Home Hardware Dissipadores Thermaltake Frio

Introdução

Uma das peças fundamentais para quem quer entrar no mundo do overclock é ter um bom dissipador para o processador. Actualmente existem inúmeras propostas, umas melhores, outras piores, mais caras, mais baratas. Hoje temos em teste um dos mais recentes dissipadores da marca Thermaltake, o Frio. Este é um dissipador a ar que faz uso da tecnologia de heatpipes para alcançar a eficiência máxima.

Antes de mais, deixo-vos aqui um pouco de informação sobre a marca Thermaltake.

We live in a world where most things seem to move at the speed of light. At Thermaltake, we feel the same way and that is exactly how Thermaltake conducts itself to deliver innovative, reliable and customer-centric solutions to the worldwide market.
Since the beginning of Thermaltake in 1999, it has been at the forefront of creating new and exciting products at a time where most computer users were provided little to no choices for components that may seem irrelevant, but in reality crucial to the performance of a PC.
Thermaltake Server Series solutions, with years of thermal experience and industry leadership, sets its goal on reforming total thermal management in server segment by formulating the perfect mixture of versatility, efficiency and thermal management with each respective server product category: Rackmount Chassis, Server Fixed & Redundant Power Supply and Server CPU Cooling Management Solutions.
With its comprehensive line of products available, it enables Thermaltake’s core customers to enjoy a one-stop-shop experience, reduce product design-in evaluation period and most important of all, flawless integration process. Each of Thermaltake’s strengths enables its customer to focus on their core business while taking advantage of the skills and efficiency of a single thermal management solution partner.

Depois de uma pequena introdução sobre a empresa vamos a mais informação, desta vez sobre a tecnologia presente aqui neste dissipador.

Tecnologia de heatpipes

A tecnologia usada neste dissipador é baseada em heatpipe (não consigo arranjar uma tradução conveniente, fica mesmo o estrangeirismo). Esta tecnologia tem diversas vantagens, uma vez que o princípio por trás da refrigeração por heatpipte é bastante simples: deslocar o calor para outro sítio longe da fonte. Desta forma é possível mover o calor para longe da fonte e arrefecer de um modo eficaz noutro sítio. Isto significa que são necessários menos recursos e esforços na fonte de calor. Estes recursos incluem as ventoinhas. Normalmente maior refrigeração implica mais barulho das ventoinhas.

Basicamente este é o princípio da refrigeração por heatpipe. Neste sentido, sem entrar em loucuras e com a ajuda de um sistema heatpipe bem elaborado é possível até arrefecer um processador passivamente, o que significa um computador silencioso.

O sistema de heatpipe é semelhante ao usado num frigorífico. Ao olharmos com atenção para o dissipador vemos tubos de cobre e lâminas de arrefecimento. Um refrigerante está colocado dentro destes tubos e circula da fonte de calor para cima através das lâminas onde, com a ajuda da circulação do ar proveniente da ventoinha, será arrefecido. O método de arrefecimento é todo baseado na circulação. Apesar de dizer-mos que é um gás, o seu estado inicial frio é líquido. Este refrigerante tem um ponto de ebolição abaixo de 0º à pressão atmosférica e um ponto de congelação abaixo dos -100º. É líquido enquanto está frio mas facilemente evapora quando aquecido e vice versa. Ao absorver calor do processador, o líquido evapora e circula para o topo do tubo onde o calor seguirá o trajecto de menor resistência, para as lâminas de alumínio.

Existem muitos dissipadores de heatpipe, os mais baratos não têm refrigerante sequer e apenas usam um gás ou até mesmo ar para transportar o calor, mas o princípio de arrefecimento por heatpipe continua a ser o mesmo: deslocar o calor do ponto A para o ponto B o mais eficazmente possível. Portanto, o bloco refrigerante colocado no CPU absorve qualquer tipo de calor que existir e esse calor é então transportado pelos heatpipes até ao outro extremo, através das lâminas de alumínio que farão o seu trabalho na dissipação do calor.

E, agora que já acabou a aula, vamos ao que interessa.

Embalagem, Conteúdo e Especificações

A embalagem é simples e tem toda a informação essencial sobre o produto. O design é simples mas cumpre a função. No interior, uma espuma de plástico assegura que os componentes não sofrem danos.

A Thermaltake envia duas ventoinhas com este dissipador. Há a possibilidade de usar as duas ou apenas uma ou até mesmo nenhuma para um resultado verdadeiramente livre de ruídos. Para segurar as ventoinhas e reduzir o ruído, a marca acrescentou umas borrachas de fixação. Estão também incluídos diversos sistemas de retenção para os diferentes sockets: LGA775, LGA1366, LGA1155, LGA1156, AM3, AM2+ e AM2. Para terminar, a massa térmica e o manual de instruções.

E as especificações são…

Dimensões: 139(L) x 98(W) x 165(H) mm
Materiais: Lâminas de alumínio; Base de cobre e alumínio
Heatpipes: Ø 8mm x 5
Dimensões das ventoinhas: 120(L) x 120(H) x 25(W) mm
Velocidade das ventoinhas: 1200 ~ 2500 RPM
Nível de Ruído: 20 ~ 43 dBA
Circulação de ar máxima: 101.6 CFM
Pressão de ar máxima: 4.2 mmH2O
Power Connector: 3 Pin
Rated Voltage: 12 V
Started Voltage: 6 V
Rated Current: 0.5 A
Power Input: 6 W
MTBF: 50.000 Hrs @ 40℃
Peso: 1042 g

Fotos

As ventoinhas incluídas têm um regulador de velocidade que permite ajustar de acordo com o gosto de cada um. De notar, no entanto, que em alguns casos a ligação da segunda ventoinha à motherboard poderá ser difícil se não existir uma ligação de três pinos perto do socket do processador. Nestes casos será necessário adquirir um acessório extra.

As retenções das ventoinhas são muito simples e fáceis de usar sem ser necessário recorrer a qualquer tipo de ferramentas. As borrachas também ajudam a filtrar os potenciais ruídos da vibração. Quando é usada apenas uma ventoinha, a peça de retenção da segunda pode ser removida sem prejuízo do desempenho.

Em modo passivo, o ruído é zero mas é preciso ter atenção às temperaturas. Numa caixa com uma circulação de ar bastante eficiente esta solução pode ser muito atractiva. As 48 lâminas de alumínio fazem um trabalho muito eficiente e têm um aspecto muito positivo.

Aqui fica o aspecto das diferentes configurações de ventoinhas. De realçar que, com as duas ventoinhas instaladas, é possível que haja alguns problemas de espaço em torno da área do processador. Porém, não acontece com todas as motherboards.

As lâminas do dissipador não são totalmente planas, têm uns leves vincos para aumentar a eficiência da dissipação. Apesar do peso ser superior a 1kg, o sistema de retenção fixa-o muito bem uma vez que usa uma peça de auxílio na parte de trás da motherboard. Por isso mesmo, se a caixa onde for instalado este dissipador não tiver uma abertura na plataforma da motherboard, será necessária a sua remoção para a instalação. Um pequeno preço a pagar por uma fixação mais segura.

Os cinco heatpipes que compõem este dissipador têm uma forma em U e um diâmetro de 8mm. Estes heatpipes têm um diâmetro bastante considerável e de notar também que as lâminas de alumínio têm uma espessura maior do que o que é habitual.

A base de contacto, composta de cobre e alumínio (segundo o fabricante), não apresenta um polimento brilhante, nem sequer uma superfície lisa, como é possível ver nas imagens. No entanto, é bastante plana. Se é intencional ou não a superfície apresentar-se assim, não o sei dizer. Se prejudica o desempenho, só os testes dirão.

Esta “tampa” de plástico nada vem acrescentar ao conjunto, é só mais uma peça. Porém, o símbolo da Thermaltake nas ventoinhas já serve para alguma coisa, pois ajuda a perceber para que lado se desloca o ar. Se ainda assim for confuso, ainda existem umas setas a indicar o caminho, num dos outros lados das ventoinhas.

Como já foi referido, as ventoinhas têm um regulador de velocidade manual. Acontece que, ao ligarmos ao conector CPU_FAN e na BIOS ligarmos o regulador de velocidade automático, a regulação da ventoinha passa de Low (1200rpm)-High (2500rpm) para Low (0rpm)-High (???). Nesta situação, é necessário deixar sempre na posição High para que a regulação da BIOS seja feita automaticamente pois se colocar numa outra posição qualquer que não seja High, a ventoinha pára de rodar.

Instalação

A instalação é muito, muito simples. Seguir os passos todos do manual não custa nada e a fixação é extremamente eficaz. Na unidade que aqui chegou, havia um problema com um dos parafusos da retenção para AMD mas que foi rapidamente substituído. Uma das peças veio com defeito de fabrico, acontece. E este é o aspecto do dissipador instalado, com duas ventoinhas, numa motherboard Gigabyte 890GPA-UD3H (esperem novidades muito brevemente). De notar que as memórias estão instaladas nos slots 3 e 4 uma vez que, devido à dimensão dos dissipadores das mesmas, não cabiam juntamente com o dissipador do processador. E este é o texto a culpar as memórias. Em alternativa: de notar que as memórias estão instaladas nos slots 3 e 4 uma vez que, devido à dimensão do dissipador do processador, não foi possível instalar nas outras slots. E agora a culpa é da Thermaltake.

Também existe um terceiro culpado que é a motherboard por ter um layout onde os slots das memórias estão muito próximos do processador, inviabilizado a colocação de memórias com dissipadores altos ou a colocação de uma segunda ventoinhas no dissipador. E a pergunta que eu coloco é: a segunda ventoinha fará muita diferença? Vamos ver…

Testes…

O sistema usado foi o seguinte:
AMD Athlon II X3 435 / Phenom II X6 1090T
Gigabyte 890GPA-UD3H
GSkill Ripjaws F3-12800CL9D-4GBRL 2x2Gb 1.5V DDR3 1600
Gigabyte Radeon HD5870 1GB
Kingston SSDNow V+100 64GB

De referir que foram testados os dois processadores com as velocidades de origem e com overclock, com uma ventoinha e duas. No caso do Athlon II X3, foram atingidos os 3625MHz com 1.392v e no caso do Phenom II X6, foram atingidos os 4080Mhz com 1.392v. A temperatura ambiente rondava os 15ºC. Sim, estava frio. Durante o verão os valores atingidos oscilam.

Neste primeiro gráfico estão representados as temperaturas dos processadores, com as diferentes configurações de ventoinhas, numa utilização dos mesmos a 0%. Ou seja, estou a olhar para o ambiente de trabalho e a apontar as temperaturas no bloco de notas. Como se pode ver, as temperaturas são bastante baixas, alguns valores abaixo da temperatura ambiente, o que é possível devido à circulação do ar. De reparar também que há, efectivamente, um desempenho melhor quando se adiciona a segunda ventoinha.

Quando o processador entra em acção é que as coisas aquecem. E o dissipador deixa? Não muito… Como podemos constatar, as temperaturas não sobem muito, mesmo com overclock. Para além disso, o efeito da segunda ventoinha é notório. De realçar que, uma vez que deixei ligado a regulação automática da velocidade da ventoinha na BIOS, os valores apresentados foram obtidos no intervalo entre as 900 e as 1500 rpm aproximadas. Estes valores foram medidos por software e daí a aproximação.

Conclusão

Uau! É o que me ocorre. Este dissipador é simplesmente fabuloso. O desempenho é simplesmente admirável. A Thermaltake tem apresentado soluções realmente inovadoras e aperfeiçoando conceitos já estabelecidos e neste caso acertou em cheio. É que, para além de apresentar valores de temperatura realmente muito baixos e a permitir uma margem de overclock bastante considerável sem comprometer a vida do processador, também apresenta níveis de ruído muito bons. Existem dois aspectos a considerar: a utilização de duas ventoinhas e a regulação automática da velocidade pela BIOS. No minha opinião, e se o layout da motherboard permitir, usem as duas. A segunda ventoinha vai acrescentar um desempenho extra considerável, principalmente quando o overclock começar a aumentar. Por outro lado, a regulação automática da BIOS liberta-nos do trabalho de andarmos a regular manualmente a velocidade, se bem que isso só aconteça numa das ventoinhas.

Outro aspecto muito positivo deste dissipador é o preço. A este nível de desempenho e por este preço, não existe muita concorrência. Talvez um Spire TherMax Eclipse II ou um Titan Fenrir. Noctuas, Thermalrights ou Prolimatechs já começam a pesar mais na carteira. Por outro lado, o tamanho poderá ser um entrave à aquisição deste produto…

Resta-me agradecer à Thermaltake por ter concebido este dissipador tão bom. Bom Ano Novo malta!

0 Comentários a este artigo
  1. usei vários programas para ter a certeza, embora vão todos beber à mesma fonte. CoreTemp, AIDA64 Benchmark tool e o CPUID Hardware Monitor. estes programas vão todos beber a informação aos mesmos sensores portanto os valores apresentados são muito semelhantes, podendo haver, muito raramente, algumas variações pequeninas, que muitas vezes também dependem do refresh rate de cada programa.

  2. Parece ser um dissipador muito bom ! adorei-o !!! Mas tambem faço a mesma pergunta que o @luminoso, é 100% garantido que isso numa gigabyte como eu tenho com um pc na vertical nao partir ao fim de alguns anos ? (Ja tinha visto o thermalright ultra 120 copper mas eu como novato nisto tenho sempre um receio de “gastar o dinheiro” e partir as coisas sem querer se me estas a preceber… )
    Mas muito boa review. Parabens 😛

  3. Acredita que muito dificilmente qualquer motherboard parta com o peso do dissipador apesar do seu peso (que até nem é muito exagerado). Tal como o Marco disse, O TRUE Cooper é bem mais pesado…

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos