Home Notícias Asrock faz magia em processadores com multiplicador bloqueado

Há algum tempo atrás era possível comprar um processador relativamente “barato” e espremer dele todo e qualquer Hz que se conseguisse com overclock para atingir a performance de um topo de gama. Isso foi em 2009, e foi a ultima vez que foi possível fazer OC a um processador não K ou a um core i3 qualquer.

Em 2011 a arquitetura Sandy Bridge chegou e assinou a sentença de morte ao overclock como o conhecíamos. Se quiséssemos fazer OC a um Core i5 era necessário comprar um 2500K, o que era mais caro de que a versão normal, cerca de 20% mais aro que as versões mais amigáveis para a carteira.

Até os Core i7 sofriam o mesmo fado, para os i7 a Sandy Bridge  vinha em dois sabores, o 2600 e o 2600k, amo0s a 3.4GHz mas a versão k chega sem suor ao 4.5Hz, um aumento de 32% sem esforços.

Por outro lado, os Sandy Bridge realmente baratos, os Core i3, nunca receberam uma versão k, e isto manteve-se verdade até à atual geração de processadores Intel.

Há muitas razões para se querer fazer overclock, seja para ver até onde conseguimos chegar com o hardware ou para atingir uma performance maior por menos euros.

Com a chegada da Skylake chegaram fortes rumores que os processadores não K poderiam ser “acelarados” através de um base clock ajustável, mas isso nunca se revelou verdade.

Não é preciso sonhar mais! Dentro do circulo dos entendidos do overclock persistiu que através do BCLK poderia ser uma realidade, mas esta realidade estaria dependente dos fabricantes de motherboards, estes tiram de ser capazes de descobrir maneira de ultrapassar as restrições da Intel.

Asrock

Ontem à noite a Asrock contactou a imprensa para dizer que tinha um update de BIOS capaz de ultrapassar as ditas restrições. A magia da Asrock permite alterar o base clock de todos os processadores Skylake não k. Isto é, qualquer motherboard Asrock Z170 será capaz de fazer overclock em Pentium G4400, G4500, G4520, Core i3-6100, i3-6300, i3-6320, Core i5-6400, i5-6500, i5-6600 and Core i7-6700.

Isto pode ser parcialmente explicado com o facto de os processadores Skylake não prenderem a sua frequência base a outras partes do sistema tal como o barramento PCIe, o que significa que ire alem dos 100MHz não irá causar instabilidade no resto do sistema.

Por exemplo, o Core i3-6100 tem um BCLK de 100MHz, com um multiplicador de 37, fo que significa uma velocidade de 3700MHz.

O multiplicador fica inalterado, neste caso será sempre 37, mas podendo alterar a frequência base para 127 MHz como nos benchmarks que a Techspot realizou, é possível atingir atingir os 4699MHz, uma aumento de 1GHZ num processador que não deveria ir além daquilo que o fabricante queria.

Foi dito que este update estará disponível para os utilizadores em breve, resta saber qual será a reação da Intel.

1 Comentário a este artigo
  1. […] No fim de semana passado trouxemos algumas noticias entusiasmantes sobre o progresso da Asrock no que toca ao overclock em processadores Skylake não K. A marca demonstrou todo um novo potencial num i5-6600 com recurso a uma motherboard Z170 e uma BIOS especial, hoje essa BIOS, como a nova feature SKY OC, foi disponibilizada e permite ao comum dos mortais realizar overclock num processador não K. […]

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos