Home Hardware Fontes de Alimentação Thermaltake TR2 800W

Introdução

O nome Thermaltake não é um nome desconhecido no mundo da informática. Em 1999 lançou-se no mercado como fabricante de dissipadores mas rapidamente estendeu o seu leque de ofertas, estando agora presente em diversos campos de componentes de computador, com bastante sucesso. Um desses campos é o das fontes de alimentação, onde existe muita e diversificada competição.

Hoje apresentamos a fonte de alimentação Thermaltake TR2 800W que, entre outras características, apresenta o selo 80Plus Bronze, ou seja, com uma eficiência energética acima dos 82%. Fazendo jus à qualidade que a marca apresenta em todos os seus produtos, vamos ver se esta fonte de alimentação corresponde às expectativas.

Embalagem, Conteúdo e Especificações

Começamos pela embalagem. Uma embalagem simples e muito sóbria mas robusta o suficiente para não deformar facilmente, mesmo que esteja no fundo de uma pilha de várias dezenas de caixas. Na frente estão algumas características do produto. De realçar que esta fonte de alimentação tem 3 anos de garantia no mercado europeu e 5 anos de garantia no mercado americano.

Na parte de trás da caixa encontramos mais informação sobre as tecnologias que estão presentes nesta fonte de alimentação, assim como as especificações de output e os conectores. O gráfico representa a variação de eficiência da fonte de alimentação de acordo com a potência. Nas laterais podemos encontrar uma lista das características técnicas em diversas línguas, entre as quais o português de Camões.

No interior da embalagem, para além da fonte de alimentação propriamente dita, a Thermaltake inclui o habitual manual de instruções, garantia e o cabo de alimentação.

Estas são as características técnicas:

  • ATX 12V V2.3 enables most reliable and robust power delivery.
  • Stable 800W continuous output (peak power 960W) @ 50 ℃ operating environment.
  • Robust and dedicated single +12V output provides superior performance under all types of system loading.
  • 80 PLUS Bronze Certified: with 82-88% efficiency @ 20-100% load under real world load conditions.
  • Double-forward switching circuitry offers low power loss and high reliability.
  • Universal AC input 100V~240V automatically scans and detects the correct voltage.
  • High quality 105 ℃ Japanese main capacitor provide uncompromised performance and reliability.
  • 99% Active Power Factor Correction provides clean and reliable power to your system.
  • Ultra-silent operation with intelligent 12cm cooling fan speed control.
  • Intel & AMD CPU compliant.
  • Nvidia & ATI/AMD graphic card compatible.
  • Dimension: 150mm(W)x86mm(H)x140mm(L).
  • High reliability: MTBF>100,000 hours.
  • Built in industrial-grade protections: Over Current, Over Voltage, Over Power, Under Voltage and Short-Circuit protections.
  • Safety / EMI : UL/ CUL, VDE, CE, FCC, CB, GOST and BSMI certified.

Tecnologias

Uma das apostas da Thermaltake para esta fonte de alimentação é na qualidade dos condensadores, optando assim por condensadores japoneses de 105ºC que proporcionam uma maior fiabilidade e longevidade.

Para além da qualidade dos condensadores, a Thermaltake acrescentou protecção de nível industrial para minimizar os riscos de, bem, quase tudo. Assim, a TR2 está protegida contra sobrecarga de corrente, sobrecarga de tensão, sobrecarga de potência, sob-tensão e curto-circuito.

Para ajudar a arrefecer os componentes internos da fonte de alimentação a Thermaltake acrescentou uma ventoinha de 120mm de baixo ruído com controlo inteligente das rotações.

Exterior

A fonte de alimentação tem um aspecto simples e sóbrio. Não tem uma textura rugosa, não tem autocolantes marados, não tem um formato fora do comum. Tem uma grelha em colmeia na parte de trás para facilitar a circulação de ar e consequente arrefecimento dos componentes internos. Numa das laterais encontramos a marca gravada em relevo, muito sóbrio.

Na outra lateral está o autocolante com as características técnicas da fonte de alimentação e umas pequenas aberturas para circulação de ar. A ventoinha encontra-se no topo, com o símbolo da Thermaltake no centro da grelha. A nível de conexões, a TR2 inclui: um conector de 24 pinos (550mm), um conector EPS 12V de 8 pinos (550mm), um conector ATX 12V de 4 pinos (550mm), dois conectores PCI-E 6+2 pinos + 6 pinos (500mm + 150mm), um conector 3xMolex + FDD (500mm + 150mm + 150mm + 150mm), um conector 4xMolex (500mm + 150mm + 150mm + 150mm), um conector 4xSata (500mm + 150mm + 150mm + 150mm) e um conector 3xSata (500mm + 150mm + 150mm).

Ao contrário do que acontece com diversas fontes de alimentação de topo, a Thermaltake optou por não fazer este modelo modular. Assim consegue baixar o preço final do produto no entanto, pode sacrificar algum espaço de arrumação dentro da caixa.

Interior

Para acedermos ao interior da fonte de alimentação é necessário quebrar este selo o que, automaticamente, invalida a garantia. E é por essa razão que nós o fazemos, para que vocês não tenham de o fazer.

Este é o aspecto geral do interior da fonte de alimentação. Existem três dissipadores de calor e não são muito grandes. Muito provavelmente a Thermaltake deve estar a apostar na ventoinha para ter um papel mais importante no arrefecimento de todos os componentes, dada a potência da fonte.

O OEM desta fonte de alimentação é a Fortron Sparkle (FSP), um nome também muito conceituado no mundo das fontes de alimentação. O layout é bastante simples. Aqui já dá para ver alguns componentes de elevada qualidade que a marca anuncia.

Vendo com mais atenção o PCB, verifica-se duas coisas: primeiro tem uma cor pouco habitual, esbranquiçada, e segundo, esta fonte de alimentação, com este mesmo layout e componentes, é igualmente usado para as versões de 600W e 700W.

Após o receptáculo AC, que incorpora um condensador X e dois condensadores Y, encontram-se os restantes componentes de filtragem no PCB: três bobines CM, um condensador X, dois condensadores Y e um fusível. De realçar que este modelo, infelizmente, não tem um supressor de picos MOV.

Logo a seguir à zona de filtragem EMI, encontra-se o circuito de protecção de sobrecarga de corrente, sobrecarga de tensão, sobrecarga de potência, sob-tensão e curto-circuito.

Aparafusados a ambos os lados do dissipador central encontram-se os bridge rectifiers, na fronteira da zona que trata do APFC (Active Power Factor Correction).

Aqui dá para ver melhor os bridge rectifiers aparafusados ao dissipador. No dissipador da esquerda estão aparafusados os mosfets e o boost diode.

Ao contrário do que aparece na parte de trás da embalagem, o condensador japonês de alta qualidade utilizado não é da Rubycon mas sim da Matsushita, grupo que faz parte da Panasonic. Ambos têm as mesmas características mas a foto da embalagem é, neste caso, enganadora.

No meio, entre os dois dissipadores, está o transformador principal. Do lado direita da imagem, situa-se o lado secundário, onde são ligados os cabos da fonte de alimentação.

No dissipador que separa o transformador principal do lado secundário estão aparafusados mais rectifiers.

Os condensadores usados neste lado da fonte de alimentação são da marca Teapo, fabricante chinesa destes componentes.

A ventoinha usada é da marca Yate Loon, modelo D12BH-12 (M-GP1) de 120mm. Segundo a Yate Loon, a ventoinha atinge as 2300 rpm e os 41 dB de ruído máximo, porém, também tem um fluxo máximo de 89 CFM, o que será suficiente para manter os componentes da fonte de alimentação dentro de valores de temperatura aceitáveis.

Conclusão

Uma vez que o Lilireviews.com está um pouco limitado em termos de equipamento para testar fontes de alimentação, temos de nos guiar pelos componentes e características que as marcas fornecem sobre os mesmo, aplicando-as à experiência adquirida ao longo de tantos e vastos testes.

A Thermaltake TR2 800W apresenta-se com um design discreto e simples, que irá agradar a inúmeros utilizadores. O preço também é um factor muito positivo deste produto, apresentando-se com um dos valores mais baixos do mercado para uma fonte de alimentação de 800W com certificado 80Plus Bronze.

O design interno é bastante simples mas eficaz. O facto de ser usado para outros modelos com potência mais baixa é bom pois diminui o custo global de produção, reflectindo-se no preço final. No entanto, pareceu-nos que, para uma fonte de alimentação com esta potência, as temperaturas vão aumentar um pouco com utilizações acima dos 70%, o que obrigará a ventoinha a rodar a uma velocidade mais elevada produzindo, assim, mais ruído que se fará notar.

Apesar dos componentes internos serem de boa qualidade, foi estranho ver uma imagem do interior na parte de trás da caixa com componentes de uma marca e depois verificar que são usados componentes de outra marca. Tanto a Rubycon como a Matsushita/Panasonic produzem condensadores de elevada qualidade e isso não está em causa, mas é, no mínimo, estranho.

Uma vez que esta fonte de alimentação não se situa no segmento topo de gama, é compreensível que não encontremos aqui um supressor de picos MOV, algo que até é habitual nas fontes de alimentação produzidas pela Fortron Sparkle. No entanto, acredito que seja um componente que qualquer utilizador gostaria de ver incluído.

Por fim, outro aspecto que poderá afastar os utilizadores é o facto deste segmento TR2 não ser modular. Uma vez que tem tantas opções de conexão, a arrumação interna da caixa será um desafio extra para quem montar um sistema com este produto.

Resta-nos agradecer à Thermaltake por nos ter cedido este produto e à FJMPC por nos fazer chegar o mesmo.

0 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos