Home Hardware MSI P67A-GD55

Acerca da marca
Desde que foi fundada em 1986, a MSI tem vindo continuamente a demonstrar e a comprovar o sucesso na era digital. Para conseguir obter a as melhores experiências dos seus utilizadores, a MSI considera todos os componentes essenciais. Nos passados 25 anos a MSI chega até aos seus fornecedores e utilizadores finais com produtos dotados de inovação e estilo! Os resultados são produtos com performances superiores, com durabilidade proporcionando experiências cheias de adrenalina.
A MSI já sobrevive a anos e anos de experiência no que diz respeito à concepção e ao design de motherboards e placas gráficas conseguindo manter-se no top 3 das marcas mais exportadoras no mundo!

Apesar do já lançado Z68, o P67 ainda está para durar e suporta como ninguém todas as funcionalidades dos novos processadores de arquitectura Sandy Bridge. Tal como a Asus e a Gigabyte, a MSI também tem o seu modelo de referência em todas as gamas e tem vindo a desenvolver novas tecnologias e funcionalidades para nunca ser deixada para trás pelas principais marcas opositoras. Claro que o mercado é muito abrangente e vasto o suficiente para complicar em muito a escolha entre a motherboard “X” ou “Y” mas, para tentar impedir que os utilizadores finais escolham o produto tendo como base apenas a marca do mesmo, as produtoras tendem sempre em adicionar novas apetências e funcionalidades que podem vir a decidir o veredicto no acto da compra!

Neste caso, a MSI apostou numa vertente mais entusiasta e adicionou funcionalidades voltadas para o overclock à sua motherboard de gama média! Dona da já conhecida tecnologia “Military Class II” que oferece aos seus componentes uma elevada qualidade, durabilidade e estabilidade, a MSI promete dar cartas nesta batalha que parece não ter fim à vista.

Embalagem e conteúdo
A embalagem onde a GD55 se faz transportar foi desenhada nos mesmos tons da motherboard. Na parte frontal, destaque para o modelo da mesma e para o logótipo da Military Class II que oferece alta estabilidade aos componentes da MSI. Além disso, ainda salta à vista a alusão à tecnologia OC Genie II que nos possibilita fazer overclock até 4GHz em apenas 1 segundo.

Do lado contrário, a MSI disponibiliza aos possíveis interessados no material toda a informação acerca deste e, utilizando gráficos coloridos bem chamativos, demonstra todas as vantagens que a GD55 tem face à concorrência.
Toda esta informação é apresentada banhada a brilhante que ganha várias tonalidades à medida que movemos a embalagem da motherboard.

Após a abertura da embalagem damos de cara com todos os acessórios que acompanham a GD55. Um CD com todo o software necessário ao bom funcionamento, vários documentos informativos, quatro cabos SATA brancos sendo que dois deles possuem terminais a 90º, um conector SLI para utilização de mais do que uma placa gráfica NVIDIA, um adaptador molex para SATA e, por fim, a backplate que teremos de encaixar posteriormente na nossa caixa.

Especificações
Chipset: Intel P67
Memória: Dual Channel 1GB/2GB/4GB/8GB DRAM
Slots: 2 PCI Express gen2 x16, 3 PCI Express gen2 x1, 2 32-bit v2.3 master PCI bus
SATA On-Board: SATA II com controlador integrado no chipset e SATA III também controlado pelo P67 da Intel. 4x USB 3.0 e Realtek ALC892 integrada no chipset.
LAN: PCI Express LAN 10/100/1000 Fast Ethernet by Realtek 8111E.
Dimensões: 30.5cm(L) x 24.5cm(W) ATX
Montagem: 9 furos de montagem

Em detalhe
Já com a motherboard fora da embalagem é constatável facilmente que a MSI conseguiu coordenar bem o esquema de cores para se enquadrar nos mais variados sistemas globo fora. Os heat pipes são muito discretos mas bem construídos e com direito a atribuição de gráficos da marca, o que lhes proporciona uma melhoria estética. Os 3 botões adicionados pela marca a este modelo vêm sem dúvida alguma trazer uma maior comodidade e, não fosse esta uma motherboard para overclock, uma facilidade tremenda quando as coisas não correm como esperamos.

A zona do socket está bastante “arejada” e até os condensadores têm uma altura mínima. Uma mais valia para experiências sub-zero pois revela ser uma motherboard fácil de isolar. A GD55 tem 6 fases de alimentação, menos do que qualquer motherboard da Asus ou Gigabyte da mesma gama mas, segundo a MSI, menos quantidade com maior qualidade é o mais acertado nestes casos, visto que os Sandy Bridge têm um consumo de apenas 95W.

Ainda perto do socket podemos ver uma entrada de 4 pinos onde deverá ser ligado a fan do dissipador do nosso processador. Esta será controlada pela BIOS da GD55 ou pelo software da MSI enquanto no sistema operativo. Estes pinos são os únicos capazes de ser controlados por software visto que os 2 restantes (3 pinos) só poderão ser controlados através da BIOS.

A azul podemos ver os 2 PCIe 2.0 que funcionam individualmente a 16x mas que nos poderão proporcionar uma experiência Cross-Fire ou SLI fazendo então 8x em cada um deles. Tal como as suas rivais, a GD55 possui 7 slots de expansão dos quais 2 deles são PCIe x16, 3 PCIe 1x e 2 PCI. No fundo, à direita podemos visualizar os 6 conectores SATA sendo que 4 deles são de 3Gb/s e os restantes de 6Gb/s.

Passando ao mais excitante nesta motherboard, no canto inferior esquerdo temos 3 botões robustos e bem delineados para que possamos fazer reset, ligar e fazer overclock à nossa motherboard. Escusado será estar a explicar o porquê dos dois primeiros mas não poderia deixar de me referir ao terceiro destes que funciona na perfeição. É um género de interruptor que se mantém ligado quando queremos que o nosso CPU atinja 4GHz de frequência e que podemos desligar a qualquer momento para poupar diminuir o consumo ou simplesmente porque já não necessitamos da performance extra. Além dos botões referidos, a GD55 também tem um botão onde podemos fazer clear CMOS à motherboard. Isto evita o incómodo que por vezes termos de retirar a pilha ou mover um jumper de local para o mesmo efeito.

A GD55 possui pontos de leitura onde podemos verificar a tensão real com um multímetro. O PCH, VCC, CPU VTT e VCCP são alguns dos valores que podemos ler directamente da MSI sem recorrer a nenhum tipo de software. Tivemos a oportunidade de medir tais valores e comparar com os que o software CPU-z nos forneceu e, apesar de existir alguma diferença entre as medições, tais são mínimas.
Com a máquina em idle foi medida uma tensão de 1,250v através dos pontos de leitura enquanto o CPU-z nos fornecia 1,251v de vcore. Com o computador em esforço a diferença aumentou e, enquanto medíamos 1,249 nos pontos, o CPU-z já nos dava 1,288!

Isto demonstra que, por vezes, ainda podemos dar mais um “cheirinho” de vcore às nossas máquinas para alcançar-mos a tão desejada estabilidade!

Perto da inscrição “OC Genie” podemos visualizar 6 LEDs que indicam as fases activas durante a utilização da motherboard. Uma função que pode revelar-se útil tanto na resolução de problemas como no checkup normal.

Na parte traseira da MSI, no painel I/O, temos a já habitual entrada PS/2 para teclados e ratos “retro”, 8 portas USB 2.0, o botão para executar o clear CMOS já acima descrito, uma porta coaxial e optica SPDIF, uma porta IEEE1394, um jack de LAN RJ45, 2 USB 3.0 e um conjunto de entradas da placa de som para que possamos ligar os nossos sistemas de som ou phones.

BIOS
A MSI, ao contrário da Gigabyte, evoluiu das BIOS tradicionais para as novas EFI e, neste caso, apresenta um layout muito interessante com várias features muito poderosas que vão decerto ajudar muitos overclockers a manter tudo sob controlo. Com menus muito intuitivos, bem desenhados e coloridos, a MSI conseguiu separar de uma forma muito eficaz a zona básica e avançada dentro da BIOS.

Já na zona avançada, o overclocker poderá ter acesso a todos os valores a que já está familiarizado e proceder à alteração dos mesmos, mantendo sempre valores como a frequência e a temperatura debaixo de olho, pois a MSI fez questão de colocar tais valores no canto superior direito da BIOS colorido de forma a chamar à atenção para a sua importância.

Testes e resultados

Utilizando o sistema:

Motherboard: MSI P67A-GD55
Processador: Intel Core i7 2600K @ 4.5MHz
Disco: 2 x Kingston SSD V Series 64Gb @ RAID
Placa gráfica: AMD HD 6990
Fonte de Alimentação: CoolerMaster Silent Pro M 1000W
Memórias: Kingston HyperX 2000MHz CL9 @ 1872MHz

Desempenho Geral

PCMark Vantage

SYSMark 2007

3DMark Vantage
Introdução

Desempenho de memória

SANDRA Memory Bandwidth

SANDRA Cache & Memory

Desempenho em Renderização

POV-Ray

Lightsmark 2008

Desempenho em Encriptação

True Crypt

SANDRA Cryptography

Desempenho em Codificação

x264 HD V4.0

Desempenho em Compactação e Descompactação de Ficheiros

WinRAR com Multithreading

WinRAR sem Multithreading

Desempenho em Jogos

S.T.A.L.K.E.R. Call of Prypiat

Crysis Warhead

Overclocking
Sem dúvida alguma, um dos pontos fortes desta motherboard! BIOS fácil de utilizar, intuitiva e eficaz. Tal como as suas antecessoras, a MSI conseguiu tirar todo o partido possível dos Sandy Bridge que temos em “stock” tendo atingido as frequências máximas em todos estes com voltagens muito semelhantes às conseguidas pelas Gigabytes já por nós analisadas. Os pontos de leitura são de facto uma mais valia para quando as tensões estão no limite e queremos evitar más leituras e, consequentemente, desagradáveis surpresas!

Consumo
A GD55 mostrou-se bastante poupada no que diz respeito aos consumos quer em idle quer em load face às suas principais concorrentes. Conseguindo 93,6W em idle e 355W em load, a MSI coloca-se na frente de muitas outras soluções.

Conclusão
A MSI P67A-GD55 revelou ter todos os atributos necessários para se juntar ao lote de qualidade que se destacam das restantes! Boa qualidade de construção e capacidade de overclock, boa estabilidade e durabilidade face à tecnologia “Military Class II”, BIOS intuitiva e flexível permitindo a todo o tipo de utilizador tirar o maior partido do sistema, tendo em conta o tipo de utilização e, não menos importante, um preço acessível e aliciante para tudo isto!

É pena esta revisão não ser a mais recente mas sabemos de antemão que todos os utilizadores de motherboards com revisões anteriores tiveram o merecido suporte por parte das marcas e viram o seu hardware ser trocado pelas mais recentes no mínimo tempo possível pelas marcas. A MSI não foge à regra e que isso não seja impeditivo da compra da agora GD55-B3. Uma motherboard que revela ter “algo mais” do que aquilo que poderíamos comprar com o valor em questão. Nota alta para os botões adicionados e a ergonomia que com eles chega até nós, os pontos de leitura para sessões de benchmark mais seguras e controladas e uma BIOS bastante equilibrada! O facto de também não possuir tecnologia bluethoot não nos surpreende face ao preço final deste artigo.

Sem dúvida uma motherboard a ter em conta para quem quer montar um sistema com estes novos processadores e tirar partido da sua máxima capacidade!

Despeço-me agradecendo à MSI por nos ter fornecido este sample para análise! Esperando sempre por feedback da vossa parte, obrigado pela companhia.

0 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos