Home Móvel Review Razer Nabu

Pontuação
Utilização - 6
Design - 9
Software - 6
Preço - 4

Razer Nabu foi o hype da altura, a Razer saiu-se lindamente com os Blade e continuou a apostar fora do seu habitat natural. O Nabu parecia promissor, exclusivo e inovador. Mal a o BETA test iniciou, em poucas horas desapareceram os escassos Nabus colocados à venda a um valor simbólico de forma a possibilitar o contributo da comunidade na sua produção e debugging. Passado muito tempo e já muito melhorados, o Nabu e o Nabu X estão finalmente disponíveis a todos e eu, em particular, utilizei um durante toda esta semana e vou dar-vos a conhecer todo o aspecto bom e menos bom deste misto de fantasticóterrível equipamento. razer nabu

Se achavam que por ser uma pulseira de alta tecnologia, a Razer iria esquecer-se de caprichar na embalagem, enganaram-se. Parece mentira mas estes senhores, com a maior atenção ao detalhe e design de embalagens que alguma vez vi, não deixam escapar nenhuma oportunidade para impressionar e criar o efeito amor à primeira vista.

Até podia vir uma batata já velha e enrrugada lá dentro mas, de tal forma bem embalada e protegida que iria certamente rasgar sorrisos desde o início da abertura, até ao vislumbre da mesma. A qualidade dos materiais aplicados e a forma como se desenham os compartimentos onde vêm os manuais e acessórios é também pensado ao pormenor e, neste caso, até o efeito anel de noivado foi bem conseguido, tendo a Razer a certeza que proporcionará vários pedidos de casamento com troca de Nabus em vez de alianças.

razer nabu

Vamos então tirar Nabus da púcara e descobrir se este faz jus à embalagem ou todo o hype em torno desta nova trend não passou disso mesmo, e 120 euros por uma pulseira é tão mau como soa.

razer nabu

Quando achamos que o M nos vai assentar bem e depois de comprar andamos a tropeçar na camisa ou a encher as mangas compridas de sopa porque alguma coisa falhou, o molde falhou, o standard não é o nosso. É o que me parece ter acontecido com o Razer Nabu. Esta versão M/L parece mais XL/XXL e, mesmo utilizando o adaptador para o dito M, continuo com medo que me caia do pulso no momento em que encolho os dedos para fazer algum movimento do quotidiano. Tendo em conta que o público feminino também poderá ser alvo de gadgets como este, acho bastante complicado os tamanhos serem tão esticados e tenho a certeza que dará azo a muitas devoluções. Quando a experimentei a primeira vez, ainda com o adaptador L, assustei-me de tão desproporcional que aquilo ficava no meio de um pulso escanzelado e questionei-me se não haveria forma de o ajustar ao meu tamanho ou, pelo menos, algo que se pudesse aproximar disso. Felizmente, descobri numa reentrância da magnifica embalagem um adaptador para o tamanho M, que troquei com elevada facilidade, descobrindo então que o Nabu já não me ficava estupidamente grande, mas continuava a parecer que sim.

razer nabu

De facto, uma coisa que usamos todos os dias, deveria ser suficientemente ajustável e bonita, ao ponto de querermos usá-la SEMPRE, porque é fixe, porque é prático, porque é útil, porque gostamos. E quando gostamos não nos esquecemos nem temos vergonha quando algo, em público, desliza pulso abaixo e chama a atenção de toda a gente, nem sempre pelos melhores motivos. Se comprarem um Nabu, comprem primeiro S/M que deve servir e não vai chocar ninguém.

Tirando o problema do tamanho, o Nabu é super confortável. Os materiais são bons e maleáveis e muito facilmente nos esquecemos que o estamos a usar, não sendo outra coisa de esperar de um artigo que nos acompanha diariamente. Resta apenas saber se os materiais maleáveis e confortáveis duram tempo suficiente e, depois desse tempo, podemos substitui-los com facilidade para dar longevidade ao nosso Nabu em vez de ter de comprar um cada trimestre.

Utilização

O fundamental tópico, o que leva o geral consumidor a adquirir um produto deste gabarito é a sua utilização e tudo aquilo que esta pode oferecer e facilitar. No final de contas, querem saber porque é que haveriam de comprar um Razer Nabu e gostavam que eu partilhasse da melhor forma que consigo a minha experiência com um exemplar.

Utilizei o Razer Nabu durante uma semana e as conclusões tirei-as no primeiro dia. Confortável e muito útil nas notificações do smartphone evitando arriscadas e sucessivas levadas da mão ao bolso durante aulas ou trabalho, filtrando tudo o que não é importante daquilo que realmente queremos retribuir ou saber no momento. A vibração com 3 níveis de intensidade, tal como a velocidade do texto das notificações no ecrã totalmente programável ajuda o Nabu a ser a perfeita ponte de informação entre mim e o telemóvel, apesar de não conseguirmos interagir directamente com ele através do Nabu, tal como maior parte dos smartwatches do momento. Além dessa possibilidade, o Nabu permite-nos contabilizar os passos que damos e a distancia que percorremos diariamente, fazendo uma estatística, tal como a aplicação Health no iPhone e outras equivalentes no Android.

razer nabu

Além disso, uma das grandes vantagens do Nabu seria a facilidade com que nos conseguiríamos conectar com alguém com o mesmo aparelho, sendo que para isso só nos era necessário apertar as mãos e, automaticamente começaríamos a seguir essas pessoas em varias redes sociais e trocaríamos contactos de uma forma muito rápida e eficaz. O problema reside no facto de não o ter experimentado porque, claro está, ninguém mais que eu conheça tem uma pulseira de mais de 100 euros a não ser Pandoras bem recheadas e essas, não têm Bluetooth.

razer nabu

Na verdade, o Razer Nabu deixa tanto a desejar como pode parecer. Infelizmente, a Razer não foi capaz de obter os resultados que queria e tem disponível uma pulseira que oferece tanto ou menos que uma Xiaomi de 15 Euros e é esse o busílis da questão. As notificações no ecrã são uma vantagem que não valem a diferença de valores e o bom packaging não chega para todas as falhas de um produto claramente “ao lado”.

Talvez na época em que foi lançado o BETA, onde os Nabus podiam ser adquiridos por 50 USD e ainda o mercado das smartbands e smartwatchs estava pouco explorado, a análise fosse bem diferente mas, no final de 2015, uma smartband deste valor tinha obrigatoriamente que oferecer mais qualidade, melhor software e integração.

razer nabu

Já que falamos em software, a ligação entre o nosso smartphone e o Razer Nabu é feita através de uma App pouco trabalhada com opções limitadas e que requer uma ligação à internet para que possamos autenticar a nossa conta nos servidores da Razer para acedermos ao aparelho que temos no NOSSO pulso. A bateria pode ser monitorizada através dessa mesma aplicação que nos pode induzir em erro acerca da energia que ainda nos resta num dispositivo que pode ficar ligado até uma semana e, desta forma, vamos provavelmente esquecer-nos e ficar sem bateria a meio desta.

razer nabu

Por fim, o maior problema de todos! Não se desliga. Ou melhor, desliga, mas é preciso tirar dois cursos. Quando temos de perder tempo e paciência para desligar um aparelho pelo qual pagámos é mau sinal, principalmente quando este, em cima da mesa de cabeceira ou sobre outra qualquer superfície insiste em vibrar sempre que recebemos uma notificação e se torna mais incomodativo do que o filho do vizinho de cima a treinar sapateado ou do primo do do lado que veio mostrar o quão bem toca bateria. Não, não quero desligar o Bluetooth ao meu telemóvel, quero desligar a smartband e para que tal aconteça, tenho de a ligar ao cabo que, por sua vez, tem de ser ligado a uma fonte AC e me permitir desligar o Nabu para que possa descansar. Haverá certamente outras formas de evitar chatices mas não deveríamos ter de sequer as imaginar se a marca tivesse pensado em conceitos tão básicos como este.

Thumbs up para o design e conforto, mas esqueceram-se de uns botões importantes, não?

Conclusão

O Razer Nabu tem problemas crónicos desde o momento da compra, desde a altura em que temos de escolher o tamanho até à última vez que o utilizamos. Em todo o lado encontro contrariedades que me levam a não querer utilizar um produto destes diariamente e julgo que, só por isso e evitando falar no seu elevado price tag, é suficiente para que o investimento seja mau. É certo que nem todos os produtos são perfeitos mas, neste caso e tendo em conta a natureza do Nabu, era mesmo importante que trouxesse uma melhoria no dia-a-dia de tal forma acentuada que quase nos obrigasse a não nos esquecermos dela a carregar num canto da casa.

razer nabu

No entanto, até para acertar as horas eu perdi “horas” e que me leva a concluir que o Razer Nabu foi uma excentricidade da marca, uma tentativa de serem pioneiros de algo que os gamers, seu maior público, nunca procuraram e que não consegue rivalizar com um mercado ascendente deste tipo de gadgets. É também assustador pensar que uma pulseira em borracha poderá não aguentar muito tempo face ás adversidades do quotidiano como o tomar banho, o lavar a louça, o lavar o carro e até mesmo tratar do jardim, podendo tal conjunto de tarefas deixar uma smartband destruída em poucas semanas. Na minha modesta opinião, se puderem poupar o valor de um Razer Nabu, ficam a saber que será muito bem empregue num Mamba, Kraken ou num BlackWidow que esses sim, são for gamers, by gamers.

 

selo-6_3Pontos fortes

Gestão de notificações em ecrã

Confortável

Pontos fracos

Preço

Impreciso

App mal trabalhada

Nada intuitivo

 

Artigos relacionados
Razer Phone
0 481

Deixar um comentário

Outros Artigos