Home Periféricos CM Storm Trigger

Introdução
A CM Storm, marca gaming associada à nossa tão conhecida Cooler Master, lançou no mercado o Trigger, um teclado mecânico com a missão de se debater com os produtos da concorrência no acto de oferecer ao utilizador final a melhor performance, durabilidade e fiabilidade do mercado. O LILIREVIEWS já vos apresentou a vários produtos deste género e, é acima de tudo com estes que o Trigger vai travar as suas maiores batalhas sendo que o valor é praticamente o mesmo. Para quem apanhou este artigo “por aí” e se pergunta o que raio é um teclado mecânico e porque haveria alguém, no seu perfeito juízo e num tempo de crise como este, derreter mais de uma centena de euros num teclado que faz exactamente o mesmo serviço do que o pack Rato + Teclado sem fios da Genius que está na prateleira da loja Worten mais próxima? Pois bem, um teclado mecânico possui um switch individual para cada tecla, o que significa que vamos possuir um mecanismo próprio sempre que carregamos.

Por outro lado, os teclados dos portáteis e teclados “low cost” utilizam o sistema Dome-switch onde todas as teclas utilizam a mesma membrana que, dependendo do seu circuito fará a ligação aos restantes componentes do teclado. Os teclados mecânicos apresentam várias vantagens para o utilizador final sendo que algumas delas se destinam em particular a um público gamer derivado aos diminutos tempos de resposta que os teclados mecânicos têm, levando a uma diminuição enorme entre o tempo de acção e da dita reacção no jogo. Jogos à parte, os teclados mecânicos possuem um “feel” que muitos utilizadores acabaram por reconhecer como único e indispensável enquanto escrevem, aliando-se todas estas features e mais algumas à enorme durabilidade que estas peças podem atingir.

Posto isto, está então na hora de passar ao artigo e dar-vos a conhecer mais acerca deste Trigger que chega certamente com os seus trunfos na manga face à vasta concorrência de um mercado cada vez mais “Gamerizado”.

Embalagem e Conteúdo
O CM Storm Trigger vem embalado numa caixa bastante compacta para o tamanho do produto em si sendo que, na parte frontal desta podemos rapidamente identificar o tipo de tecnologia que é utilizada no seu fabrico (Cherry MX Black), o layout da versão em questão, uma imagem em tamanho real do teclado sem o apoio montado e 3 das mais importantes features que este produto tem para oferecer. Além de tudo isto, a embalagem possui também uma pequena janela por onde podemos ver algumas teclas e ter uma noção real do que estamos a comprar antes de o fazer.

Já na parte traseira da embalagem, a CM Storm decidiu utilizar várias línguas diferentes e colocar todas as features do teclado bem como 3 fotografias elucidativas acerca das que consideram mais pertinentes e chamativas ao utilizador final.

Depois de aberta a embalagem e retirado todo o seu conteúdo podemos ver que contamos apenas com o teclado em si, o apoio de braços que pode ou não ser colocado no mesmo, os habituais manuais de instruções e o cabo de ligação que a CM Storm decidiu ser de dupla ligação para facilitar o seu transporte, montagem e desmontagem.

Em Detalhe
O Trigger é um teclado grande e não aconselhável a quem não possui um espaço algo abundante em frente ao monitor e ao lado do rato. Além de grande é muito pesado, o que acaba por adicionar muita estabilidade e conforto quando estamos a escrever ou a jogar com alguma intensidade. Tamanho e peso à parte, o cinza sobre preto é um esquema de cores que nos convenceu sendo que, quando ligado, os LEDs vermelhos do Trigger lhe conferem um aspecto muito interessante e chamativo a qualquer interessado neste tipo de produtos.

Destacando-se à primeira vista está o logótipo da CM Storm no canto superior direito e as 5 Macro Keys logo por baixo. Além disso, apenas mais um logótipo no canto superior direito, sendo que o que resta são teclas na sua aparência já habitual. Um teclado de aspecto simples mas, na nossa opinião, eficaz.

Do lado oposto, o Trigger conta com 2 pés de apoio que podem ou não ser utilizados e várias protecções em borracha para evitar que o teclado nos “fuja” no calor de uma batalha ou na produção de um trabalho que já devíamos ter acabado!

Mais ao pormenor, as teclas do Trigger são de uma qualidade tremenda e só mesmo quem tem oportunidade de lhes carregar é que pode efectivamente comprovar isso. De qualquer das formas, fica o testemunho de de alguém que testou e gostou. Escrever e jogar num teclado mecânico é algo que nunca vamos querer perder depois de experimentarmos.

Cada tecla tem um toque diferente dependendo da utilização que lhe é dada. O espaço, por exemplo, sendo uma tecla muito utilizada, tem um toque muito duro e consistente sendo que além de aumentar a sua durabilidade em muito, acaba por se tornar mais confortável e responsivo. ~

Tal como já referido, existem várias tecnologias utilizadas no fabrico destes teclados. O Trigger utiliza o sistema Cherry MX Black ao qual ficámos rendidos até agora. Depois das teclas, ainda há que referir o facto do Trigger ter duas portas USB na parte traseira que poderão servir para ligarmos algumas Pen drives ou algo com baixo consumo energético. Se quisermos carregar um telemóvel ou utilizar um disco rígido externo teremos de ligar uma alimentação (não incluída no bundle da CM Storm).

Este teclado possui várias teclas que têm influência directa no tipo de iluminação, juntamente com todas as teclas multimédia que já estamos habituados a ver. Para a utilização destas, teremos de pressionar primeiro o botão CM Storm que se encontra no local da tecla Windows. Como se trata de um teclado gaming, a tecla Windows está desactivada por default e só poderá ser ligada por software. Utilizando estas teclas conseguimos alterar entre vários níveis de intensidade de luz dos LEDs vermelhos e até trocar de iluminação total para apenas o W A S D, teclas macro e setas direccionais enquanto jogamos First Person Shooters.

Software
O software que a CM Storm desenvolveu para este teclado não é nada de transcendente e possui apenas aquilo que já estamos habituados. Podemos configurar, editar e criar macros que podemos guardar no próprio teclado utilizando a sua memória interna para que posteriormente o possamos levar para qualquer lado e não termos de ter esse trabalho novamente. Existem vários perfis que podemos utilizar sendo que todos estes poderão ser trocados com recurso apenas ao software.

Podemos ainda escolher o papel de qualquer das teclas individualmente do teclado e atribuir-lhe o que quer que queiramos para que se adapte ao máximo às nossas necessidades. Quando o software detecta o teclado, no entanto, pode demorar até 30 segundos para carregar as macros e definições pessoais, o que deixará o teclado inutilizado durante meio minuto. Tal espera torna-se bastante chata quando iniciamos o PC e queremos saltar logo para uma página web ou responder à Instant Message de alguém importante. Pode tornar-se frustrante ao longo do tempo.

Tirando esse aspecto menos bom, o software é suficiente e bem conseguido, estando disponível no site da CM Storm sem nunca estar livre de alterações e updates por parte da marca.

Conclusão
O Trigger é um excelente teclado e não deixará ninguém desiludido com a aquisição. A sua fiabilidade e qualidade de construção falam a curto prazo, enquanto a durabilidade e resistência vão certamente ser um ponto forte a longo prazo e, se tivermos em consideração que um teclado mecânico dura uma vida, estes 115€ de investimento podem não ser tão descabidos como pensávamos inicialmente.

A compra de um produto deste tipo, no entanto, recai muito sobre o tipo de utilização que fazemos dele e, talvez não se venha a justificar se não escrevermos muito ou jogarmos de forma muito regular. Se for o contrário, então deve valer a pena considerar pois quando se experimenta algo deste tipo raramente se quer voltar atrás.

Durante algum tempo de utilização, este sample do Trigger demonstrou dificuldades em ser reconhecido à primeira pelo sistema, o que nos leva a pensar que poderá ser uma questão que afecta a nossa unidade apenas. De qualquer das formas, vantagem para o cabo de dupla ligação que facilita o “desligar/ligar” para que o sistema reconheça o Trigger e possamos começar a escrever com normalidade.

Despeço-me agradecendo à Cooler Master por nos ter cedido um sample do Trigger.

E vocês? Investiam num teclado desta qualidade? Se sim, porquê?

0 Comentários a este artigo
  1. Eu investiria, primeiro pela alta qualidade e duração de um produto destes! se bem cuidado ele pode durar para sempre! logo o preço já o justifica, sem contar todos os outros recursos como “macros, backlight, descanso de pulso, hub usb e claro, por ser uma teclado mecânico!

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos