Home Notícias Xiaomi e Huawei ultrapassam Apple em vendas

lilireviews-comparison

Há mercados que, graças à sua dimensão, conseguem cativar mais que outros e o mercado Chinês é um desses onde a Xiaomi e a Huawei acabam de ganhar um lugar de destaque, relegando a Apple para segundo plano. Os resultados do segundo trimestre de 2015 mostraram para a maioria das marcas um crescimento elevado, com números recorde a serem apresentados.

lilireviews-xiaomi

Claramente que o primeiro mercado de aposta de crescimento é a China, um mercado que apenas há pouco tempo se abriu a algumas das marcas, mas que há já algum tempo que se tem mostrado muito interessante.
A Apple tinha já na China um lugar de destaque, mas agora foi ultrapassada por duas concorrentes, com dimensões reduzidas, quando comparadas com a sua dimensão.

chart

Os números que sustentam esta mudança nos lugares cimeiros são apresentados pela consultora Canalys e dizem respeito ao último trimestre deste ano.
lilireviews-huawei
Impressionantemente o salto que a Xiaomi e a Huawei deram no mercado, deve-se à mão de obra barata e ao consumo eterno que se maçónica pela enorme população nativa. A Xiaomi tem agora o lugar de topo nas vendas no território Chinês, com 15.9% de market share. É seguida de muito perto pela Huawei que conseguiu puxar a si 15.7%.

lilireviews-iphone
A Apple, número um desta lista nos dois últimos trimestres caiu agora para o terceiro lugar. A Samsung e a Vivo estão, respectivamente, no quarto e quinto lugar.
Apesar de surpreendente a força que estes duas marcas assumiram, a Huawei e a Xiaomi apresentaram nos seus resultados para o trimestre um novo valor record de vendas de dispositivos móveis.

chart2

Sendo um mercado que se adapta a novos modelos e a novas ofertas, é natural que esta tabela sofra novas mudanças os próximos trimestres. São esperadas várias novidades por parte da Huawei e pela própria Xiaomi, mas as restantes marcas não vão ficar de braços cruzados. A Samsung tem já para a semana a apresentação dos novos modelos.
Depois de ter entrado em força no mercado Chinês, a Apple acaba por sofrer agora a pressão da concorrência, que a consegue bater, relegando-a para posições mais baixas nas tabelas de vendas.

Artigos relacionados

Deixar um comentário

Outros Artigos