O microfone é bom e eficaz, tem um som claro e limpo. A haste que o suporta é que não era grande coisa pois, apesar de ser bastante flexível, não mantinha a posição para além de certa curvatura.

Conclusão

Mais uma vez nos deparamos com um headset. Este tipo de periférico está muito na moda e faz muita diferença na qualidade de experiência de jogo. Com um bom sistema de som, os jogos tornam-se mais envolventes e emocionantes. Com um mau sistema de som, podem passar-nos ao lado pequenos detalhes que poderiam tornar os jogos mais interessantes.

Após largas horas de testes, sente-se algum desconforto no topo da cabeça, mesmo com a esponja por baixo do suporte. O conjunto é um pouco pesado, o que proporciona esse desconforto. A qualidade geral do Shock é bastante boa, embora o design do mesmo crie algumas arestas desagradáveis.

A qualidade geral do som é muito boa, apesar de algumas pequenas falhas. O controlo manual que se encontra ao longo do cabo é bastante simples mas eficaz, não apresentando nenhuma falha na sua utilização. A qualidade do PCB interno é boa, muito melhor do que a que podemos encontrar nos Zowie Hammer USB.

Resta-nos agradecer à FJMPC por nos ter enviado este exemplar.

0 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos