Home Notícias AMD revela detalhes da R9 Fury X

Hoje a AMD tirou o véu aos detalhes que ficaram por revelar sobre a R9 Fury X na passada terça-feira, dando-nos o perfil completo da sua topo de gama de 650€.

R9 Fury X

A primeira característica da R9 Fury X é a sua memória revolucionária, a High-Bandwidth Memory (HBM).

Tradicionalmente a memória tinha de ser distribuída pelo pcb da placa à volta do GPU, o que ocupava bastante espaço, com a HBM, a memória é “empilhada” verticalmente e conectada ao GPU, em suma, requer muito menos espaço e também permite uma maior largura de banda na memória, juntando velocidades de clock reduzidas a uma interface de memória ridiculamente grande.

 high-bandwidth memory

No caso da R9 Fury X a memória atinge o 1Gbps, o que parece pouco comparado com os tradicionais 7Gbps presentes na rival Nvidia, mas enquanto que a memória da Nvidia assenta sobre um bus de 348-bits, a AMD oferece com a HBM um bus de 4096-bits, o que dá um total de 512GBps de largura de banda à R9 Fury X, deixando a GTX 980 Ti a comer pó com os seus 336.5GBps.

 

Specs R9 Fury X

A “pegada” extremamente reduzida deste tipo de memória permite à AMD enfiar uma data de tecnologia nos seus GPUs Fiji, são 4096 stream processores e 8.9 biliões de transístores, mais 9 milhões que a Titan X. Com um clock de 1,050Mhz é capaz de nos servir com 8.6 Teraflops de performance computacional.

A R9 Fury X é alimentada por um par de conectores de 8 pins e 275 Watts em cenários de maior esforço, muito semelhante à energia requerida pela 980 Ti (250W).

A AMD forneceu uns benchmarks, que claramente deverão ter sido realizados de forma a não deixar mal a R9 Fury X, estes benchs comparam a 980 Ti à Fury X, e as configurações usadas para os realizar estão disponíveis aqui.

bench R9 Fury X vs GTX 980 Ti

Esta gráfica foi feita para o overclock, e por isso a AMD lançou também benchmarks mostrando alguns ganhos de performance depois de um oc de 100MHz na R9 Fury X. Não nos podemos esquecer que a Fury X é arrefecida a água e a 980 Ti a ar, até dia 14 de Julho apenas poderemos imaginar como uma Fury X se comporta no overclock a ar.

R9 Fury X overclock

Detalhes de design da R9 Fury X

A R9 Fury X suporta water cooling totalmente integrado, como já mencionado. Arrefece todos os elementos da placa eliminando a necessidade de uma ventoinha na mesma, o que permitiu eliminar a grelha de exaustão na parte de trás e permitiu fechar a “caixa” da placa, selando e impedindo que o calor do resto do computador interfira com o arrefecimento da mesma, segundo os representantes da AMD.

amd-radeon-fury-x-cooler-100592005-large

O loop fechado é desenhado pela AMD e pela Cooler Master, com um radiador de 120mm  e uma ventoinha Nidec Gentle Typhoon. Esta ventoinha atinge as 3000rpm, mas geralmente opera apenas a metade disso.

Segundo a AMD este sistema mantém a gráfica nuns confortáveis 50ºC, com o ruído na casa dos 37Db.

O design é tão único que os parceiros da AMD (como a Asus, MSI e Sapphire) não serão capazes de personalizar a gráfica com as suas próprias soluções de cooling, o que significa que serão praticamente iguais independentemente da marca que a esteja a vender. Estes parceiros poderão sim brincar com a R9 Fury arrefecida a ar que será lançada em Julho.

amd-radeon-fury-x-front-view-100592009-large

A R9 Fury X mede 19 cm e é construida com alumínio níquel tingido de preto, com um gloss espelhado no esqueleto e as laterais com  preto soft. E sim a R9 Fury X trás backplate!

amd-radeon-fury-x-backplate-100592008-large

Na face e lateral da placa existe um logo da RADEON iluminado a LED, bem como 8 pequenos leds localizados acima dos conectores à fonte, estes 8 leds, ou “GPU tach”, como a AMD lhes chama, funcionarão como um tacómetro e responderão ao esforço da gráfica. Um nono led verde acender-se-à quando a tecnologia ZeroCore da AMD suspender a gráfica.Em termos de portas, vão existir 3 DisplayPorts e também uma porta HDMI 1.4a, ao que parece a ausência de HDMI 2.0 limitará o refresh rate a 30Hz quando se estiver a usar 4K.  Com um hub de DisplayPort esta gráfica é capaz de trabalhar com 6 ecrãs em simultâneo. O design dá gráfica também afirma a predisposição desta para o oc, com um switch de dual BIOS, 6 fases de energia desenhada com 400 amplificadores e a interface SVI2 para o regulador de voltagem, que permite brincar com as settings através do PowerTune da AMD. Os conectores de 8 pins suportam até 375W, isto é pedir para sofrer overclockamd-radeon-fury-x-split-view-100592012-large

Para terminar, a Fury X suporta todo o software que seria de esperar, desde directx 12 e API Vulkan, FreeSync, Virtual Super Resolution, PowerTune e o novo frame rate targeting control que permite defenir um frame rate máximo de saída para reduzir o consumo e energia, a AMD também disponibilizou benchmarks com o FRTC
amd-radeon-fury-x-frame-rate-limit-100592122-large

 

2 Comentários a este artigo
  1. A “pegada” extremamente reduzida deste tipo de memória permite à AMD enfiar uma data de tecnologia nos seus GPUs Fiji, são 4096 stream processores e 8.9 biliões de transístores, mais 9 milhões que a Titan X. Com um clock de 1,050Mhz é capaz de nos servir com 8.6 Teraflops de performance computacional. EU AMO COMER “biliões” COM BATATINHAS E COCA COLA. NÃO SEI COMO PODEM ESCREVEREM TÃO ERRADO E TEREM TRABALHO.

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos