Home Periféricos Headphones Review ASUS Echelon Headset

Introdução

introdução_conclusão
Este é um dos headsets mais recentes da ASUS e na sua essência não passa de uns ASUS Orion com estética ligeiramente diferente. É um equipamento muitíssimo recomendado e que se aproxima bastante mais da área dos headphones no que toca à qualidade sonora.

Vindo da marca de que vem é também prometido um ótimo apoio ao cliente, que pode não ser preciso dada a qualidade de construção que a ASUS já nos habituou.

Especificações

Estilo: Over-ear
Conector: Jacks 3.5 mm
Driver: 50 mm
Microfone: Bi-directional
Sensibilidade dos headphones : 100 dB
Sensibilidade do microfone : -30 dB
Input Máximo: 50 mW
Resposta de Frequência: 20 ~ 20000 Hz
Impedância: 32 Ohm ± 3 %
Comprimento do Cabo: 2.5 mt
Cancelamento de ruído exterior: Passivo
Peso 268 g

Embalagem e Conteúdo

Como podemos constatar pelas imagens, a embalagem corresponde ao que estamos habituados a ver desta e de outras marcas. A face frontal e ambas as laterais apresentam o mesmo padrão utilizado no “paint job” do headset, o camuflado digital.

Os materiais vêm sem folgas no interior, o headset vem preso com arames ao material plástico que o suporta e o resto dos objetos vêm também bem embalados e acondicionados.

embalagem_1

embalagem_3

embalagem_2

Headset

Não será necessário um olhar muito atento para constatar que este headset é um ASUS Orion com pele diferente. O vermelho da edição normal é substituído por um cammo digital em tons de preto e azul-acizentado. O coating desta “pintura” tem a tradicional textura de borracha matte, não prende à passagem dos dedos, contudo é aderente. É de alguma importância referir que esta parece uma textura bastante sucetível a riscos e arranhões, mesmo que apenas com contacto leve.

headband

O almofadado que se intrepõe entre a cabeça e a headband, assim como as almofadas over-ear, é feito de pleather (imitação plástica de pele), porém ao toque, conseguimos sentir que não é do mesmo tipo de outros materiais rascas que partilham da mesma denominação. Em cima, o enchimento está tão bem colocado que leva a perguntar se se trata de foam ou da esponja vulgar que com que preenchem a esmagadora maioria das headbands, uma vez a forma encontra-se muitíssimo bem delineada e depois da utilização volta sempre ao mesmo lugar.

pads

As pads das orelhas já aparentam ter mais folga entre o enchimento e o “tecido”. Quanto a costuras, colas e afins, este equipamento mostra-se exemplar. Os almofadas estão num estado 100% impecável e o modo como estes aspetos estavam tão bem executados, leva a que retiremos a conclusão de que esses elementos estão sem dúvida alguma protegidos contra o contacto direto (conseguem-se achar se repuxar-mos o tecido, mas nunca em utilização normal qualquer coisa afiada lá chegaria) e feitas, então, para durar.

expansao_2

Como a esmagadora maioria de todos os headsets/headphones, também este tem um mecanismo que permite a extensão da headband, mecanismo esse que aquando da expansão/abertura mostra ser constituído por 2 lâminas metálicas e flexíveis de cada lado, justapostas com peças plásticas com as mesmas exatas dimensões com vista a assegura a integridado estrutural do sisstema, não afetando em demasia a flexibilidade.

expansão

Os materiais que alvergam as drivers são na sua maioria plásticos, isto é, se estivermos a considerar a zona exterior adjacente às pads, com exceção do mesh metálico à volta do “badge”. A mobilidade das drivers é unidirecional e tem uma amplitude a rondar os 45º.

cabos

Os cabos são braided e os jacks gold-plated. Os botões a meio do cabo são pequenos (a roda do som e o botão do mute), tanto que chegam a causar problemas dada essa característica.

microfone_2

Resta agora falar do micro e diga-se de passagem que não há imenso a referir sobre o mesmo. A haste é igual à do microfone retrátil dos SS Siberia V2, porém é ligeiramente menos maleável.

Utilização

Tomando em primeira consideração o conforto, este equipamento arrecada um grande “thumbs up”. O almofadado é de facto muito confortável. Podemos afirmar sem reticências, que estes chegam a superar os Steelseries Siberia V2 neste parâmetro, uma vez que os ear-pads são mais macios e mais largos (as orelhas não tocam em nenhuma parte das pads, apesar disso tocam na estrutura plástica coberta por um tecido muito fino que protege as drivers). A tensão lateral exercida na cabeça situa-se em níveis ótimos e para além disso, o próprio preso do headset é surpreendente por ser tão reduzido. Tudo isto se traduz em largos períodos de utilização sem qualquer tipo de fadiga.

Em relação ao som, os ASUS Echelon assumem-se como a incontestável melhor escolha para o seu preço, apesar de não o podermos comparar a headphones do mesmo custo.

O som está uns patamares acima do que costumamos encontrar no mundo dos headsets, bastante equilibrado, com um bocado menos de agudos do que seria desejável, mas com bons graves e médios. Um ponto menos positivo de fácil indentificação é o boost no bass, algo que uns adoram, mas que pessoas mais viradas para o mundo audiófilo e verdadeiros apreciadores de som detestam. Não é tão intenso como o bass de uns Plantronics 380, mas é capaz de estragar algumas músicas cujos pontos altos são os vocais. Apesar disto, foi-me mais tarde confidenciado que o headset tem 10% de bass induzido e, portanto, facilmente vai ao sítio com um equalizador.

Focando agora a utilização em FPS, é passível de ser afirmado que o palco é grande (para o mundo dos headsets) e portanto temos uma boa noção 3D de tudo o que se está a passar quer seja num jogo mais simplista como o Quake Live, quer seja em algo mais intenso como no CS:GO, quer seja a anarquia sonora do Battlefield 4. Focando-me mais no Counter-Strike: Global Offensive notei sérias melhorias face a um dos headsets mais recomendado aqui em Portugal, era capaz de identificar a posição de um jogador através dos seus passos e tiros de um modo bastante mais acessível.

Para jogos MOBA, RPG, RTS serve a explicação dada mais atrás, uma vez que o som dos jogos que se inserem nestas categorias não acarreta mais peculiaridades que uma música ou um filme.

Dirigindo-me agora ao micro, o mesmo não perturba a visão com LEDs desnecessários sempre percetíveis e portanto incomodativos. O som gravado não é melhor nem pior relativamente à norma e não notei o problema muito relatado dos ASUS Orion, de também captar o som dos jogos.

Conclusão

Os ASUS Echelon são uma edição especial dos ASUS Orion e como tal a sua qualidade estende-se a estes. Com base na análise, concluimos claramente que este se headset encontra isolado no seu range de preços (por volta dos 60€) quer seja pela sua qualidade de construção, quer seja pela sua qualidade sonora.

microfone_1

É um equipamento sólido e robusto, sem quaisquer ruídos parasitas ou indicador direto ou indireto de fabrico barato/duvidoso.

O som deste equipamento é de facto surpreendente nesta área do mercado, onde as marcas muitas vezes optam por gastar mais na estética do equipamento em vez de o fazerem na principal função do headset.

A sua utilização revela o porquê de este ser dos modelos de headsets mais vendidos, uma vez que a sua qualidade não fica só presa na promessa da marca, mas passa sim para a realidade.

Resta-me deixar um agradecimento à ASUS, por ter facultado esta unidade para análise.

selo-9_5O bom

  • Qualidade de construção
  • Solidez
  • Conforto
  • Qualidade de som
  • Preço

O menos bom

  • Boosted Bass

0 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos