Home Periféricos Review Mionix Avior 7000

Introdução

rato_6

A Mionix, marca conhecida pela solidez dos seus produtos, lançou à relativamente pouco tempo o Mionix Avior 7000, rato apontado para finger e claw grippers, com um ótimo sensor e com promessas da mesma qualidade de sempre. Este é o primeiro mouse da marca que não apresenta a fantástica morfologia exterior ergonómica que encontramos no Mionix Naos.

Especificações

  • Processador 32bit ARM 32mhz
  • Design ambi-dextro para palm ou claw
  • Coating suave de borracha
  • 9 botões totalmente programáveis
  • 3 steps de ajustamento de DPIs in-game
  • Mais de 16.8 milhões de cores para os LEDs
  • Diversos efeitos para a luminosidade dos LEDs
  • 128 kb memória embutida
  • Skates largos de PTFE
  • USB 2.0 banhado a ouro, plug&play
  • Cabo de 2m sleevado

 

Embalagem e Conteúdo

A embalagem é bastante mais pequena do que deixa transparecer pelas imagens, sendo ligeiramente maior do que um tablet de 7″.

O conteúdo vem sem espaços intersticiais, ou seja, o todo é compacto, sem material a mover-se de um lado para o outro aquando do transporte. O rato vem bem protegido com a tradicional cobertura/molde de plástico, não necessitando nada mais. Antes disso, a abertura da caixa é bastante engraçada, uma vez que desliza como uma gaveta. Aspeto inovador!

embalagem_1 embalagem_2 conteudo

Em Pormenor

Como já foi referido logo no início do artigo, a Mionix é uma marca de periféricos especialmente reconhecida pela qualidade de construção e durabilidade do seu material. O Avior 7000 não descarta o legado e como tal é com grande satisfação que analisamos este mouse.

rato_9

Toda a superfície é coberta por uma ligeiríssima camada de borracha, quase que não a identificamos, só ganhamos certezas raspando a unha pela mesma para ver se deixa a tradicional marca. Este coating está muito bem aplicado, não temos o toque excessivamente “aborrachado”, mas sim um leve acetinado apontado à maior aderência e à inexistência de marcas de utilização. Devo dizer que, pessoalmente, este é um rato muitíssimo agradável ao toque e o único com que ainda não me deparei a suar excessivamente durante intensos períodos de jogo, especialmente agora com temperaturas altas no verão.

rato_1

Os switches do M1 e M2 são leves ou não seriam eles uns Omron e até ao momento têm funcionado perfeitamente. Os botões laterais são ainda mais leves e sem folgas e os dois botões superiores associados à alteração de DPIs são bastante mais pesados do que os dois anteriormente referidos, uma vez que não convém alterar os valores a meio de um momento intenso numa partida de qualquer jogo que seja (note-se que isto é muito importante, uma vez que há ratos que têm botões para a alteração dos DPIs bastante leves e que resulta facilmente no pressionamento acidental dos mesmos como acontece, por exemplo, no CM Xornet).

rato_5 rato_4

 

A scroll wheel é de facto um grande positivo do rato. O rodar da mesma é muito, mas muito agradável, apesar de nas primeiras utilizações parecer um bocado perro e sem jeito. Com o gasto o movimento tornou-se ao mesmo tempo fuído e bem sequenciado, com “bumps” percetíveis a cada grau de rotação, mas não incomodativos.

rato_3

A forma é fantástica numa perspetiva universal. É ambidextra, o que satisfaz as ânsias dos esquerdinos, e é muitíssimo natural para claw grippers, apesar de poder ser não tão apelativa para quem procura uma shell apropriada para o fingertip grip, uma vez que o rato não é propriamente um exemplo de ultra-leveza. A carcaça do mouse inicialmente alarga em baixo, depois encolhe e mais lá para a frente volta a largar, ou seja, apesar de não apresentar a ergonomia de um Mionix Naos, este rato proporciona sítios naturais para pousar o mindinho na lateral e para segurar bem o rato com o polegar. Se não conseguem visualizar facilmente o que aqui foi dito, peçam um Logitech G400, G400S, MX518, G5, G500, etc aos vossos amigos e vejam o desconforto inerente ao facto de não encontrarem um local natural para descansar o mindinho mid-action.

O perfil do rato é baixo, não tem aquela lomba a meio que quase que procura a palma da mão, como é o caso de mouses como o Razer Deathadder, Microsoft IME 3.8 e outros que partilhem um desenho de shell semelhante. Isto significa que de facto este é um rato para quem dá primasia ao claw grip, pois nunca em qualquer altura, quer seja em utilização calma, quer seja em utilização mais agitada e frenética, a nossa mão vai encostar totalmente às costas do rato. Pelas imagens o rato até parece comprido, mas isso não passa de uma ilusão, dada a baixa altura do mesmo.

rato_10

Outros pormenores como os skates, estão bem desenhados, não são estrambólicos como os do Logitech G502 que mais parecem uma série de ilhas vulcânicas, mas também não se aproximam muito dos ideais que serão os de um Microsoft IME 3.0. O sleeve do cabo está impecável, sem qualquer imperfeição ou capricho e o comprimento deste chega para qualquer encomenda.

cabo

Por último, resta referir a iluminação bem conseguida, homogénea e não demasiado intensa como a de algumas marcas. Está implementada em apenas 2 pontos clássicos do rato, a roda e o logo nas costas.

rato_7

Fica aqui também a nota de que este rato não tem qualquer folga ou irregularidade das suas linhas, nem sequer nos sulcos que o percorrem.

rato_2

Software

O software da marca não deixa absolutamente nada a desejar, dado o grau de costumização disponível. Cor do LED, LOD, polling rate, entre outros parâmetros são completamente ajustáveis.

Para além disso, as funções de todos os botões do rato podem ser alteradas, incluindo mesmo macros criadas pelo utilizador.

ss1 ss4 ss2 ss3 ss6

Utilização

Este é um rato que se assume muito rapidamente como uma “top choice”. A shape é realmente muitíssimo confortável para claw grippers e não é radical como a de um Logitech G9 ou CM Xornet. O período de adaptação à mesma foi curtíssimo, cerca de meio dia, especialmente tendo em conta que quando mudava de ratos tinha sempre que esperar 1 dias e desta vez vim de um rato com uma shell vincadamente distinta, o Logitech G400.

De facto, este rato parece inibir a transpiração e talvez o melhor modo de explicar isto será simplesmente dizer que a shape e textura se assumem tão naturais. O peso é o indicado para as suas dimensões, com valores superiores ao que costumamos encontrar nesta  categoria. Não é desnecessariamente leve e dá, sem dúvida alguma, mais segurança aos movimento com o rato.

O sensor aqui presente é um PMW3310H, ou seja, uma das melhores escolhas óticas presente no mercado, com relatos de aceleração praticamente nula. O smoothing é ligeiramente percetível, mas não atinge os valores de um Deathadder 2013 pré-actualização de firmware, ou seja, está num valor em que realmente é benéfico e confere alguma “solidez” aos movimentos do ponteiro

Com a utilização propriamente dita do rato em ambiente de jogo, neste caso em particular, CS:GO, as melhorias foram signficativas. Não é só o sensor muito bem trabalhado pela marca, não é só a shape muito bem desenhada, é de facto todo o conjunto que se encontra prodigiosamente orquestrado. A diferença foi bastante palpável, so AWP shots são mais seguros e os sprays parecem de facto mais fáceis de controlar. É passsível de ser afirmado com toda a honestidade que houve melhorias significativas e que este rato causou uma grande diferença na minha performance. O peso, de facto, auxilia o controlo da mira, parece agora já não haver a quantidade significativa de falhanços inacreditáveis com AWP e 1v1s com AK, parecem agora tornar-se mais simples.

No que toca a todos os outros jogos, claro que houve melhorias, mas não foram nem de perto nem de longe tão percetíveis como num FPS. A jogar LoL, o que mais diferença causou foi sobretudo a shape, mais confortável, mais agradável. Os materiais da shell tbem ajudaram bastante, uma vez que já à muito que não suava tão pouco.

Considerações Finais

rato_123

Este é de facto um produto fantástico, é visível o esforço intelectual dispendido pelos designers na elaboração do mouse. A cada dia que passa há sempre uma marca que lança um rato que supostamente vai alterar as regras do jogo, mas chegada a fase da análise de testes, todas as promessas desvanecem. O mesmo não aconteceu com o Mionix Avior 7000, entrou numa lacuna semi-preenchida do mercado e deixou fortemente marcada a sua posição, onde a marca dominante é a Zowie.

É uma lufada de ar fresco, dado que a qualidade de construção e os materiais escolhidos são impecáveis. A shape ambidextra prova ser super afável para claw grippers e de fácil habituação e o peso confere a segurança adicional a qualquer movimento.

O sensor é outro ponto forte, o 2º melhor ótico disponível, ficando atrás do PMW3366DM-VWOU (presente no Logitech G502). Sem aceleração e só com um muito ligeiro smoothing, prova-se quase “flawless”.

É com grande satisfação que este rato leva uma enorme recomendação da nossa parte, uma obra impecável por parte de uma marca que visivelmente ouve o comprador.

Resta agora agradecer-nos à Mionix por ter cedido este exemplar para análise.

selo-9_8O bom

  • Sensor
  • Qualidade de construção
  • Materiais utilizados
  • Shape
  • Software com um variadíssimo leque de opções disponível
  • Cabo sleevado
  • Plug&Play
  • Switches Omron
  • Scroll Wheel

 

O menos bom

0 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos