Home Hardware Discos Kingston Wi-Drive

É quando as vendas dos artigos Apple batem recordes que muitas marcas acabam por aproveitar e lançar artigos que complementam a utilização destes, entrando assim num mercado mais distinto mas não por isso menos lucrativo e vantajoso. Neste caso, a Kingston, tal como foi anunciado pelo LILIREVIEWS, lançou para o mercado o Wi-Drive que se trata de nada mais nada menos que de uma memória portátil à qual podemos aceder por wi-fi a partir do nosso equipamento Apple com iOS.

Com isto, a Kingston consegue um aumento de capacidade de armazenamento igual à oferecida pelos modelos de 32GB e 64GB de uma forma mais económica ou simplesmente um acréscimo de até 32GB a aparelhos já munidos de 64GB de memória. Claro está que tal acréscimo tem as suas vantagens e desvantagens que analisaremos já de seguida!

Embalagem e Conteúdo
É interessante e algo previsível a forma como a Kingston elaborou a embalagem do Wi-Drive. Em muito semelhante à embalagem original dos iPhones e iPods, até o esquema de cores é fiel ao preto e branco da marca à qual se destina o acessório em questão.

Na parte frontal podemos ver a capacidade deste modelo do Wi-Drive no canto superior direito, uma foto do produto no centro, o ícone da aplicação em particular e da disponibilidade na App Store. Além disso, no fundo da embalagem podemos ler uma breve descrição do equipamento em várias línguas.

Abrindo a embalagem e retirando a protecção que envolve o Wi-Drive podemos ver algo com as dimensões de um iPod Touch, bastante leve e pintado de preto. O Wi-Drive vem acompanhado de um manual de instruções rápidas e um cabo USB para o conectarmos ao computador. O facto de só vir acompanhado pelo cabo USB, dá a entender de que o Wi-Drive tem de ser fácil de operar e bastante intuitivo pois nem o manual de instruções se revela muito extenso e explícito.

Em Detalhe
O Wi-Drive é um produto extremamente simples com apenas uma entrada USB e um botão que servirá para ligar, desligar e a cor deste para assinalar o estado da bateria variando entre duas cores.

Além disso, o Wi-Drive tem pintado no topo o logótipo da Kingston, o nome do produto e dois pequenos símbolos que serão completados quando o dispositivo estiver ligado por dois LEDs azuis no interior.

No fundo, o Wi-Drive possui todas as informações legais e número de série.

Utilização
Como o que interessa neste tipo de produtos é na verdade a utilização e experiência que delas se consegue tirar, vamos então abordar as vantagens que o Wi-Drive trouxe até nós. Depois de retirado da embalagem convém ligar o Wi-Drive por USB ao computador e deixa-lo carregar durante algumas horas e, aproveitando, podemos começar a gerir os ficheiros dentro do mesmo para que depois possamos aceder aos mesmos através do nosso iDevice.

Depois de ligado, o Wi-Drive vai aparecer-nos no formato de duas drives sendo que uma é identificado como CD-ROM e contém apenas ficheiros importantes ao funcionamento do dispositivo. Além do CD-ROM, vamos também ter acesso a um dispositivo amovível de nome WI-DRIVE que utilizaremos tal e qual como uma PEN para fazer a gestão de todos os ficheiros pessoais.

Como podem ver, as quatro pastas seleccionadas foram adicionadas posteriormente sendo que o restante já existia no interior do Wi-Drive.

Já com os ficheiros pretendidos guardados no interior do equipamento está na hora de experimentar-mos a acessibilidade ao mesmo a partir do nosso iDevice sendo que para isso teremos de recorrer a uma aplicação que é gratuita e facilmente encontrada na App Store utilizando uma simples busca na mesma.

Depois de instalada a aplicação, está na hora de ligarmos o Wi-Drive carregando no único botão que ele possui até o LED ficar verde. Esperamos até que ambos os LEDs azuis se acendam na parte frontal do mesmo pois significa que o Wi-Drive já está acessível via Wi-Fi. Voltando ao iDevice, basta-nos aceder às Definições > Wi-Fi e ligar à rede Wi-Drive para que consigamos estabelecer contacto com a nossa memória portátil.

Não é demais relembrar que não será possível aceder à internet via Wi-Fi pois este estará ocupado na transferência de dados entre o Kingston e o nosso aparelho. De qualquer das formas, para quem tiver iPhone pode continuar a aceder utilizando conectividade 3G.

Depois de ligados à rede basta utilizar a aplicação descarregada previamente e viajar pelos ficheiros introduzidos no Wi-Drive.

Alguns testes e desafios ao produto
Para testar a capacidade de leitura do Wi-Drive introduzimos um filme em Full HD na memória e procedemos à sua leitura utilizando três iDevices em simultâneo, efectuando em todos eles navegações constantes no filme. O resultado não poderia ser mais surpreendente pois em todos os aparelhos a sintonização com o vídeo foi extremamente rápida e fluída o que deixa o Wi-Drive da Kingston muito bem visto no aspecto da velocidade de leitura.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=BrYrbumORNQ&hd=1]

Outro teste efectuado foi a distância a que o Wi-Drive pode ser não só localizado mas também acedido com a qualidade desejável. Para tal, o iDevice foi afastado do Wi-Drive até não se conseguir ver o filme de uma forma contínua. Acabámos a ver o Ice Age a sensivelmente 30 metros de distância da nossa fonte de dados, o que consideramos ser muito positivo!

Para finalizar, efectuámos o derradeiro teste à bateria do Wi-Drive e os resultados não foram tão surpreendentes quanto os anteriores. Era esperado um carregamento rápido e um descarregar progressivo com, pelo menos, mais de 20 horas de bateria. Infelizmente, o Wi-Drive demora bastante a carregar e nunca sabemos ao certo se está ou não na capacidade máxima da bateria pois não existe qualquer indicador para tal. O Wi-Drive aguentou-se ligado durante 5 horas seguidas, tendo 2 dessas sido ocupadas na reprodução de um vídeo e as restantes na reprodução de áudio.

Conclusão
A Kingston está sem dúvida de parabéns pela aposta que fez e por ter lançado no mercado um produto que à muito era aguardado. O Wi-Drive é muito simples e fácil de operar podendo revelar-se muito útil em situações ocasionais derivado ao facto de até três utilizadores poderem aceder à informação contida no armazenamento. É também uma pena que a Kingston não tenha alargado a funcionalidade a outros dispositivos móveis incluindo tablets, smartphones Android e até mesmo computadores portáteis pois dessa forma mais “mainstream” conseguiria levar a todas as massas a boa iniciativa que se revelou ser o Wi-Drive.

No final de todos os testes, ficámos surpreendidos com a capacidade de resposta no manuseamento de ficheiros mais pesados como são os filmes em 1080p, conseguindo oferecer um rápido inicio e uma navegação instantânea no vídeo em questão. Além disso, dá a possibilidade aos utilizadores dos iDevices de ouvirem músicas em mp3 utilizando a aplicação que a Kingston desenvolveu para ler os ficheiros do Wi-Drive sendo que de outra forma seriamos obrigados a passar os arquivos áudio pelo iTunes para que sejam legíveis pela aplicação iPod no nosso dispositivo.

É sem dúvida um extra a considerar para quem possui um produto compatível pois o preço não é tão alto quanto esperado!
Terminamos esta análise agradecendo à Kingston por nos ter cedido o Wi-Drive para que fosse possível.

Esperamos que tenham gostado desta análise e deixo a pergunta, compravam algo do género se este fosse utilizável por todos os equipamentos capazes de uma conectividade Wi-Fi?

Pergunta para o passatempo LILIREVIEWS YouTube S01E00: Enquanto acedemos ao wi-drive através do nosso iDevice podemos aceder à internet via 3G?

0 Comentários a este artigo
  1. equipamento muito interessante. o que falta em capacidade (no fundo isto é um disco externo) acaba por compensar em inúmeras funcionalidade. gostei bastante, agora só me falta ter um aparelho com uma maçã roída… 😉 excelente review!

  2. Sinceramente acho um equipamento desnecessário, mas compreendendo a sua utilização para equipamentos da maçã roída. Como estes não têm possibilidade de expansão de memória por micro sd ou por ligação usb otg, esta é das poucas maneiras que se tem de reproduzir algo rapidamente no próprio dispositivo ou partilhando. Não querendo ser parcial, justifico, na maioria dos dispositivos de plataforma android basta copiar a “media” desejada para o cartão e utilizar um servidor upnp que tornará a reprodução em dispositivos alheios possivel, creio que até mesmo para dispositivos iOS (tendo eles o cliente upnp). Saíndo do tópico, acho que se a Apple se preocupasse em desenvolver decentemente o seu equipamento, não seria necessária a criação destes equipamentos de “arremedeio”.

    Cumprimentos e parabéns pela review! ;D

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos