Home Notícias Datacenters no fundo do mar?

A Microsoft acordou com uma nova ideia em prática: que vai trazer para o fundo do mar os seus datacenters conseguindo de imediato ganhos a vários níveis.
Os grandes volumes de dados com que as maiores empresas da Internet trabalham obrigam a que estas tenham datacenters espalhados pelo planeta, sempre de forma distribuída e aproveitando os recursos naturais que são disponibilizados. A Microsoft viu aqui uma oportunidade de alargar, de forma rápida, os seus datacenters em qualquer parte do mundo

lilireviews  - Datacenters Microsoft

Sendo o principal objecto, ganhar a vantagem de arrefecimento, o projecto Natick, quer mudar de forma completa o alojamento dos centros de dados. A ideia defendida, testada e bem sucedida, assenta na colocação destes datacenters no fundo do mar, aproveitando assim, de imediato, a capacidade de arrefecimento natural que é oferecida.

lilireviews  - Datacenters Microsoft - 2

Este projecto começou em 2013 com protótipos e desenvolveu até Dezembro de 2014 com testes reais. Na totalidade foram cerca de 105 dias de testes reais.
As experiências que foram feitas mostraram sucesso em dois modelos, quer assente no fundo do mar quer numa posição mais elevada, conseguindo aproveitar a força do vento para criar energia.
Misturar electricidade com água tende a ser um problema, algo que preocupava os seus criadores, mas acabou por não o ser.

Durante este tempo todo um conjunto de servidores esteve a funcionar num ambiente pressurizado e com o oxigénio substituído por azoto. Um conjunto de sensores monitorizou de forma constante a cápsula, quer internamente quer externamente. Esta, de nome Leona Philpot, foi agora retirada do mar para ser reavaliada e ser sujeita a melhorias.

lilireviews  - Datacenters Microsoft - 3

O próximo passo é a criação de uma nova cápsula, maior (três vezes maior) e com as correcções dos erros técnicos detectados.
A ideia da Microsoft é conseguir criar estas cápsulas em apenas 90 dias e assim alargar, de forma rápida, os seus datacenters em qualquer parte do mundo aquático.

Ainda há muito que questionar mas o mais importante é a manutenção. Se o custo de ter os datacenters espalhados pelo mundo (superfície) era elevado, então e agora ? Que estão a centenas de metros de profundidade ?

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos