Home Hardware Caixas Corsair Graphite 600T

A Corsair é uma das marcas da moda. Há poucos entusiastas que não confiam à Corsair, algum componente do seu querido PC. A Corsair já é referência em memórias, SSDs, soluções de refrigeração a água sem manutenção, fontes de alimentação e mais.

Além dos seus produtos, a Corsair cuida bem do cliente e acaba por fidelizar mais tarde ou mais cedo pelo excelente suporte pós venda. Isto é dito por experiência e pelo que podemos seguir, por exemplo, no forum XtremeSystems ou no Hexus.

Um dos campos onde a Corsair entrou recentemente e tem conseguido desenvolver produtos muito bons e que correspondem ao ideal dos utilizadores é no mercado das caixas. Começou em força com a imponente Obsidian 800D e desde ai tem diversificado para chegar praticamente a todos os bolsos.

Uma das séries que a marca tem promovido é a Graphite, caixas a bom preço mas sem perder pormenores de construção e características que puxam os clientes, apenas deixaram de ser construídas em aluminio.

Para esta review temos a Corsair Graphite 600T, uma caixa que tem impressionado o mercado apesar de ser a primeira vez que a marca lança uma caixa mid-tower. Inicialmente existia apenas o modelo em tons mais escuros semelhantes a grafite mas entretanto a Corsair já lançou uma edição especial em branco, com janela transparente na lateral.

Não se deixem enganar pela designação de mid-tower porque a Corsair esticou as medidas ao máximo e até conseguiu incluir praticamente todas as características de topo que encontramos numa full-tower. Em termos de design houve algumas mudanças e o aspecto de armário só com linhas rectas não está presenta nesta série, tornando-a numa caixa com aspecto mais desportivo e elegante.

Embalagem e Conteúdo

A Corsair optou por enviar esta caixa numa embalagem de cartão, sem criar grande impacto visual através de cores. Mas como há quem diga que o tamanho interessa, esta embalagem é maior do que a de muitas full-tower, incluindo da CoolerMaster HAF X.

Na frontal da embalagem podemos ver um modelo da 600T só para deixar água na boca. É engraçado ver como num desenho tão simples é possível ver algumas características tão bem implementadas pela Corsair.

Nas laterais da embalagem, o que encontramos são as especificações da caixa.

Ao rodar a embalagem, podemos ver na traseira um diagrama com as várias peças que compõem a caixa e uma legenda para conhecermos os detalhes.

Para protecção durante o transporte, a 600T vem encaixada em suportes de esferovite e coberta por uma capa.

A fazer companhia à nossa caixa nova, temos o saco dos acessórios. Entre parafusos para diferentes aplicações, espaçadores para as ventoinhas ou radiador e as fitas para arrumação de cabos, ainda encontramos alguma literatura da Corsair, incluindo um panfleto que nos indica que não devemos devolver o produto à loja em caso de problemas mas sim contactar a marca.

O slogan para esta série é “Brilliant Design, Inside and Out”, vamos lá dar uma olhada nisso e ver se se aplica.

Considerações sobre o Exterior

Neste modelo a Corsair optou por linhas mais arredondadas do que na série anterior e um acabamento a imitar a grafite, com um ligeiro brilho. A construção é ferro e tem várias partes em plástico. Mas o melhor disto tudo é que a caixa apesar de ser mais substancialmente mais barata que os modelos em alumínio, tem um toque excelente e não parece de fraca qualidade, pouco durável ou barata.

Para uma mid-tower a 600T tem umas dimensões extremas, quase 51cm de altura por 26,5cm de largura e uma profundidade de 59cm se estivermos a olhar para a frontal, 507mm (H) x 592mm (L) x 265mm (W).

Olhando para a frontal, o que mais se vê é a rede metálica que cobre a zona das quatro baías 5.25” e a zona dos discos, que tem capacidade para seis discos 3.5” ou 2.5”. À volta desta área temos uma cavidade que dá um aspecto completamente diferente à caixa. Além do aspecto, dá muito jeito pegar na caixa o que é bom para quem mexe no sistema várias vezes, seja para ir a LANs, fazer manutenção ou trocar de hardware. Ainda na frontal, é fácil identificar onde está a divisão para a zona dos discos. Por trás da grelha, que funciona como filtro de pó, está uma ventoinha de 200mm com LEDs brancos. O filtro é fácil de remover, é só fazer pressão e esta solta-se, através de mola.

Há aspectos interessantes em vários pontos da caixa, por isso podemos passar maiores painéis, obviamente as laterais da Corsair 600T. Ambas as laterais são rigorosamente iguais, sem qualquer abertura ou janela. A Corsair escolheu um sistema com dois de clips gigantes em cada lateral para trancar e destrancar os painéis. Uma escolha arriscada em termos de design mas que acaba por resultar bem neste modelo tanto no aspecto visual como em funcionalidade. Para abrir, é só empurrar ambos os clips para baixo e o painel solta-se.

O topo da 600T começa com o painel I/O com quatro portas USB2.0, uma porta USB3.0, FireWire, os jacks para microfone e áudio, um regulador de ventoinhas com quatro canais e os habituais botões da ligar e reiniciar o sistema bem enquadrados no design da caixa.

Daí para trás novamente a rede metálica, que é a tampa para um espaço onde podem ser instaladas ventoinhas. De origem, a caixa traz uma ventoinha de 200mm com LEDs brancos na parte interior da caixa. Se repararmos bem, existem umas fechaduras perto das laterais. Com uma chave que acompanha a 600T, podemos trancar as laterais para que seja impossível remover. Isto é ideal para ambientes muito movimentados como LANs ou algumas demonstrações onde há probabilidade de desaparecem, por mistério, alguns componentes.

Ao olhar para a traseira da caixa podemos ver novamente a cavidade à volta da estrutura central da caixa. Para refrigeração a Corsair optou por uma ventoinha de 120mm e para quem prefere utilizar um sistema de refrigeração externo, existem dois passa-tubo com borracha para esse efeito. As tampas das oito baías de expansão têm pequenas aberturas para promover a circulação de ar. Ao fundo da caixa, a área da fonte de alimentação que permite escolher entre duas posições diferentes. Mas à partida deve montar-se com a ventoinha para baixo, de forma a aproveitar o filtro de pó removível que existe nessa zona.

A parte de baixo da caixa não assenta completamente. O que fica em contacto com a mesa ou o chão, são quatro pés em borracha que aparecem a par em cada zona lateral. Por baixo do suporte da fonte de alimentação está o tal filtro de pó removível.

Considerações sobre o Interior

Ouvem o rufar dos tambores? Bem… Vamos a isso!

O interior da Corsair Graphite 600T é completamente preto e organizado. O tray da motherboard é o primeiro aspecto a destacar-se. Tem demasiados cortes com protecções em borracha para passar cabos. No total são onze cortes mas três destes não tem borrachas no contorno.

Além dos cortes para os cabos, ainda existe um corte muito grande na zona do CPU da motherboard, para que seja possível trocar de dissipador (se tiver backplate) sem remover a motherboard da caixa. Este espaço também ajuda a circulação do ar quente nesta zona crítica.

Nas quatro baías 5.25” disponíveis nesta caixa, o sistema de fixação é simples e não requer ferramentas ou parafusos mas é ligeiramente diferente dos que temos visto ultimamente, para melhor.

Por baixo, temos dois suportes para discos 3.5” e 2.5” que utilizam o habitual sistema de gavetas. Cada um dos suportes dá para três drives. Há várias formas de disposição destes suportes, podemos colocar um em cima do outro, um ao lado do outro, remover um deles ou mesmo ambos. Esta operação está à distância de dois parafusos.

No fundo da caixa temos então a zona da fonte de alimentação, que ficará apoiada em dois suportes ligeiramente sobrelevados mas que estranhamente não têm nenhuma borracha ou espuma para absorver vibrações. Pelo contrário a Corsair optou por um sistema de fixação que segura firmemente a fonte no lugar e que é ajustável para vários tamanhos de fontes disponíveis no mercado.

Aqui podemos ver as oito baías de expansão e reparar que a do topo é diferente das restantes. A abertura é para passar o cabo USB3.0 vindo do painel frontal.

No topo da caixa vem instalada uma ventoinha de 200mm mas a Corsair preparou este espaço para um radiador de 240mm, para quem pretender montar um sistema de refrigeração a água sem recorrer a cortes adicionais na caixa ou soluções externas.

Entre a lateral e o tray da motherboard existe bastante espaço para acomodar os cabos da fonte de alimentação.

Breve Montagem

Esta caixa foi desenhada para todo o tipo de utilizadores. Cada tipo de utilizador, novato ou mais experiente, vai apreciar as características da 600T à sua maneira. Em termos de montagem esta mid-tower é espaçosa e praticamente não precisamos de ferramentas. Vamos então montar um sistema gaming bem potente e ver se a caixa tem algum truque.

Montar primeiro a fonte de alimentação dá a possibilidade de preparar o caminho para os cabos sem grande confusão. O sistema de fixação funciona bem e é compatível com as fontes mais longas como a HX-1000. Apesar da fonte estar afastada do fundo da caixa, não podemos esquecer de limpar o filtro de pó regularmente para garantirmos que a fonte recebe ar fresco.

Montar a motherboard é com os habituais stand-offs mas foi pena a Corsair não incluir legenda para sabermos onde colocar os parafusos dependendo do formato de motherboard. Neste exemplo usámos uma ATX.

A instalação dos discos 3.5” é muito fácil, é só colocar o disco na gaveta e faze-la deslizar para dentro do suporte. No caso de discos 2.5” já é preciso aparafusar o disco à gaveta e remover um dos pinos que vem originalmente, tal como temos visto nas caixas que temos analisado recentemente.

Para quem tem drives ópticas, para desmontar as tampas que vêm de origem, é só apertar duas patilhas que se encontram pelo lado interior e empurrar. Para instalar basta deslizar as drives e elas automaticamente ficam trancadas na posição correcta.

Não é difícil arrumar os cabos entre o tray e a lateral. Apesar de ter sido uma montagem expresso, a lateral não ficou empolada nem nada com a pressão dos cabos. Por falar em cabos, reparem que todos os cabos são de cor preta e que os conectores para ligar as ventoinhas ao controlador do topo da caixa, é preciso remover as tampas.

Na escuridão de um escritório gaming, dá para ver as várias luzes na caixa mas a intensidade, felizmente, não é exagerada e é sempre branca. A luz vem da ventoinha frontal, no painel I/O tanto o botão de ligar como o LED de actividade do disco dão luz e a ventoinha do topo também tem LEDs brancos.

Conclusão

A Graphite 600T da Corsair é uma caixa da qual se espera muito. Especialmente por ser sucessora da tão bem série Obsidian. Para uma mid-tower, a 600T consegue incluir grande parte das melhores características que a marca já tinha apresentado, tornando-a versátil, fácil de utilizar e uma escolha opção excelente para entusiastas.

A qualidade de construção é boa e a grande diferença para a construção em alumínio está no preço porque esta caixa não se mostrou frágil em nenhum momento da avaliação. Tanto a pintura exterior a imitar grafite com ligeiro brilho como a pintura a preto no interior estão bastante bem conseguidas.

Apesar de ser compatível com refrigeração a água e até ser possível instalar uma radiador de 240mm no topo da caixa, não há muitas opções que respeitem a espessura que a caixa permite sem bater na motherboard.

Para montar um computador completo nesta caixa não há qualquer dificuldade, não precisamos de grandes ferramentas e sem puxar muito pela imaginação é fácil esconder cabos de forma a melhorar a aparência e também a circulação de ar.

No entanto, a refrigeração da caixa não é a mais eficaz do mundo, mesmo que esteja arrumada. As ventoinhas de 200mm acabam por comprometer o desempenho para garantir o silêncio a qualquer velocidade. Como a caixa também é bastante grande interiormente, devia ter mais uma ventoinha ou ventoinhas prontas para mover maior quantidade de ar.

O preço recomendado está nos 140€ mas por terras lusas vamos encontrar por um pouco mais. Já há várias caixas full-tower nesta ordem de preços e as mid-tower costumam ser substancialmente mais baratas mas a Corsair tem aqui uma caixa à altura. Não se esqueçam que já está disponível uma edição especial em branco e com janela lateral.

Aqui vai uma pergunta aos possíveis compradores: Quem é que vai comprar por ser fã Corsair e quem vai comprar pelas suas características sem olhar à marca? E já agora, quem considera esta série é melhor que a Obsidian?

Fica o agradecimento à Corsair por ter cedido este sample para review.

0 Comentários a este artigo
  1. Gosto imenso! Pura elegância e uma superioridade no que diz respeito à qualidade muito notória. A Corsair está definitivamente no bom caminho! Quanto ao preço, é tudo uma questão de investimento. Neste caso, um BOM investimento, a meu ver.
    Obrigado por nos teres trazido mais uma boa review de um produto de topo Marco!
    Parabéns

  2. excelente caixa, excelente review, fotografias… já estamos perante a 24-70? lol

    opah qual é o peso da caixa vazia? acho que ainda não vai ser esta que vai subtituir a P180… 😛

  3. Estava a ver que não aparecia uma caixa que me enchesse as medidas! Esta sim, era uma possível compra, e por já a ter visto ao vivo, considero mesmo um must have! Pena o preço cá em Portugal.

    Mais uma vez, excelente review! E as fotos ficaram um must, tudo graças ao poder de concentração do Marco, e umas aulas com o professor Bambu Kuduro, cof…cof….

    Abraço!

    • Muito porreira esta mid-tower Corsair. Bate-se bem com algumas full tower 🙂 Não tenho faltado às aulas não e até aprendi a passar a ferro! Tudo em prol das melhores fotografias! Só me falta mesmo um bom vidro…

  4. Excelente review malta!

    Só não gosto dos suportes dos discos : pois são algo frágeis e volta e meia até vêem completamente mal colocados / torcidos, mas de resto excelente qualidade e bom design!

    Cumprimentos

    • Acho que é um mal menor tendo em conta a facilidade com que utilizas os suportes. Em algumas das caixas que analisei anteriormente os suportes eram tão rígidos que tinha de ir almoçar antes de conseguir tirar ou colocar um disco e ainda dava cabo dos dedos durante o processo :mrgreen:

  5. Boas,
    Estamos na presença de uma caixa de excelência tal como a Corsair os tem habituado mas desta vez com uma relação qualidade/preço muito boa, devido ao facto de não ser de alumínio (coisa que para mim não faz grande diferença). Em termos de desempenho a caixa deve aproximar-se de uma Cooler Master HAF-932 ou de uma HAF-922, devido ao tamanho de ventoinhas que inclui. Pessoalmente, consideraria esta caixa na minha lista de opções embora actualmente não troque a minha caixa actual por nenhuma que exista no mercado.
    Queria mais uma vez felicitar-te da excelente review que escreveste.
    Um abraço 🙂

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos