Home Hardware AMD Phenom II X4 840

Introdução

Recentemente a AMD lançou para o mercado um novo processador da série Phenom II, o X4 840. Este é mais uma solução que a AMD apresenta para fazer frente à concorrência. Mas será que a fabricante de processadores tem aqui uma proposta competitiva? É isso que vamos tentar descobrir.

Antes de continuarmos, vamos conhecer um pouco mais sobre o fabricante, a AMD.

A AMD (Advanced Micro Devices) é uma empresa norte-americana fabricante de circuitos integrados, especialmente processadores. Os seus produtos concorrem directamente com os processadores fabricados pela Intel. O seu produto mais famoso na década de 1990 foi o processador Athlon, utilizado em computadores pessoais.
Conhecida pelos seus processadores x86 e x86-64; K5, K6-II, K6-III, Athlon, Duron, Sempron, Athlon 64 (arquitetura de 64 bits), Sempron 64 (também com arquitectura de 64 bits), Opteron (para servidores) e Turion 64 (para notebooks), a AMD também fabrica circuitos de uso mais geral, como os encontrados em calculadoras e dispositivos electrónicos. Alguns dos seus circuitos são encontrados também entre os usados pela Apple nos seus novos produtos, como o Mac mini.
A AMD começou a produzir circuitos lógicos em 1969, em 1975 entrou no mercado de circuitos integrados para memórias RAM. Nesse mesmo ano também foi introduzido no mercado um microprocessador clone do Intel 8080, usando a engenharia reversa para tal. A AMD também produzia outros tipos de circuitos integrados para uso em minicomputadores de arquitecturas variadas.
Houve várias tentativas de diversificar os seus produtos, atingindo áreas da arquitectura RISC (com o processador AMD 29K), dispositivos de áudio e vídeo e memórias flash. Nem todos esses ramos de produtos atingiram a rentabilidade esperada, portanto a AMD focou seus esforços nos mercados de processadores de arquitectura x86 e memórias flash, que eram respectivamente os mercados principal e secundário da Intel na época, colocando AMD e Intel em concorrência directa.
Em 2004 e 2005 a AMD foi pioneira ao lançar os primeiros processadores 64 bits do mercado.
A 24 de Julho de 2006 a AMD compra a ATI Technologies, uma das maiores fabricantes mundiais de placas gráficas, num investimento calculado em 5400 milhões de dólares.

A AMD introduz no mercado um novo membro da série Phenom II X4 800, da qual há muito tempo não se ouvia falar. Porém, este não é um processador qualquer. A fabricante de processadores decidiu misturar o núcleo Propus da família Athlon II com a marca Phenom II. O que difere este processador da família Athlon II é apenas o nome uma vez que as características são semelhantes. Já as diferenças entre esta “nova” série 800 da “antiga” é o facto de este não ter cache L3, ao contrário dos anteriores modelos que viram a cache L3 reduzida para 4Mb. Portanto, o que temos aqui é um processador que tem velocidade suficiente para entrar na gama Phenom II (e tendo em conta que este é o primeiro, daqui para a frente a velocidade tende a aumentar) mas com um preço extremamente competitivo fruto da “herança” Athlon II.

Resumindo, estamos perante um processador Quad core barato, baseado nos núcleos Propus da família Athlon II mas a funcionar a 3200Mhz, o que o coloca dentro do segmento Phenom II. Esta é a revisão C3 do núcleo o que lhe confere um TDP de apenas 95W. O multiplicador tem um limite máximo de 16x e daí para a frente é sempre a descer, ou seja, para alterar velocidades somente no BUS. A voltagem do sample fornecido estava nos 1.375v. Finalmente, este é um processador compatível com socket AM2+, o que significa que suporta, entre outras coisas, DDR2, tornando-o uma excelente opção para quem quiser actualizar a sua máquina antiga.

Especificações

Estas são as características técnicas do processador:

Number of cores: Quad
Core Codename: Propus
Socket: AM2+/AM3
Core Speed: 3200Mhz
L2 Cache: 512Kb/core
Process Node: 45nm
Core Die Size: 168mm2
TDP: 95W

Fotos

Pois bem, o processador chegou-nos sem caixa nenhuma, versão tray, mas podem ficar descansados que se comprarem a versão retail inclui um dissipador normal, o manual e a garantia. Porém, aproveitou-se uns artigos da AMD para a sessão fotográfica.

Testes…

O sistema usado foi o seguinte:
AMD Phenom II X4 840
GSkill Ripjaws F3-12800CL9D-4GBRL 2x2Gb 1.5V DDR3 1600
XFX Radeon HD4890 1GB
Kingston SSDNow V+ 64GB
GIGABYTE 870A-UD3

Corro cada teste sete vezes e aponto todos os resultados. Elimino o valor mais alto e o mais baixo e faço a média com os restantes cinco. Esse é o valor final. Se houver valores muito altos ou muito baixos, repito os testes outra vez. Se se verificarem, isso é assinalado. Entre cada sequência de testes faço um boot à máquina.

AIDA64 Extreme Edition

Com este software são testadas as memórias e o processador. Verificam-se as velocidades de leitura, escrita e cópia, e a latência das memórias. Também se testa as velocidades de leitura, escrita e cópia das diferentes caches do processador, assim como as suas latências.

Uma vez que já tínhamos feito testes a outros processadores foi útil comparar os diferentes resultados. Neste caso, o 840 coloca-se exactamente entre um X3 e um X6, o que seria de esperar uma vez que a velocidade de processamento também se situa entre os dois. No entanto não deixa de atingir um bom resultado.

Super Pi

O Super Pi todos nós conhecemos e usamos mas sabemos para que serve? O programa calcula o valor de pi com um número de casas decimais até um máximo de 32 milhões. Logicamente que quanto mais rápido o fizer melhor. Assim testamos processador e memória.

Mais uma vez, o resultado obtido situa-o entre os dois processadores previamente testados.

WinRAR

O WinRAR é outro programa que usamos habitualmente. Serve para comprimir e descomprimir ficheiros para tamanhos mais pequenos (ou não). É um programa interessante para usar como teste porque é uma daquelas ferramentas que podemos usar no dia-a-dia. Aqui testamos a velocidade com que o processador executa a tarefa usando a totalidade das threads que dispõe.

Mais uma vez, um bom resultado, muito na linha do já esperado.

x264 HD

Este teste mede a velocidade de codificação de um pequeno filme HD para um formato de grande qualidade em x264. Aqui, quanto mais frames por segundo obtivermos, mais rápida é a codificação. Existem duas passagens: a primeira analisa os frames e a segunda é que faz efectivamente a codificação do ficheiro. Uma não existia sem a outra.

Também neste teste o resultado esteve em linha com os anteriores, situando-se entre o X3 e o X6.

Cinebench 11.5

Este software teste o aspecto gráfico e o processamento multi-thread ou single-thread. Neste caso foi testado o OpenGL e o multi-thread.

Aqui há uma pequena nuance. Uma vez que a placa gráfica usada nestes testes não foi a mesma usada nos anteriores, é natural que o resultado obtido no teste OpenGL seja um pouco inferior. No entanto, é melhor que o valor obtido com o X3 com uma 5870. De qualquer maneira, obteve-se o esperado.

3DMark Vantage

Este software testa o desempenho gráfico. Quanto mais elevado o valor, melhor o desempenho. Este é um dos testes mais exigentes e mais usados.

Mais uma vez, o resultado é influenciado pela placa gráfica, no entanto, nota-se que o processador ajudou a que o resultado não fosse muito mais dilatado.

The Last Remnant

O jogo The Last Remnant é um RPG com efeitos gráficos espectaculares. Achei por bem usar um tipo de jogo diferente de um FPS.

Outra vez o problema de usar uma gráfica diferente. No entanto, o resultado obtido continua a ser muito satisfatório.

Resident Evil 5

O Resident Evil 5 é um FPS muito recente. Uma vez que durante a acção chegamos a ter o ecrã pejado de zombies e afins, é um bom teste ao desempenho.

Aqui a diferença entre o X3 e o X4 é muito pequena, apesar da diferença das placas gráficas, o que leva a concluir que o processador está a fazer um óptimo trabalho.

Overclock

O IntelBurnTest (IBT) é um programa extremamente agressivo para o processador. O que o programa faz é simplificar a utilização do Linpack (que é outro software desenvolvido pela Intel para puxar pelo processador) e testar a estabilidade do processador. Diz-se que não há programa que puxe tanto pelo processador do que este, o que o torna ideal para testar a estabilidade. Se passar este teste estará pronto para tudo. De notar que as temperaturas irão disparar.

Neste gráfico aparecem dois valores, o verde mais escuro refere-se ao resultado do IBT sem overclock e o verde mais claro refere-se ao resultado com overclock. O que temos aqui é um aumento de desempenho na ordem dos 19%, o que é bastante bom. Mas e de quanto foi esse overclock?

Ora aqui estão os quadros. No primeiro temos os valores de origem, 3200Mhz e 1.375v, e no segundo o overclock, 4000Mhz e 1.6v. Muito impressionante tanto na velocidade atingida como na voltagem suportada. Este processador atingiu este valor bastante alto sem muito esforço e utilizando como base uma motherboard que, à partida, não seria a mais indicada para aventuras overclockianas, uma Gigabyte 870A-UD3. Mas o que é certo é que se aguentou muito bem. Podem ver o resultado validado aqui.

Mas isto foi mexendo nas voltagens. E se não mexer nas voltagens, até onde conseguimos ir? Também foi testado e a velocidade máxima atingida foi 3760Mhz. Um resultado bastante bom para um overclock tão simples de fazer. Se fosse na motherboard da MSI seria tão simples como rodar um botão…

Conclusão

Não há muito a dizer sobre este processador uma vez que os testes falam por si. Devo começar por dizer que, a este preço, é uma das melhores soluções do mercado. Tem tudo para ter sucesso. É suficientemente rápido para executar todas as tarefas diárias sem problemas. Para jogos, como se pode ver, ajuda no que pode gráficas mais antigas. E em termos de overclock… E ainda vou tentar esticá-lo mais um pouco e tentar bater uns records.

Os pontos menos bons serão, sem dúvida, o facto de não ter o multiplicador desbloqueado e não ter cache L3, mas a desculpa será sempre a mesma: por este preço não podemos pedir muito mais.

E por falar em preço… O valor de mercado deste processador situa-se nos 100USD, ou 74€, o que na realidade deve dar cerca de 110€ no mercado nacional… Mesmo assim é um valor relativamente baixo para o valor geral do processador. Se fizermos as contas, um sistema novo baseado neste processador pode ficar por menos de 500€ e com um desempenho excepcional. Mais uma vez a AMD conseguiu uma óptima relação qualidade/preço.

Resta-me agradecer à AMD por nos ter cedido este exemplar para testarmos.

0 Comentários a este artigo
  1. se calhar é mais uma questão de marketing… sendo um Phenom II é um preço bastante baixo, se fosse um Athlon já não impressionava tanto… digo eu que não percebo nada de marketing.

    é uma cadeira de realizador quando o filme se passa na praia… lol

  2. @João Castelo, demorei a responder porque tive a testar o equipamento. A motherboard que usei tem efectivamente uma opção para desbloquear o CPU, mas não sei se o fará eficazmente, só comparando com um modelo mais avançado. De qualquer maneira resolvi testar para ver no que dava. E não dei nada, manteve-se com os 4 núcleos, o que até tem a sua lógica, uma vez que este CPU tem como base a tecnologia presente nos Athlon e não a tecnologia presente nos Phenom, ou seja, este CPU poderia ter até 4 núcleos, sendo que alguns desses 4 estariam desactivados, nunca o que dizes. Os screenshots que vi no site que indicaste mostram um 840T e um 940T que se transformam em 1405T que nunca ninguém ouviu falar. Ora esses processadores é que poderão efectivamente ser versões baseadas em Phenom mesmo, e não nos Athlon. Até porque, pelo que percebi, são processadores para empresas OEM, como a HP e assim.

    Agora o que eu consegui fazer foi esticar ainda mais este menino para lá dos 4200Mhz…
    http://valid.canardpc.com/show_oc.php?id=1668622

    Excelente processador mesmo!

  3. Olá Filipe:
    Realmente há aqui alguma confusão que eu próprio também ainda não percebi…, passo a explicar, pelos vistos existem 2 tipos de AMD Phenom X4 840 um deles chamado “Zosma” e outro chamado “Propus”, nós mandámos vir 3 unidades (fico sem saber de quais…) para montar numas máquinas novas com motherboards que permitem o desbloqueio de processadores de 6 núcleos, 4ª ou 5ª feira já te posso dizer qualquer coisa…
    Posso-te dar um avançozinho de que os processadores Opteron “Magny–Cours” de 8 núcleos permitem o desbloqueio para 12 cores, pelos vistas alguém está a desenvolver uma bios nesse sentido.
    Dentro de alguns dias saberemos se ganhámos um concurso para uma workstation que leva 2 cpu Opteron 6168 de 12 núcleos e um disco Revodrive X2 de 100Gb (e outras coisas mais, é claro), se o meu colega fizer algum teste eu mando-te os resultados e umas fotos.
    Confesso que nunca dei conversa ao pessoal que faz testes e põe na net ou nas revistas porque para a moior parte dos “reviewers” só existe Intel, Asus, Kingston, Thermaltake e… pouco mais, mas como vi um grande entusiasmo em relação á AMD, e como gostei, quis participar, peço desculpa se de alguma forma for chato.
    Cumprimentos a todos

    • nada chato, estas questões são mesmo para se colocarem para que nós, deste lado, possamos também melhorar as nossas análises. isso é muito importante. Pelo que eu estive a ler, o die Zosma e o die Propus são muito diferentes. o Propus é o die usado nos Athlon e, como sabes, só existem ainda com um máximo de 4 núcleos. O Zosma é um novo die que introduz a tecnologia TurboCore nos processadores AMD Phenom II. Basicamente os Zosma são processadores Thuban de 6 núcleos onde 2 deles estão desactivados. Não esquecer também que os processadores Zosma se diferenciam dos outros pela letra T depois do número, daí talvez a tua confusão. Assim sendo, o CPU que estarias a falar seria um AMD Phenom II X4 9xxT. Pela notícia que me mostraste no link anterior, estão a ser entregues a empresas OEM para distribuição antes de entrarem no mercado retail.

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos