Home Hardware Gigabyte G1-Killer Sniper 2

A Gigabyte tem procurado explorar os nichos de mercado, desenvolvendo produtos específicos para cada tipo de utilização e incorporando características e tecnologias que melhorem tanto quanto possível a experiência do utilizador.

Os nichos em destaque nesta altura são claramente jogos, cinema em casa e overclocking extremo, considerando uma perspectiva mais abrangente e não apenas o nosso pequeno e retraído Portugal.

A família G1-killer começou com três modelos com chipset X58, neste momento surgiu um primeiro membro com chipset Z68, o modelo escolhido para estreia foi o Sniper mas é esperado o modelo Assassin que será o topo de gama tal como acontecia na geração anterior.

Depois da confusão com os chipsets Intel Série 6, parece que a implementação do Z68 Express está com bom rumo e os utilizadores reagem bem às novidades que este chipset apresenta e também por permitir aumentar o desempenho do sistema em diversas tarefas

Alguns dos jogos mais populares são first person shooters com tema militar e talvez por essa razão os fabricantes estejam imersos numa onda militar em que os produtos e iniciativas de marketing passam sempre por esse tema.

A plataforma LGA1155 substitui com sucesso a cara plataforma LGA1366 ultrapassando-a em praticamente todas as tarefas de dia-a-dia e os utilizadores mais experientes em praticamente 100% das ocasiões recomendam esta plataforma para um sistema com boa performance e estimativa de vida útil agradável.

Este modelo Sniper 2 está bem preparado para o futuro. Ainda sem data confirmada, está o lançamento dos novos processadores Intel Ivy Bridge de 22nm, e esta motherboard garante total compatibilidade com estes CPUs, incluindo a utilização da 3ª geração PCI-Express.

Embalagem e Conteúdo

Seguindo a linha de produtos G1-Killer, esta nova motherboard viaja numa embalagem que imita em cartão uma caixa metálica de munições. O emblema G1-Killer é uma intimidante caveira em chamas.

Na frontal a Gigabyte não exagerou nos logótipos apesar de todas as características da motherboard. Felizmente ainda podemos ver o logo X-Fi, Killer E2100, PCIe 3.0 e suporte para os próximos CPUs Intel de 22nm.

Quem for às compras e pegar nesta embalagem, pode passar uns minutos a ler as breves descrições sobre as diversas tecnologias e características exclusivas presentes na G1.Sniper 2.

O bundle que acompanha este modelo traz algumas surpresas. Um poster A2 e duas folhas com diversos autocolantes relacionados com o tema.

Além disso, quatro cabos SATA pretos, espelho da board com acabamento G1-Killer, manual de utilizar e guias de instalação, DVD com drivers e software, ponte SLI e autocolante Gigabyte.

Faltou apenas referir o painel frontal para uma baía de 5.25” com duas portas USB 3.0, uma porta combinada eSATA e USB2.0 e o botão Quick Boost.

Em Detalhe

A família G1-Killer utiliza o esquema de cores preto e verde, uma escolha arriscada que não agrada a todos. No entanto, olhando para a motherboard, é difícil não gostar do aspecto geral. Num produto desta gama, seria de esperar mais algumas características tais como botões na board e LED de diagnóstico. A Gigabyte deve estar a guardar para o modelo acima da Sniper.

Felizmente o design Ultra Durable 3 aprece em quase todos os modelos da Gigabyte e graças a isso temos 2X Cobre no PCB comparado com motherboards tradicionais, todos os condensadores utilizados são condensadores sólidos, temos dois chips de BIOS para a tecnologia DualBIOS entre outros benefícios em durabilidade, protecção e refrigeração.

A refrigeração é assegurada por um robusto conjunto de dissipadores cujo design é baseado em partes de armas. Curiosamente, no centro da motherboard, está o maior dissipador sem nenhum chip por baixo. A Gigabyte incluiu um heatpipe que o liga aos dissipadores colocados no VRM de doze fases, oito para o CPU, duas para as duas para a gráfica integrada e mais duas para o controlador de memória. Não será de todo eficaz e portanto serve apenas de suporte para cinco LEDs verdes que completam o esquema de cores. Todos estes dissipadores estão fixos através de parafusos e molas, um sistema muito mais seguro e durável do que aqueles pinos de plástico.

Em termos de refrigeração activa, a motherboard tem cinco conectores para ventoinhas controlados por PWM.

Esta plataforma suporta memória DDR3 arquitectura dual channel até 2133MHz e perfil Intel XMP até um máximo de 32GB. Para kits de apenas dois módulos, os slots verdes são ligeiramente mais rápidos.

No que a portas SATA diz respeito, temos três SATA 2.0 (3Gbps) em preto e as outras quatro são SATA 3.0 (6Gbps) sendo as brancas controladas pelo chipset e as cinzentas pelo controlador Marvell.

Sendo uma motherboard para jogos, os slots de expansão são uma parte importante e o suporte para configurações com multi-GPUs como 2-Way SLI e 2-Way CrossFireX é uma mais valia que muitos jogadores aproveitam para melhorar o desempenho.

No entanto, a Sniper 2 só tem um slot PCI-E 16x e não tem o chip NF200 presente na Z68X-UD7-B3 portanto configurações com duas gráficas serão sempre 8x/8x. Talvez fosse esperado suporte para configurações com três placas gráficas numa motherboard desta família.

Além destes slots, este modelo tem dois slots PCI-E 1x e dois slots PCI.

Esta é uma das primeiras motherboards com slots PCI-Express 3.0, uma nova geração que apesar de ainda não ser aproveitada, é uma das mais importantes inovações que os Ivy Bridge vão trazer ao mercado em breve.

O áudio é qualquer coisa de outro mundo! Assegurado pela gigante Creative, com processador de áudio Creative 20K2 integrado e outros componentes de topo como condensadores Nichicon das séries topo de gama que permitem tirar o máximo partido das tecnologias X-Fi Xtreme Fidelity e EAX Advanced HD 5.0. O amplificador para auscultadores no painel frontal e escudo protector IEM em cobre para evitar interferência e ruído são outros benefícios que trouxe esta integração.

O modo multiplayer dos jogos é cada vez mais importante mas a latência continua a ser um problema. A Bigfoot apresentou uma solução que a Gigabyte aproveitou para integrar na sua linha de motherboards para jogos. Esta plataforma Killer E2100 tem 1Gb de memória DDR2 dedicada e liberta o processador da gestão de rede melhorando assim a performance.

O painel traseiro tem oito portas USB2.0, maior parte a vermelho mas também existem duas a preto com uma porta combinada USB2.0/eSATA. Tem duas portas USB3.0 a azul. Porta PS2 combinada para teclado ou rato, botão de O.C., HDMI, porta de rede 1Gigabit LAN, SPDIF coaxial e jacks 3.5mm para áudio 7.1.

BIOS

A Gigabyte optou por utilizar a BIOS tradicional e não avançar para a interface UEFI. Alguns podem ficar descontentes enquanto outros certamente ficam descansados, é um plataforma já com provas dadas e em que a Gigabyte tem trabalho para aumentar o desempenho e estabilidade.

Nos processadores Sandy Bridge é fácil aumentar 1GHz e mais em relação à frequência default. Para os ajustes de desempenho, o separador M.I.T. é o sítio a visitar e conhecer.

[nggallery id=7]

Como alguns utilizadores têm dificuldades no tipo de navegação utilizado na BIOS tradicional, a Gigabyte tem vindo a promover uma tecnologia exclusiva, conhecida como TouchBIOS que é uma versão mais intuitiva que permite navegação com rato, teclado e até táctil e funciona em ambiente Windows.

Testes e Resultados

Sistema de Testes:

Motherboard: Gigabyte G1.Killer Sniper 2
Processador: Intel Core i7 2600k
Memórias: 4Gb Kingston Genesis Grey 2133MHz
Fonte de Alimentação: Cooler Master Silent Pro M 1000W
Disco: 2 x Kingston SSD V Series 64Gb @ RAID

Desempenho Geral

PCMark Vantage

3DMark Vantage

Desempenho de Memória

SANDRA Memory

Desempenho em Renderização

Cinebench R11.5

POV-Ray

Lightsmark 2008

Desempenho em Codificação

x264HD v4.0

MediaEspresso 6.5

Este conversor de media é uma das aplicações compatíveis com a Virtu da Ludic. Para testar a diferença de desempenho entre a gráfica integrada Intel HD Graphics 3000 e a poderosa MSI R6970 Lightning. O ficheiro utilizado foi um MKV de 5.8GB para converter para Apple iPad com toda a qualidade.

Virtu Off, tirando partido da placa dedicada:

Virtu On, aproveitando a placa integrada no CPU:

Desempenho em Compressão

7-Zip

Desempenho em Encriptação

TrueCrypt

SANDRA Cryptography

Desempenho em Jogos

DiRT 3

Lost Planet 2

FarCry 2

STALKER Call of Prypiat

Consumo Energético

Para os ávidos jogadores que passam o dia de servidor em servidor, o consumo da sua máquina não é uma preocupação que lhes tire a vontade de jogar. No entanto, convém saber que tipo de gastos podemos esperar até para optar pela solução mais amiga do ambiente e da carteira.

Esta motherboard em idle tem um consumo elevado, 133W e em full chega aos 378W, um valor médio para esta plataforma. Não esquecer que estamos a testar num sistema com elevado overclock e também com níveis de stress difíceis de reproduzir em tarefas diárias e jogos.

Overclocking

Na plataforma LGA1155, a capacidade de overclocking depende imenso do processador que nos calhou na rifa. Neste caso, o Intel Core i7 2600k, atinge facilmente frequências acima dos 5.5GHz por isso não tinha grande interesse escrever muito sobre isso.

No entanto, tal como destacámos na análise do bundle e até na análise física da motherboard, a G1.Killer Sniper 2 tem uma função de overclocking automático à distância de um botão. Para garantir o pleno funcionamento, a Gigabyte desactivou o Turbo. Esta é então a opção ideal para overclockers iniciantes ou para quem não tem paciência para experimentar outros voos mas precisa de extra performance.

Partindo do default, 3.4GHz saltamos para 4.2GHz com um clique no botão OC e alterações em tempo real. Já tinha visto a função 4G da Gigabyte em acção mas esta é ainda mais impressionante.

Conclusão

Com esta família de motherboards gaming e em particular com o primeiro modelo baseado no chipset Z68 Express, a Gigabyte conseguiu uma boa adaptação ao tema militar e uma ligação com os jogadores aficionados através de características que melhoram a experiência.

O desempenho geral da motherboard é excelente. Em configurações com apenas uma placa gráfica, o desempenho desta motherboard será difícil de bater. Algumas motherboards consideradas topo de gama falhavam pela falta de suporte para a tecnologia Virtu e pela utilização do NF200 que prejudicava em single card.

Este produto vale também pela extrema qualidade de áudio e pela poderosa placa de rede dedicada e desenvolvida para jogos, ideal para quem procura esmiuçar qualquer melhoramento possível.

Para acompanhar esta motherboard, é difícil recomendar outra coisa que não os CPUs “K” da família Sandy Bridge. Além do design de alimentação e refrigeração capaz, a G1 Sniper 2 ainda oferece botões de O.C. para overclock automático ao sistema.

Infelizmente as motherboards Gigabyte de séries exclusivas também trazem sempre uma etiqueta de preço premium. Muitos utilizadores apontam como tecto máximo para gastar numa motherboard os 300€ mas segundo anunciado pela Gigabyte o preço será aproximadamente 419€. Um investimento difícil de abraçar.

Artigos relacionados
36 Comentários a este artigo
  1. Sem problemas camaradas =)) e gosto do vosso trabalho … por isso ta-se bem ^^…
    eu quero montar um maquina boa e a bem dizer se não conhece-se o vosso site não tinha tanta actualidade…

  2. Não faz mal ao menos sabemos que vai durar uns bons anos …
    mas com o avanço da tecnologia não sei se para o mês que vem já tem uma 5 vezes melhor … 😀
    mas é uma boa aposta … eu normalmente um PC para mim e só gaming e quando os tenho que jogar os jogos com tudo em Low … só ai e que eu me preocupo em comprar novo sistema …
    o meu melhor equipamento que agora esta queimada =/
    MotherBoard – K8U-X Socket 754 ULi M1689 ATX AMD
    Processador – AMD Sempron 3200+ 64 Bit
    Memorias – 1.5 gb ddr 400
    Grafica – Nvidia GeForce FX 5600 agp 8x 512mb ddr2
    Placa de som – Creative Sound Blaster Audigy 24 bits
    Discos 3 – 80 gb IDE / 120 gb sata / 320 gb sata
    bem sei que na altura dele era uma maquina boa agora não vale nada…
    queimou graças ao senhor Crysis xDDDD

  3. querer até quero soque falta o Upgrade …xD…
    e como vi que vocês passam informação boa já agora quero ver o que vai sair ^^
    caixa já tenho uma FullTower ThermalTake … agora não me lembro do modelo dela esta em Portugal e eu neste momento estou na Alemanha

  4. Ja vi varios reviews da Asus Maximus IV Extreme Z e comparando com essa Sniper 2 a Asus é muito superior, é só a Asus lançar um update de BIOS como a Gigabyte fez p/ PCI-E 3.0 e Ivy Bridge ai sim vai ficar + superior ainda, Ah uma coisa eu tenho uma ROG Z68…

  5. Tambem nao é assim, ja usei outras marcas a propria Gigabyte foi uma, mas a questao é desempenho q no caso a ROG Z68 é superior a Sniper 2, ou estou enganado??

  6. Não posso garantir que estejas certo ou errado porque nunca testei ROG Z68. Sei é que a Sniper 2 tem um excelente desempenho e características específicas para melhorar a experiência em jogos. Vou tentar contactar a Asus para arranjar essa comparação 🙂

  7. Isso ai Marco André faz um review da ROG Z68, ai ja tira a duvida da galera q fica em duvida na hora de comprar uma placa top, vlww pelo espaço e desculpa se fui um pouco arrogante nao era a intençao, abraço

  8. Ola Marco ,cara que review hein,
    muito bem detalhado !!!parabéns
    a Gigabyte esta cada vez se dedicando mais ,se ela continuar assim,logo a Sniper será tão cobiçada quanto a ROG

    parabéns de novo e muito sucesso!!

  9. Olá Criminal, sejas bem aparecido novamente no Lilireviews :mrgreen: A malta gosta de ver os teus comentários aqui!

    A série ROG está muito madura e implementada, pelo menos cá em Portugal. Mas acho que a Gigabyte está no caminho certo com estas super motherboards 🙂

  10. Boa review.
    Só é pena o preço, se a Gigabyte realmente quiser se impor no mercado das boards para gaming, com estes preços vai ser complicado, pelo menos cá em Portugal.
    Como já dito, a série ROG da Asus está muito implementada e a Gigabyte a fazer estes preços, vai ser difícil o pessoal optar por ela em detrimento das ROG.

  11. Quem compra ROG não está apertado de orçamento. Se experimentar G1-Killer e for superior e tiver uma experiência melhor, então vai comprar Gigabyte. Depois também tem a ver com o historial de problemas, durabilidade, assistência pós-venda, representação nas lojas, etc. Acho que nesta gama de preços a escolha deixa de ser feita unicamente pelo valor cobrado.

  12. Ola pessoal tudo blz ai,bom moro aki nos estados unidos mais precisament em Detroit e tive o grande prazer de testar na minha humilde opiniao as 3 melhores placas 1155:1º asus rog z68,2° gigabyte z68 ud7,e 3º gigabyte sniper 2,e confesso q mesmo sendo muito fã da gigabyte essa asus rog z68 me surpriendeu muito,ela leva um pouco a + de vantage sobre suas concorrentes,e acredito eu q se a asus seguir o caminho de sua grande rival “gigabyte e fizer um update de bios p/ poder usufruir o ivy bridge e o pci-e 3.0 vai ser uma placa quase q perfeita inclusive p/gamers e entusiastas,bom valeu pelo espaço continuem com esse belo trabalho, e dalhe grêmioooooooo abraço.

Deixar um comentário

Outros Artigos