Home Hardware Discos OCZ Vertex 3 240GB

Introdução
A evolução deste tipo de tecnologia tem sido imparável e a par com os controladores NAND, a performance dos SSD começa a atingir proporções simplesmente diabólicas para dessa forma não se tornarem o bottleneck de um sistema de gama média/alta. A OCZ sempre foi pioneira na evolução desta tecnologia e depois de termos analisado o Vertex 2 controlado pelo SandForce 1200, chega-nos uma versão de topo do Vertex 3 que esconde um controlador Sandforce 2281, já aqui vislumbrado no Kingston HyperX.

Não é portanto nenhuma novidade para nós e sabemos muito bem que resultados esperar desta pequena maravilha. Nesta análise vamos também estender os testes a um portátil, sendo que o mercado de hoje em dia procura este tipo de produtos para equipar notebooks, ultrabooks ou até mesmo netbooks.

Embalagem e Conteúdo
A embalagem do Vertex 3 não foge muito ao que era esperado, mantendo-se fiel a toda uma gama de SSDs que a OCZ tem vindo a produzir há já muito tempo. A embalagem possui o nome da marca em grande, do lado esquerdo enquanto do lado direito desta podemos ler algumas das especificações destaque do disco, uma ilustração do próprio e o modelo subjacente no topo da mesma.

Na parte traseira podemos contar com uma breve introdução à história dos SSDs da OCZ e uma descrição do protudo em várias línguas, denotando a presença da língua portuguesa neste conjunto.

Após a abertura da embalagem damos de caras com o adaptador para 3,5” que acompanha o Vertex 3 cuidadosamente encaixado nas ranhuras da espuma protectora, tapando todo o material, exceptuando o pequeno saco de parafusos. Retirado o adaptador, temos então acesso ao disco em particular que vem envolvido por um plástico que o protege de possíveis humidades vindas do exterior mantendo-o assim seguro durante o processo de transporte e venda.

Além do material já enunciado, contamos ainda com o já habitual livro de instruções e o mítico autocolante “My SSD is faster than your HDD” da OCZ. Sem muito mais a dizer acerca dos acessórios, passamos então para a análise exterior do Vertex 3.

Em detalhe
O Vertex 3 possui um esquema de cores muito similar ao da embalagem onde vem acondicionado.

Os tons cinza escuros são predominantes sendo que o fundo é construído em alumínio escovado , dando um toque muito especial neste patamar do “look” que, no final de contas, pouco ou nada acaba por interessar à grande percentagem das massas.

Além disso, a OCZ colocou um autocolante identificativo no disco com a marca e o website da mesma, o modelo e a descrição do produto. Já no fundo do SSD podemos encontrar informações legais e avisos por parte da marca, bem como o código de barras e o número de série do equipamento. Para finalizar, o disco possui dois conectores para a energia e conectividade SATA.

Especificações

MLC NAND Flash
Interface: SATA 6Gbps / Backwards Compatible 3Gbps
Native TRIM support
Seek Time: .1ms
Slim 2.5″ Design
99.8 x 69.63 x 9.3mm
Lightweight: 77g
Operating Temp: 0°C ~ 70°C
Ambient Temp: 0°C ~ 55°C
Storage Temp: -45°C ~ 85°C
Low Power Consumption: 3W Active, 1.65W Idle
Shock Resistant up to 1500G
RAID Support
Included 3.5″ Desktop adapter bracket
Compatible with Windows 7, Vista, XP 32-bit/64-bit, Mac OSX
MTBF: 2 million hours
3-Year Warranty

O Vertex 3 está disponível na versão de 60GB, 90GB, 120GB, 240GB e 480GB conseguindo assim adaptar-se a todas as bolsas e possíveis necessidades. De notar que a OCZ oferece 3 anos de garantia neste tipo de produto demonstrando assim a confiança que tem no que produz.

Testes e resultados

Os programas de testes escolhidos para esta review foram:

Anvil Storage Utilities Pro
CrystalDiskMark 3.0
ATTO Disk Benchmark
AS SSD Benchmark
Utilizando o sistema:

Motherboard: MSI P67A-GD55
Processador: i5 2500K @ 4.2
Memórias: Kingston HyperX Genesis 2133MHz 4GB
Placa gráfica: 2x Radeon HD4870
Disco: SSD OCZ Vertex 3 240GB
Fonte de alimentação: Antec HCG 900W

O sistema operativo utilizado foi o Windows 7 Profissional x64.

AS SSD

CrystalDiskMark 3.0

Atto Benchmark

Anvil Storage Utilities Pro
Criado com base no famoso IOmeter, este continua a ser um dos benchmarks que melhor expressa a capacidade de um SSD, dado que nos permite configurar o tipo de compressão dos dados, ajustando a vários padrões, bem como ter uma maior base de dados de resultados de forma fácil e exata.

Começando pelo teste de 0% de compressão:

Com 46% de compressão, em média o utilizado pelas aplicações do dia a dia:

Na pior das hipóteses, isto é, com dados incompressíveis:

Depois de utilizado num desktop, decidimos testar o Vertex 3 num computador portátil para descobrir se a performance é equivalente e se podemos esperar o mesmo do hardware, ficando assim a saber se compensa fazer o mesmo tipo de investimento num portátil e que cuidados deveremos ter se realmente estamos dispostos a tal.

A instalação foi bastante fácil e com recurso aos parafusos que acompanham o SSD foi-nos possível ajustar o Vertex 3 ao adaptador que estava a ser utilizado pelo HDD 2.5” posteriormente. Depois de tudo fechado, foi instalada uma versão do Windows 7 Profissional x64 e foram efectuados exactamente os mesmos testes que anteriormente, nas mesmas condições.

AS SSD

CrystalDiskMark 3.0

Atto Benchmark

Conclusão
Tal como era de esperar, o Vertex 3 apresentou resultados muito bons quando testado no desktop. A surpresa foi de facto o excelente desempenho no portátil, sendo que era esperado uma grande quebra de rendimento nesse aspecto. O OCZ provou mais uma vez o que temos deixado claro em todas as análises e guias acerca de SSDs, que acaba por ser o upgrade mais vantajoso que se pode adquirir neste momento. É um facto que se trata de uma tecnologia cara e, no caso dos portáteis, 60GB podem não ser suficientes em maior parte dos casos, o que obrigará a um investimento extra para aquisição de um modelo de 120 ou 240GB.

No entanto, se ainda não possuem um computador portátil e pretendem adquirir um, tenham em consideração este upgrade, baixando um pouco à qualidade do processador e investir posteriormente num bom SSD irá reproduzir resultados muito superiores à da versão com melhor processador, por exemplo. Em suma, um SSD é sempre uma excelente aquisição e este OCZ não foge à regra de nenhuma forma. É um facto que esta tecnologia não vai parar de evoluir e vão surgir outros controladores no mercado capazes de velocidades superiores muito em breve. No entanto, se é utilizador de um HDD e nunca experimentou qualquer tipo de SSD, o LILIREVIEWS aconselha vivamente a que o faça!

Despeço-me agradecendo à OCZ por ter disponibilizado este Vertex 3 para a análise que leram.
Espero que tenham gostado, deixem a vossa opinião: E vocês, têm SSD ou pensam ter? O que têm a dizer acerca deste upgrade?

Pergunta para o passatempo LILIREVIEWS YouTube S01E00: o vertex 3 de 240 gb é o disco com mais capacidade da gama?

12 Comentários a este artigo
  1. Excelente review! Ainda não tenho um SSD no meu pc mas sei que tem de ser um dos próximos upgrades. O grande problema é, de facto, o preço por Gb. Pessoalmente, nunca poderia ter um SSD com uma capacidade inferior a 200Gb, o que torna as coisas mais caras…
    Uma das coisas que tenho vindo a reparar é que os SSD têm vindo a baixar de preço muito rapidamente mas, ao mesmo tempo, a tecnologia associada a eles tem vindo a evoluir muito rapidamente, o que torna os actuais SSD ultrapassados daqui por poucos meses. O que não é uma coisa má, tendo em conta que o preço das coisas ultrapassadas tende a descer muito rapidamente. É que este SSD, por exemplo, que daqui por uns meses passa a estar ultrapassado, não deixa de ser excelente, fica é mais barato. Tenham isto em mente quando escolherem um SSD. 😉

  2. Boas!
    Há dois meses que comecei a visitar este site com alguma frequência e tenho de dar os parabéns a toda a equipa que está por trás de todo este trabalho!
    As reviews que aqui tenho visto são bastante boas, detalhadas, cuidadas e em bom português!

    Relativamente a este artigo, apesar do óptimo desempenho dos discos SSD acho que realmente o preço por Gb é uma condicionante de peso quando se consideram alternativas como o Momentus XT.

  3. Grande review 😉
    Na minha opinião neste momento um SSD ainda não é suposto ser um disco dedicado e único, a única opção viável (€) neste momento é o uso a par com um HDD normal. No entanto isto nao é possivel em muitos portateis por isso ha que fazer escolhas…

  4. Antes de mais, obrigado a todos por comentarem!
    De facto, o portátil voa com isto!! É impressionante o aumento de performance a quase todos os níveis, sobretudo a entrar e sair de modo de suspensão à velocidade da luz, o boot e o simples facto de abrir todo o tipo de documentos. Compensa de facto roubar um pouco à capacidade do processador para investir num brinquedo destes!!

  5. Boa review. 😉
    SSD do bufo, sem dúvida que este componente é o melhor upgrade que qualquer PC pode sofrer.
    Quem usa SSD, depois fica deprimido quando utiliza algum PC com disco mecânico.

Deixar um comentário

Outros Artigos