Home Móvel HTC Desire

Introdução

A HTC (High Tech Computers), tem vindo a implementar-se no mercado dos smartphones atacando em várias frentes, nomeadamente Windows Mobile, Android, e mais recentemente com o HTC Smart lançou um SO proprietário. Convém lembrar que a HTC foi a primeira marca que nos mostrou que um smartphone também pode ser um telemóvel para o dia-a-dia com o belo HTC Diamond.

O Desire é neste momento o topo de gama da HTC no que ao Android diz respeito e tem em suas mãos a responsabilidade de lutar contra a referência, leia-se iPhone4, equipado com um Snapdragon a 1ghz, 576MB de RAM, Android 2.2 e HTC Sense, o Desire vem munido para o que der e vier.

Principais especificações:
– Processador: Qualcomm Snapdragon QSD8250 1 GHz processor
– Memórias
– RAM: 576MB
– ROM: 512MB
– Slot para micro SD até 32Gb
– Conectividade
– Wifi b/g/n
– GPRS/HSDPA/HSUPA
– Bluetooth 2.1
– Multimédia
– 3.7’’ 800*480 AMOLED display
– Multitouch
– Trackball óptica
– Conector Jack 3.5mm
– Sensor de proximidade e acelerómetro
– Bússola
– Câmara 5mpx com vídeo 720p@30fps
– HTC Sense UI
– Radio FM

Primeiro Contacto

A caixa do Desire é das já habituais “coffin-like box”, em forma de paralelepípedo bastante compacta e com impressão em tinta de soja. Na caixa podemos encontrar as main features, um parágrafo sobre o Desire e os ícones de algumas aplicações para que nos irmos habituando.

Aberta a caixa encontramo-lo protegido por plásticos com advertências sobre a utilização do touchscreen. Para termos acesso aos acessórios temos de levantar a plataforma onde se encontra o Desire, como se de abrir uma caixa se tratasse. Os acessórios são apenas os essenciais, transformador, cabo micro-usb para transferência de dados e alimentação, earphones com comandos para o media player, e um microSD de 4gb (class2); os manuais de utilizador são há muito inexistentes dando lugar a um guia de acesso rápido e aos termos da garantia.

Quando finalmente pegamos no Desire o primeiro aspecto que nos chama a atenção é a espessura, é fino, depois talvez a textura que é muito suave ao toque, e por fim a solidez.

Na parte da frente do Desire podemos ver o brilhante (literal e metaforicamente falando) ecrã emoldurado numa frame de alumínio, os principais botões (home, menu, trackball com botão de selecção, back e search) e o auscultador que dá um toque de personalidade ao terminal.


No verso não há muito que ver, o módulo da câmara (com uma “lente” protectora – inédito na HTC), o flash LED, o altifalante e o logótipo da HTC, que dá a entender uma disputa com a maçã.

Os botões de aumentar e diminuir o volume encontram-se no lado esquerdo e o power/hibernador no topo do Desire, no lado direito não há nenhum botão, dando a entender que já fazia falta um dedicado para a câmara.


Em Detalhe

Assim que ligamos o Desire, e esperamos algum tempo para que ele arranque, vai nos ser pedida a nossa conta do Google apps, a partir de aí tudo vai ser sincronizado nos dois sentidos, contactos, emails, calendário, etc, para tal fará falta que tenhamos uma ligação à internet, seja ela 3G ou wi-fi… Embora este passo seja igual em todos os Androids.

Terminada a sincronização vamos finalmente ter acesso ao Sense UI, e o primeiro contacto é logo com o widget relógio/estação metereológica que tanto furor fez e que a tantos ports deu origem.

Esse mesmo relógio tem a capacidade de reproduzir animações de acordo com o tempo no nosso local, o que não é nada de indispensável, mas serve para impressionar os menos geeks.

O Sense UI tem 7 homescreens em vez dos habituais 3/5 dos Androids mais vulgares, e mesmo com todos os 7 carregados de widgets o Snapdragon não dá parte fraca, o que denota a optimização que a HTC fez para o seu hardware.

A dockbar dá-nos acesso ao telefone, a todas as aplicações e ao menu de adição de widgets. Para além disso tem uma bolha que nos indica o homescreen onde estamos. Quando tentamos remover um widget o botão do telefone dá lugar a um caixote do lixo para onde teremos de arrastar o dito widget.

Falando de widgets a HTC inclui uma panóplia deles. De modo a facilitar-nos a vida dispomos de interruptores (para o wifi, gps, 3g, so on), relógios com os mais variados desenhos, mostradores das cotações de bolsa, calendários, mostradores de mensagens/emails, twitter, e o novo friendstream que agrega as várias interfaces sociais dos nossos contactos numa janela só.

Com 7 homescreens e tantos widgets, o toque final da personalização tem de ser os wallpapers, e nesse aspecto o Desire traz um pack de livewallpapers que interagem ao toque ou ao som.

Telefone e Contactos

Apesar de tantos avanços tecnológicos é importante lembrar que um smartphone continua a ter como principal função a telefonia, e é sobre essa que vamos falar agora.

O marcador do Sense UI deve ser o melhor que vi até hoje, e acreditem pois por mim já passaram vários terminais com os mais diversos SO. A integração do registo de chamadas com os contactos numa só aplicação é uma ideia genial, e a procura rápida através do teclado numérico é de bradar aos céus (para quem está confuso, por exemplo se eu marcar 686 no teclado numérico vai-me aparecer o contacto Nuno por ex).

Ao pressionarmos o contacto abre-se uma janela que nos dá acesso ao contacto, ao registo, a enviar uma mensagem, a adicionar aos favoritos e à sua eliminação. Se carregarmos no cartão-de-visita, o marcador vai encaminhar-nos para o perfil nos contactos.

Já nos contactos somos mais uma vez obrigados a bater palmas à HTC pela perfeita sincronização destes com redes sociais como o facebook, twitter, flickr, etc e tudo fica adicionado ao nosso cartão-de-visita, emails, data de nascimento, actualizações de estado, álbuns nas redes sociais, e está tudo disponível com apenas deslizar um dedo.

No ecrã de chamada vai nos ser apresentada a imagem de perfil do contacto, a sua última actualização de estado, a opção para activar o altifalante e desligar o microfone, um botão para chamarmos o teclado numérico e outro para irmos ao contacto que estamos a telefonar. O controlo de volume é feito com o rockr lateral.

Mensagens

Antes de falarmos das mensagens em si gostava de falar de algo que é indispensável ao uso das mensagens, falo do teclado. Existem vários teclados para o Android e a HTC tinha de ter um próprio, e embora me considere um utilizador avançado algo que nunca substituí foi o teclado nativo do Sense. É bem desenhado e vai aprendendo à medida que vamos escrevendo, guardando as palavras que usamos mais de modo que ao fim de 2 ou 3 teclas premidas já tenhamos a palavra desejada seleccionada, depois é só dar ao espaço et voi lá. Podemos errar em 4 ou 5 teclas que se o nosso erro não estiver muito afastado ele 90% das vezes acerta na palavra desejada.

As mensagens no Desire são organizadas por tópicos, onde cada contacto tem direito a um tópico. Dentro dos tópicos as mensagens são organizadas por ordem de chegada/envio, e dentro dessa ordem são ainda separadas por dias.

A aplicação Mensagens da HTC ainda não tem visualização por balões de fala (o que já vai sendo um standard em aplicações de terceiros), dessa forma é mais fácil identificar as mensagens pelas fotografias dos contactos.

Para transformarmos uma sms numa mensagem multimédia basta pressionar uns segundos o campo de inserção de texto para nos aparecer uma janela com os tipos de ficheiros que podemos adicionar à mensagem.

A experiência com o Gmail é a mesma que com qualquer outro Android. Os emails são recebidos no instante e, o mesmo acontece com o seu envio. O Exchange também funciona ao instante e a sua configuração é feita em três tempos.

O Peep é a aplicação da HTC para o Twitter e funciona na perfeição, para além disso disponibiliza-nos alguns widgets para o nosso ambiente de trabalho de modo a que estejamos sempre em cima do acontecimento.

O único serviço de IM suportado out-of-the-box é, como seria de esperar, o Gtalk, embora no Market não faltem alternativas para nos ligarmos ao Windows Live ou até ao chat do facebook.

Internet

Navegar com o Desire descreve-se numa palavra: funcionamento, isso mesmo, o browser por defeito do Desire já inclui suporte nativo para flash. Para os que estão mais habituados a navegar com um smartphone, ver que as páginas renderizadas pelo terminal são exactamente as mesmas a que estão habituados no computador é magnífico. Para além disso, a Google esmerou-se e podemos importar as nossas pesquisas feitas no computador para o navegador do telemóvel, desta forma temos as pesquisas mais à mão.

O carregamento das páginas é rápido, mesmo com o carregamento de elementos flash consegue ser tão ou mais rápida que o browser do iPhone4, que é para muitos a referência dos browsers móveis.

Sem zoom, o ecrã de 3.7’’ consegue mostrar muita informação da página web que queiramos visualizar, embora o facto de ser AMOLED com matrix PenTile torna um pouco difícil ler as letras mais pequenas sem zoom.

O zoom-in/-out pode ser feito de duas maneiras, com o multitouch, o com duplo click no ecrã, de ambas as formas o Desire vai reformatar o texto de modo a que caiba no ecrã sem ser necessário scroll horizontal. Isto é imensamente útil à hora de ler um ou outro artigo mais extenso.

Seleccionar texto com o Desire é simples como carregar sobre o texto, este ficará marcado de cor verde com dois pins em cada ponta, pins esses que servem para limitar o texto que queremos seleccionar bastando para isso desliza-los sobre o ecrã. Tudo isto é facilitado com uma lupa, que nos ajuda a ver o que temos seleccionado. Com o nosso texto já seleccionado temos a barra de ferramentas que nos permite partilha-lo nas redes sociais, email, ou sms; a função de cópia para a área de transferência; e a função de pesquisa, que como o nome indica procura no Google ou wikipedia o nosso texto seleccionado.

Marcar uma página nos favoritos é simples como carregar no “menu” e seguidamente no “adicionar marcador”. Os marcadores mostram em pequenos quadrados o aspecto da página a última vez que a visitamos, desta forma é muito mais rápido encontrarmos o marcador que procuramos.

O navegador da HTC suporta até 6 separadores abertos ao mesmo tempo e para abrir uma ligação num separador novo basta pressiona-la e na janela que aparecer seleccionar “abrir em nova janela”. Os separadores abertos podem ser consultados com a tecla “menu” e botão “janelas”, depois é só deslizar e seleccionar a janela pretendida.

Chrome to phone

O Chrome to phone deve ser a feature que mais uso do Android 2.2, consiste numa aplicação para o terminal e um add-on para o nosso browser, seja ele firefox ou chrome. Por este andar já devem perceber do que se trata. Basicamente o add-on vai adicionar um botão ao lado da barra de endereços que quando pressionado envia a nossa página actual para o browser do smartphone. Funciona extremamente bem e é de grande utilidade.

Multimédia

Música

A aplicação Música incluída no Sense UI é de uso intuitivo graças ao belo arranjo gráfico. No ecrã de reprodução temos acesso às principais funções de um leitor de MP3, no topo temos os controles de shuffle e repeat, no meio a capa do álbum que estamos a ouvir, por baixo desta as tags e a barra de pesquisa, finalmente no fundo temos os botões que dão acesso à biblioteca (esquerda) e à playlist(direita) para além do play/pausa e do anterior/seguinte.

Navegar na biblioteca baseia-se em deslizar sobre a dockbar, o que nos vai dar acesso aos vários separadores nomeadamente: Artistas, álbuns, playlists, músicas, géneros, compositores e, adquirido. Os restantes menus sobre esses separadores são equivalentes aos de qualquer mp3.


Quando em reprodução, o player deixa uma notificação na barra de notificações que nos diz o que estamos a ouvir, e nos dá acesso à aplicação; o lockscreen também vai adquirir a capa do álbum como fundo e são adicionados os skip buttons e o play/pause, de modo a que não seja necessário desbloquear o terminal para trocar de música.

A qualidade de som é razoável e o volume medíocre, o som do altifalante é baixo e sem profundidade, neste aspecto o Desire peca bastante.

Fotografias e Filmes

A Galeria permite-nos ter acesso às fotos e filmes que temos no microSD, ou às fotografias dos nossos amigos no facebook/Flickr.

As fotografias/imagens encontram-se organizadas de acordo com a pasta onde se encontram no cartão de memória. Após seleccionarmos um álbum este vai abrir-se na última foto, depois é mais do mesmo, deslizar para mudar de foto, click para a seleccionar e multitouch para o zoom.

Os vídeos encontram-se também disponíveis na Galeria, embora tenham direito a uma aplicação vídeos onde estão todos reunidos. A utilização desta aplicação é semelhante às outras, embora num vídeo em reprodução não possamos fazer zoom. O reprodutor de vídeos aguenta bem a reprodução de vídeos até 720p (capturados com a câmara), embora seja uma pena que não tenha suporte para Divx, o que quer dizer que se não queremos utilizar aplicações de terceiros para reproduzir filmes, séries, (so on) temos de converter os vídeos para mp4.

Neste aspecto convêm realçar que graças ao ecrã AMOLED, ver uma fotografia ou um vídeo no Desire é incrível, as fotos tem cores tão vivas que parecem saltar do ecrã, e os vídeos tem um aspecto fabuloso.

Câmara

Já vários HTCs passaram pelas minhas mãos, desde o p3300 ao hero , passando pelo Diamond, e algo que eu ultimei é que HTC e câmara são dois termos incompatíveis, no entanto no Desire é diferente, sendo este o primeiro HTC a ter uma lente protectora sobre a câmara e se não estou em erro o segundo a ter flash LED.

O software da câmara vem apetrechado de funções como: contraste, saturação, nitidez e, selecção de ISO. Estas funções funcionam de verdade e servem para optimizar as nossas fotos, não estão apenas ali para fazer malabarismos.

Embora não tenha modo Macro, o AF do Desire consegue impressionar com os close-ups.

Para os que acham o AF coisa do passado, a câmara do Desire permite-nos escolher o que focar bastando para isso clickar no ecrã, para além dessa função ainda temos o face detection.

Nota importante, de modo a conseguir fotos rápidas sem grandes “arrastamentos” o melhor é configurar a ISO para 800.



Ficheiros originais das fotografias e vídeo: Download (54,73MB)

A captura de vídeo pode ser feita em vários formatos e resoluções, e graças ao update lançado há pouco tempo pela HTC já é possível gravar vídeos a 720p@30fps, que não são bem na verdade 30fps, talvez por causa do microSD fornecido ser apenas de class2.

Para além de 720p, temos as seguintes resoluções: WVGA (800*480), VGA (640*480), CIF (352*288) e QVGA (320*240); os codecs disponíveis são: MPEG4, h.264 e h.263.

Durante a gravação de vídeos o autofocos está desligado, sendo toda a cena gravada com a focagem no momento imediatamente anterior à gravação, no entanto o flash LED pode ser ligado e desligado em qualquer instante.

Bateria

Aqui reside o grande calcanhar de Aquiles deste smartphone, a bateria do Desire apenas tem 1400mAh, portanto os saudosistas que estão sempre a invocar “aquele telemóvel que aguentava uma semana” podem seguir para outras paragens.

Considerando-me um utilizador árduo dos meus smartphones o máximo que consegui aguentar sem carrega-los foi dois dias (Hero e Xperia X1), com o Desire isso é impensável, é mais, se sairmos de casa as 9 da manhã e estivermos a manhã toda com wifi ligado, sincronização sempre ligada, ver umas páginas web e mais alguma coisa fazem com que a bateria se drene rapidamente, podendo fazer falta recarrega-la ao meio-dia. Naqueles dias em que o uso é mais ligeiro e é mais à base de umas chamadas, uns poucos emails, sms, e fotos a bateria aguenta bem um dia, e é possível que à noite ainda tenham uns 30% para gastar, o que sobre o meu globo ocular é bom.

Uma solução adoptada pela grande comunidade de utilizadores do Desire é andar com uma bateria sobressalente, ou adquirir uma bateria de maior capacidade, só que isso implica maior grossura e só aí já se perde o charme do Desire.

A carga é feita em mais ou menos hora e meia, quando ligado ao transformador, pois ligado ao computador poderá ir até às duas horas e meia, sensivelmente.

Conclusão

O HTC Desire é um grande terminal, e de certeza que vai ser bem acolhido pelos utilizadores high-end graças ao seu hardware e, ao excelente trabalho que a HTC faz ao optimizar as distribuições de Android para o seu hardware tornando-os na simbiose mais fluída e limpa que vi e isto servirá certamente para mostrar que o Android não é só um sistema operativo para os mais geeks.


Likes
+Câmara com boa qualidade
+Experiência mais realista de internet fora de um pc
+Design e boa qualidade de construção
+Sense UI e todas as aplicações/widgets deste

Dislikes
-Ecrã ilegível ao sol e íman de impressões digitais
-Rápido escoamento da bateria
-Fraca qualidade do altifalante
-Falta de acessórios na caixa (protectores de ecrã, bolsas, carregador de carro…)

Artigos relacionados
0 Comentários a este artigo
  1. Uma review detalhadissima que demonstra todo o potencial desta bruta maquina.
    Para quem não se pode mandar ao Desire HD tem aqui uma das melhores opções que o mercado android tem para oferecer.
    Senti a tua falta Lili

  2. É mesmo uma máquina potentissima. Infelizmente o vicio é maior portanto estou a vende-lo, e a bom preço quem quiser detalhes que fale por cá.
    Obrigado pelos comentários hehe

  3. Smartphone excelente, acho que é dos melhores droids que anda por aí, pelo menos comparado com o GalaxyS que tive e nem durou 7 dias nas minhas mãos tão mau que era 🙁

  4. Obrigado Spiritous, por acaso foi dos telemoveis que mais gostei, mas já não o tenho. Está para breve a review ao Desire HD. Stay tunned

  5. AHAHA mods so de carcaxas!

    Software numca foi muito o meu forte, pois eu venho de um curso de artes numca tive coisa nenhuma ligada a informatica!

  6. O Htc desire relamente é um sr. aparelho, até que comece a reinciiar. Tenho um serie A8181. No início foi tudo maravilhoso, porém notava que ao navegar na web por alguns minutos, a bateria aquecia… Mas até aí tudo bem, o problema foi quando ccomeçou a reiniciar sozinho. Em princípio não dei muita bola, afinal um reinciio rápido, qual poderia ser o problema? Não sei, depois, começou a reinciar com uma frequencia cada vez maior… Até que hoje, o aparelho liga e funciona a hora que ele quer, pois na maioria das vezes, qualquer ação que se faça no aparelho, um chamada, ou entrar na internet, ele reincia e fica na tela branca…

    Estou comentando isto aqui, porqu egostaria de saber se alguém têm alguma idéia de como resolver o problema. Meu aparelho foi adquirido na UE, e me informaram que a HTC Brasileira não fornece assitência para aparelhos comprados no exterior.

    Agradeço por qualquer dica.

  7. Boa tarde Carlito

    Esse é um problema comum em alguma remessa de Desires, o que tem a fazer é mandar para a garantia e pedir substituição.

    Santo Natal para todos

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos