Home Notícias O calor pode ser a resposta para discos 100 vezes mais rápidos

Físicos descobriram um novo método para guardar dados em discos rígidos, que pode potencialmente torna-los 100 vezes mais rápidos (em termos de performance). O calor é o responsável. Um disco rígido é um dispositivo magnético, que, ao contrário das fitas magnéticas, permite acesso aleatório. A sua superfície de gravação é constituída por centenas de biliões de porções ínfimas que podem ser magnetizadas segundo uma polarização particular, que pode representar 0 ou 1. Para criar uma porção com significado destas porções (bytes), as cabeças de gravação aplicam um campo magnético externo que inverte as polaridades.

Uma equipa de investigadores liderados por Thomas Ostler da Universidade de York, UK, concluiu que o processo de mudança de polaridade destas pequenas porções pode ser grandemente expedito usando pequenas explosões de calor. É afirmado que o calor apenas pode assistir a re-magnetização, quando usado em conjunto com um campo magnético. Investigadores mostraram que isto também pode ser conseguido uma quantidade de calor extremamente precisa gerada ao irradiar energia através de um pequeno laser por menos de 1 sobre um trilião de segundos, que momentaneamente aumenta a temperatura para 800ºC. Os resultados do estudo foram publicados aqui

Os responsáveis pela descoberta dizem que este novo método de gravação magnética pode atingir os terabytes por segundo (1000 GB/s) para velocidades de leitura e escrita. O processo também usa menos energia que a atual gravação magnética, quer isto dizer que as novas drives serão mais energeticamente eficientes.

Fonte: TechPower Up

0 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos