Home Guias Teclados Mecânicos

Terminologia

Em primeiro lugar, a matriz para detetar as teclas pressionadas nos teclados mais modernos pouco vale. É apenas necessária para que cada tecla individual não esteja que estar conectada à placa controladora do teclado separadamente.

Ghosting

O ghosting dá-se quando duas teclas são pressionadas e uma terceira que não foi pressionada é registada.  Isto é muito raramente visto nos teclados modernos mais baratos, uma vez que os fabricantes têm o hábito de limitar o rollover  para que as teclas ghost sejam bloqueadas. Concluindo, este fenómeno dava-se nos teclados mais antigos e nos dias que correm, muito, mas só muito raramente é que se encontra um teclado com este problema.

Bloqueio de Teclas

Este evento dá-se quando o rollover máximo das teclas é alcançado e o computador não regista certas teclas que são pressionadas. Para corrigir o problema do ghosting mencionado no ponto anterior, muitas placas controladores dos teclados estão programadas para não registar o input de uma dada tecla se esse input for recebido simultaneamente ao de outras certas teclas. Isto pode ser problemático se pretenderes que todas essas teclas registem ao mesmo tempo.

Podendo ser este um tópico de difícil compreensão, considera este exemplo:

Imagina as teclas Q, W e E programadas de tal modo no teclado que se pressionares o Q e o W, o E também será registado devido ao ghosting. Agora imagina que para combater isto, foi desenvolvido um bloqueio para que caso pressiones o Q e o W, o E não poderá ser registado ou pressionado.  Imagina agora, que estás a jogar League of Legends (exemplo) e que vais precisar de pressionar o Q, o W e o E ao mesmo tempo, mas devido ao bloqueio não o poderás fazer. Para corrigir este problema, muitos fabricantes de placas controladores usam uma matriz optimizada para “gaming”, impedindo que teclas como Q, W e E sofram quaisquer problemas devido a ghosting ou bloqueio de teclas.

Rollover de Teclas (NKRO & #KRO)

NKRO é o rollover ideal para um teclado, sem ghosting ou problemas de bloqueio de teclas e qualquer número de combinações de teclas pode ser usado simultaneamente. Esta propriedade é semelhante ao que alguns fabricantes de periféricos incorretamente anunciam como “anti-ghosting”, apesar de que algumas marcas só o apliquem ao conjunto de teclas WASD.

É de notar que apesar da definição correta, há dois tipos diferentes de NKRO, o verdadeiro NKRO e o NKRO simulado.

Como regra geral, se estiveres à procura de verdadeiro NKRO, então PS/2 é a interface para ti. Devido aos modos de como o PS/2 e USB lidam com o input, USB é unicamente capaz de usar NKRO simulado implementando vários truques, como por exemplo, fazer com que o computador registe as teclas como se viessem de dispositivos de hardware diferentes. Enquanto isto pode fazer com que praticamente tenhas NKRO na maioria das situações, em alguns cenários como em  sistemas operativos menos usados, podes encontrar alguns problemas.

Teclados baratos usam #KRO, onde podes pressionar # teclas antes de experienciares bloqueio de teclas.

Muito teclados mecânicos USB estão rotulados como 6KRO, isto, geralmente, é suficiente para a maioria dos utilizadores. Estes teclados também permite o uso de um máximo de 4 teclas modificadoras (CTRL, ALT, Shift, Windows, …) com essas 6 teclas normais.  Por vezes também o FN pode estar incluído nesse bundle de teclas modificadoras.

Quanto ao número de rollover que precisarás realistacamente, nunca ultrapassará o 10 (10 dedos), contudo algumas pessoas preferem os NKRO (n=incógnita= (neste caso)sem limite).

Salto/Ressalto da Tecla

Todos os tipos de switches, incluindo rubber domes, conseguem fazer isto. Quando pressionas uma tecla, o switch “salta” para cima e para baixo enquanto retorna à posição inicial. Isto leva a que as teclas registem por mais do que uma vez por cada percussão da mesma. Por causa disto, os teclados precisam de implementar um mecanismo que tome em atenção este facto, por isso o controlador espera durante um certo período de tempo até poder voltar a registar uma tecla. Por exemplo, os switches Cherry MX aguardam um período de 5 ms, enquanto os rubber domes precisam de mais (exatamente quanto depende da sua qualidade).

Polling rates e tempos de resposta

Enquanto isto possa ser muito útil para um rato, é quase insignificante para um teclado. Vamos assumir por um minuto que todos os switches têm de aguardar um período de 5ms entre registos (como falado anteriormente no caso dos switches Cherry MX). Mesmo que tivesses uma velocidade e reflexos sobre-humanos, todas as percussões estariam pelo menos separadas por esse tempo, ou seja, não conseguirias carregar na mesma tecla duas vezes em menos de 5ms. Com isto dito, ficamos a saber que qualquer polling rate superior a 200Hz é absolutamente inútil e apenas marketing das marcas. Pode até ser prejudicial, porque estarias apenas a perturbar a atividade do CPU.

Inputs

PS/2

Vantagens:

  • Suporta NKRO.
  • PS/2 não funciona por polling rates, mas por interrupções (menor sobrecarga do CPU).
  • Impossível  de ser atrasado devido à intensa utilização do bus da entrada USB.

Desvantagens:

  • PS/2 não foi desenhada para ser simplesmente desligada e ligada. Em alguns casos, caso o cabo seja desligado, só com o reinicio do computador é que o teclado voltará a funcionar.
  • PS/2 não apresenta a mesma durabilidade de ligações modernas e como tal pode ser danificads devido ao repetitivo ato de ligar e desligar o cabo, resultando em pinos dobrados ou partidos.

USB

Vantagens:

  • Pode ser ligado e desligado no momento sem quaisquer problemas.
  • Interface muito mais popular que a PS/2.

Desvantagens:

  • Não é compatível com verdadeiro NKRO.
  • Por vezes tem problemas com a BIOS depois de ligado o PC, a seguir à hibernação ou suspensão.

Navegação:
Introdução
Switches Mais Comuns
Plásticos e Forma da Tecla
Métodos de Impressão das Teclas
Terminologia

Páginas: 1 2 3 4 5

Artigos relacionados
8 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos