Home Móvel iPhone 4

A existência deste smartphone já não é novidade para ninguém e já com o seu sucessor anunciado para breve, o iPhone 4 não deixa de não merecer estar neste espaço não só pelo produto em si mas também pela revolução no mundo tecnológico que a Apple consegue antes, durante e após o lançamento de um gadget deste gabarito. A especulação, os rumores, a expectativa e as discussões incendeiam-se e toda a web acaba por se envolver um pouco nesta bruta jogada de marketing da marca da Califórnia. Já com uma boa base de sucesso, a Apple tentou melhorar onde havia falhado com a criação do iPhone 3GS e levar o que de melhor já existia até um outro patamar.

O iPhone 4 foi produzido e lançado no mercado para ser o melhor, mais competitivo e fiável smartphone de todos e todos sabíamos que a Apple não nos iria desfraldar, no entanto, a ascensão dos telemóveis munidos com o tão badalado sistema operativo Android tem sido muito acentuada e a adesão por parte do mercado tem sido imensa. Posto isto, não será uma batalha fácil de travar para o modelo mais recente de Steve Jobs e é por isso que o LILIREVIEWS vos presenteia com uma detalhada análise deste produto que, apesar de tardia, pode ainda vir a ser útil a muitos leitores que não estejam dispostos a um investimento grande o suficiente na aquisição do novo modelo que a Apple dará à luz ainda durante este ano e, ao invés disso, aproveitar a descida de preço neste modelo! Agarrem-se à cadeira pois as viagens neste mundo são e serão sempre duras mas no final, valerá a pena.

Primeiras impressões
Depois de uma aquisição muito ponderada e de uma análise do mercado bastante exaustiva, é natural que exista alguma satisfação e impacto na primeira vez que abrimos a pequena caixa do iPhone 4 e nos deparamos com algo que deverá acompanhar-nos para todo o lado e que tem a responsabilidade de nos ligar ao mundo em geral, em todos os aspectos possíveis.
Bem ao estilo da marca, a embalagem é muito simples e com dimensões pouco superiores à do próprio smartphone.

Um paralelepípedo de 7,5cm de largura, 13cm de cumprimento e 5cm de altura alberga tudo aquilo a que temos direito e consegue faze-lo com o máximo de segurança visto que tudo se encontra bem acomodado e protegido. Por um lado, a embalagem tem pouca informação e torna-se bastante simples e de fácil leitura, por outro, tem tudo o que necessitamos saber acerca do produto. Ora vejamos, com o logótipo da marca nas laterais da caixa e com o modelo do smartphone nas restantes faces, sobressai apenas o prateado brilhante sobre o branco tradicional e característico da marca enquanto é na face superior deste “sólido” a que chamamos embalagem que a Apple dá um pouco a conhecer do que estará no interior através de uma foto incompleta do iPhone 4.

É no fundo desta que encontramos todo o “grosso” informativo tal como a capacidade de armazenamento escolhida pelo utilizador, a descriminação de tudo o que enche a embalagem, requisitos para a segura operação do mesmo, número de série e, por fim, a operadora a que este está ligado e bloqueado (no caso de o ser).

Chegado o momento que nem todos conseguimos aguardar, abrindo a pequena caixa damos imediatamente de caras com o produto que comprámos em todo o seu esplendor. O iPhone é-nos apresentado apoiado sobre um suporte em plástico com as medidas exactas do smartphone para que os níveis de protecção sejam o mais elevados possível.

Este duro plástico também serve de divisória que separa o iPhone dos seus acessórios que residem debaixo deste. Retirando o equipamento e o dito plástico, a Apple apresenta toda a informação acerca do produto e de como o manusear por via de um pequeno manual que, juntamente com dois autocolantes da marca se encontram instalados numa espécie de envelope em cartão resistente.

Debaixo deste, duas divisões criam três espaços distintos onde vêm acomodados os acessórios do nosso novo smartphone. Os earphones que servem de auriculares, o cabo de dados que servirá para carregar o equipamento e o adaptador AC que nos permitirá carrega-lo por USB directamente de qualquer tomada lá de casa. Além destes três principais acessórios, é-nos também fornecido um pequeno clip para que possamos retirar o nosso cartão SIM.

O Design
Foi completamente redesenhado! À parte do já habitual botão Home na parte inferior da frontal do iPhone, tudo o resto foi repensado e redesenhado ao mais alto nível. O look industrial e elegante possuidor de dimensões muito apelativas aos bolsos e mãos de muitos utilizadores são a característica que mais chama apela à compra deste equipamento e o deixa num patamar superior em relação aos restantes rivais.

O senhor responsável por esta fabulosa criação, Jony Ive, está de parabéns pois em conjunto com a sua equipa foi capaz de reduzir as dimensões, aumentar a durabilidade e corrigir certos pontos menos fortes dos anteriores modelos tais como a capa traseira em plástico que, com a utilização, acabava por ceder e rachar em algumas partes chave do equipamento.

Neste, essa capa traseira foi substituída por um vidro muito resistente que previne maior parte dos riscos, tal como o display frontal multi toque. Todo este vidro é unido por uma tira de alumínio que circunda todo o smartphone e, além de uma maior resistência, também acaba por servir de antena e receptor wi-fi/bluethoot.

Nesta tira de alumínio residem os botões do mesmo material, que nos dão a possibilidade de aumentar e diminuir o volume e um switch que nos permite passar imediatamente do modo audível ao vibratório.

No topo reside o audio jack e o botão sleep/off já habituais e transitórios dos modelos passados. No fundo, além da conectividade com o cabo de dados e docks podemos encontrar a entrada e saída de som. Basicamente, o iPhone 4 resume-se a três peças distintas que se interligam na perfeição conseguindo que muitos outros smartphones actuais pareçam telemóveis de gerações passadas!

Especificações

Acessórios
Nos dias que correm, um bom smartphone pode levar-nos a um excesso de zelo e ao tentarmos protege-lo em demasia podemos estar a comprometer em demasia uma utilização normal e natural de algo que não deixa de ser o nosso meio de comunicação e que andará sempre connosco, qualquer que seja a ocasião e o local. Para que tal não aconteça, existem um número infinito de acessórios de protecção para colmatar a compra de um produto como este. Desde películas a capas traseiras a capas totais. Podemos encontrar de tudo no mercado. O LILIREVIEWS optou pela Artwizz SeeJacket Alu, uma protecção em borracha e alumínio bastante resistente, leve e esteticamente bem conseguida! O nosso iPhone entra numa capa em borracha que, em seguida se insere numa fina tampa de alumínio.

Ecrã
Definitivamente, um dos pontos fortes deste smartphone é o display. A Apple decidiu chamar-lhe “Retina Display” mas, na realidade, trata-se de um ecrã IPS de 960 x 640 LED backlit. O nome “Retina Display” é-lhe atribuído devido à densidade de pixeis mais elevada do que o normal. Com 326ppi (pixeis per inch) e um contraste de 800:1, este display de 3.5” é uma melhoria estrondosa face ao antigo modelo 3GS e só mesmo vendo é que podemos ter a noção de tal qualidade.

Devido ao elevado número de pixeis por unidade de espaço, é-nos praticamente impossível de visualizar esses mesmo pixeis o que, no final, torna os contornos das imagens praticamente perfeitos à retina humana. No que às cores diz respeito, a Apple apostou em manter tudo o mais realista possível, o que poderá seduzir algumas massas mais profissionais mas para o utilizador comum, poderá haver no mercado equipamentos com cores mais apelativas devido à elevada saturação das mesmas. O detalhe dos vídeos em 720p é fascinante e até a simples visualização de fotografias pode ser uma experiência muito interessante devido à qualidade que a Apple oferece não só neste, mas em todos os segmentos dos seus produtos.

Ainda relativamente ao display, o já conhecido sistema touch Apple prevalece sobre toda a concorrência conseguindo discernir todo o tipo de toque, desde o mais leve ao mais pesado e bruto. Claro está, só com os dedos e com stylish pens apropriadas é que poderemos controlar o iPhone pois apenas reage ao toque por meio do calor da superfície em contacto.

Câmeras
O iPhone 4 vem equipado com uma câmera frontal e uma traseira. Comparativamente a outros smartphones, a Apple tem sido algo lenta a desenvolver equipamentos munidos de uma boa qualidade fotográfica. O antigo modelo apenas possuía uma câmera de 3MP sem suporte flash ou qualquer outras vantagens já existentes em praticamente todos os equipamentos da concorrência. Servia para um rápido desenrasque mas nunca para algo mais sério e não poderíamos decerto contar com o telemóvel para obter qualidade superior numa fotografia.

Porém, neste novo modelo as coisas mudaram muito! A câmera principal tem apenas 5MP. Apenas porque neste momento, existem já smartphones com preços muito inferiores que conseguem fotografar até 12MP mas, no entanto, na habitual conferência WWDC keynote em 2010, Steve Jobs expôs a ideia da marca enquanto trabalhava no novo sensor fotográfico para o iPhone 4 dizendo que a importância das câmeras fotográficas de um telemóvel é a capacidade de capturar fotões. Derivado ao reduzido tamanho dos sensores, das lentes, da câmera em si, que se pode tornar muito difícil capturar boas imagens em ambientes de luz reduzida. Para isso, a Apple introduziu a tecnologia “Backside illuminated sensor” que permitirá a captura de muito mais fotões mantendo o tamanho dos pixeis original, ao contrário da redução dos mesmos, como é o que acontece quando elevamos os MP com que tiramos a fotografia. Além de tudo isto, um zoom digital de 5X e, está claro, LED Flash, uma novidade nestes equipamentos Apple. Apresentamos também, várias fotos tiradas a partir do iPhone 4, sem que nenhuma delas tenha sido modificada por qualquer editor de imagem digital.

[nggallery id=1]As 3 primeiras fotos são um exemplo dos diferentes resultados que podemos obter utilizando a função “tap to focus” em diferentes locais do ecrã. Já na fila de baixo, uma foto retrato tirada com boa luminosidade durante o dia, uma paisagem nas mesmas condições e, no final, uma fotografia tirada num ambiente de completa escuridão, recorrendo apenas à luz fornecida pelo LED flash do iPhone 4.


Das duas fotografias ao mesmo conteúdo, a primeira foi tirada com a função normal de fotografia do iPhone e a segunda utilizando a função HDR da aplicação. Nota-se que em HDR conseguimos retirar mais informação mas é preciso algum cuidado visto que o movimento pode estragar a qualidade da fotografia.

Em adição a tudo isto, o ecrã IPS permite um ângulo de visão tal que só deixaremos de visualizar o que se passa no display do smartphone quando este estiver praticamente na perpendicular com o nosso campo de visão. Além disso, quando no exterior durante a luz do dia e ao contrário de muitos outros equipamentos, vamos sempre conseguir vislumbrar o display do nosso iPhone sendo que a luz solar incidente não nos afectará, devido também à tecnologia implementada neste “Retina Display”.

A câmera frontal é um sensor VGA sem nada de especial a adicionar. Tem como papel fundamental a captura do nosso rosto quando em utilização do Facetime ou para uma “quick self picture” se necessitarmos de tal coisa. Além de fotografar, também captura vídeo o que poderá ser um bom extra para que, mesmo com reduzida qualidade, possamos apanhar situações mais caricatas através de ângulos menos naturais. Como falar da capacidade de gravação de vídeo HD me parece algo descabido quando vos posso mostrar tudo isso para que possam analisar vocês mesmos. Fiquem então com o vídeo acompanhado do som original captado pelo iPhone.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=BhjjAwfTWQA&hd=1]

Autonomia
A autonomia é um assunto muito sério num smartphone. É sempre muito positivo termos muita capacidade de processamento mas se isso significa ficarmos sem bateria em menos de vinte horas, deixa de ser um aspecto positivo e passa a ser um enorme problema com o qual temos de lidar. O iPhone revelou-se bastante equilibrado nesse aspecto e apresenta uma autonomia de 7h de conversação, 6h de 3G Browsing, 10h de Wi-Fi Browsing, 10h de vídeo, 40h de música e 300h em standby.

Claro está que tudo isto se torna inútil quando utilizamos praticamente tudo isto ao mesmo tempo e o que nos interessa é a autonomia total, fazendo um pouco de tudo. Baseado na minha experiência e em algumas médias que calculei, o iPhone consegue uma autonomia de 35 a 40 horas sob uma utilização mista, com 3G/Wi-Fi sempre ligados, Bluetooth, alguns jogos, mensagens e chamadas diárias. Resumidamente, a Apple melhorou em muito a autonomia do iPhone aumentando o tamanho da bateria no interior deste novo modelo. Podemos esperar uma autonomia mais do que suficiente e nunca nos deixará ficar mal no que a isso diz respeito.

iOS4
Acho que toda a gente sabe do que estamos a falar. o iOS é um dos grandes sistemas operativos do mercado e a chegada da nova versão veio trazer novas funcionalidades que decerto agradaram a quem diariamente utiliza iOS devices. A Apple decidiu portanto melhorar alguns aspectos menos bons do iOS3 oferecendo mais comodidade e capacidade foi a receita seguida por Steve Jobs. As inovações e melhorias mais sonantes passam pelo multitasking, as pastas que deixam tudo muito mais organizado do que nas prévias versões do iOS e a possibilidade de gerir inúmeras contas de email ao mesmo tempo através da aplicação nativa do iPhone. Fiquem então com um pequeno vídeo demonstrativo das novas capacidades do iOS 4!

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=eDcHqdvsPLY]

Conclusão
Tirar uma conclusão de um artigo como este é sempre difícil e nunca muito pacífico. O que para muitos ainda é o melhor smartphone do mercado, para outros pode tratar-se apenas de mais um equipamento demasiado caro para o significado que apresenta. No entanto, na nossa opinião, o iPhone e a Apple atingiram o mercado com um elevado grau de inovação e foi necessário muito tempo para a concorrência conseguir alcançar tamanha qualidade de imagem, design e qualidade de construção.
Como tudo o que é gadget, este também possui os seus prós e os seus contras e é nisso que se baseia a nota final que atribuímos. Um dos pontos menos positivos começa por ser o valor pelo qual o iPhone 4 se encontra à venda e, por isso mesmo, seguem-se mais alguns defeitos que não se admitem a smartphones de média gama, quanto mais a este topo de gama. O facto do rebordo em alumínio servir de antena seria uma autêntica maravilha mas, visto que em vez de um sucesso se revelou um enorme defeito do iPhone 4, temos de admitir que é inadmissível a um telemóvel de 599€ a perda da qualidade de sinal quando o seguramos, sem capa ou “bumper” com a mão esquerda. Além disso, já acerca do sistema operativo que equipa o iPhone, as notificações continuam a ser extremamente irritantes e podem interromper-nos a qualquer momento. Além disso, depois de passarem a segundo plano torna-se muito complicado ter a noção daquilo que recebemos, quando e de quem.

Claro está que, no meio de algumas falhas e contradições, o iPhone 4 é na verdade um dos melhores smartphones do mercado e tem inúmeros trunfos a que recorre durante os incontáveis comparativos que são feitos por tanta gente na web, em revistas e meras discussões. A resolução do “Retina Display” é fenomenal!! A capacidade demonstrada pela bateria é sem dúvida a melhor do mercado e as fotografias e vídeos que o iPhone nos oferece são também de elevadíssima qualidade. Além de tudo isso, o design industrial e simples, juntamente com uma qualidade de construção e selecção de materiais fabulosa, faz com que este produto da Apple seja, obviamente, altamente recomendado pelo LILIREVIEWS!

Artigos relacionados
0 Comentários a este artigo
  1. A qualidade da fotografia e video continuam a fascinar-me, assim como do display.
    Review altamente recomendada!! 🙂

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos