Home Hardware Gigabyte A75M-UD2H

Com a chegada ao mercado da nova plataforma AMD, os fabricantes de motherboards também têm novidades para lançar. No lançamento dos novos APUs Fusion A8 e A6, a AMD escolheu a Gigabyte como parceira para a primeira impressão dos editores.

Com a Fusion, a AMD pretende responder ao crescente consumo de conteúdo multimédia e jogos em alta definição e a cada lançamento vai dando passos seguros na direcção da integração dos vários componentes num único chip. Neste momento, Llano é a melhor solução do mercado com CPU e GPU integrado.

Neste momento a Gigabyte já tem uma linha completa de motherboards para o socket FM1, com um total de 10 modelos disponíveis. Há motherboards para todos os gostos e necessidades. Há modelos com formato ATX e outros com formato mATX, há modelos baseados no chipset entrada de gama A55 e outros modelos com o chipset topo de gama A75.

Para testes, a Gigabyte tem apostado nos modelos A75M-UD2H e A75-UD4H. Vamos ficar a conhecer a primeira e aguardar a chegada da segunda.

Esta motherboard é a mais musculada das opções mATX disponíveis. Incorpora diversas tecnologias exclusivas AMD e está bem equipada para tirar o máximo proveito dos novos APUs de 32nm da AMD.

Embalagem e Conteúdo

Com o formato mATX, a A75M-UD2H viaja numa caixa à medida. Na frontal o destaque vai para a nova designação de marketing promovida pela Gigabyte, a Super4. Mas há espaço para imensos logótipos das tecnologias presentes e também o resultado que se pode esperar em 3DMark Vantage, P5600.

Na traseira da motherboard, como é habitual nos produtos da Gigabyte, breves explicações sobre as tecnologias incorporadas na motherboard e a revelação dos componentes da Super4 que são Super Seguro, Super Poupança, Super Velocidade e Super Som.

A acompanhar este produto nada de grandes extras. Era de esperar tendo em conta o segmento a que toda a plataforma se destina. Manual de utilizador, guia de instalação, DVD de drivers e software, quatro cabos SATA, espelho da motherboard e um autocolante Dolby.

Em Detalhe

A gama de motherboards com socket FM1 da Gigabyte utiliza o esquema de cores azul e branco, já conhecido de séries anteriores. Todos os clientes ficaram contentes com a mudança para o PCB preto mas algumas séries de gama baixa não foram ainda contempladas.

Uma das zonas mais críticas de qualquer motherboard é o VRM do CPU. Neste caso, a Gigabyte optou por uma alimentação com quatro fases para o CPU, duas para o controlador de vídeo e uma para o controlador de memória. Mesmo sendo uma plataforma de baixa gama, a Gigabyte não dispensou o dissipador e durante a utilização podemos notar que faz mesmo falta.

Na plataforma Lynx, a memória tem um papel muito importante no desempenho do sistema. Nesta motherboard temos quatro slots para DDR3 dual channel até um máximo de 32GB. Para quem utilizar apenas dois DIMMs, deve instalar nos slots brancos.

Na zona das memórias, a UD2H tem mais componentes interessantes. A tecnologia DualBIOS está presente e podemos ver os dois chips (M_BIOS e B_BIOS). Por cima do conector de alimentação 24 pinos aparece um conector para porta paralela e o conector para o módulo TPM (Trusted Platform Module) que não costuma estar incluído nos produtos que chegam a Portugal. Portanto não garanto que esteja presente. De reparar também que existem apenas dois conectores para ventoinhas, ambos com controlo por PWM.

Em relação aos slots de expansão, a UD2H tem dois slots PCI-E x16. O primeiro dos quais funciona a x16 aproveitando as lanes do processador. O segundo slot PCI-E funciona apenas a x4 uma vez que está ligado ao chipset A75. Entre esses dois slots existe um PCI e um PCI-E x1.

Há cinco portas SATA 3.0 (6Gbps) disponíveis na motherboard. A outra porta foi transferida para o painel I/O traseiro e transformada numa porta eSATA. Todas estas portas são controladas pelo chipset A75.

Para o painel frontal de uma caixa, esta pequena motherboard tem nada mais nada menos do que quatro portas USB2.0, metade das quais assinaladas para carregamento rápido de dispositivos, duas portas USB3.0, porta FireWire e áudio.

O painel traseiro desta pequena Gigabyte é muito completo. Tem quatro portas USB2.0 a vermelho, duas portas USB3.0 a azul, um porta PS2 combinada para rato ou teclado, uma porta eSATA 6Gbps, uma saída SPDIF óptica, uma porta Gigabit LAN e ainda uma porta FirWire. Em termos de som os habituais jacks 3.5mm para áudio 7.1 e uma vasta gama de saídas de vídeos incluindo D-Sub, DVI, HDMI e DisplayPort.

BIOS

A BIOS da A75M-UD2H é a tradicional da Gigabyte. Oferece uma plataforma estável e não é muito complicada de configurar.

Para configurar o desempenho do sistema o separador mais importante é o M.I.T. Aí podemos configurar o as definições da gráfica integrada, processador, memórias e ajustar as voltagens. Em alguns modelos, como no A8-3850, é possível alterar o multiplicador do northbridge.

[nggallery id=6]

Testes e Resultados

Os testes foram feitos utilizando apenas a gráfica integrada.

Sistema de testes

Motherboard: Gigabyte A75M-UD2H
Processador: AMD Fusion A8-3850
Dissipador: Noctua NH-D14
Memórias: 4Gb Kingston HyperX 2000MHz CL9 @ 1866MHz
Fonte de Alimentação: Seasonic X-400
Disco: 2 x Kingston SSD V Series 64Gb @ RAID

Desempenho Geral

PCMark Vantage

3DMark Vantage

Desempenho de Memória

SANDRA Memory

Desempenho em Renderização

Cinebench R11.5

POV-Ray

Lightsmark 2008

Desempenho em Codificação

x264HD v4.0

SANDRA Video Transcoding

Desempenho em Compactação

7-Zip

Desempenho em Jogos

DiRT 3 (1080p)

Lost Planet 2 (720p)

A média de FPS com resolução 720p foi de 27,1 e para comparação, com resolução 1080p desceu para 26,1.

STALKER Call of Prypiat (1080p)

Consumo Energético

Sendo a energia uma das preocupações mais faladas hoje em dia, não interessa ter um PC a consumir muitos Watts por hora para reproduzir filmes ou navegar na Internet. Esta plataforma e em particular com a motherboard em testes, mostrou-se bastante poupada. O resultado em idle é impressionante, consumindo apenas 38,9W. Ao stressar o sistema, o consumo subiu para 114,2W mas dificilmente conseguimos stressar a este nível em tarefas de dia-a-dia.

Overclocking

Nos testes iniciais de overclocking, o objectivo era conseguir chegar ao resultado de 3DMark Vantage anunciado na embalagem. O patamar dos 5600 pontos foi alcançado alterando a frequência para 141MHz.

Conclusão

A plataforma Lynx é uma solução que prima pelo desempenho gráfico sem placa gráfica integrada, pela poupança energética que oferece e também pela melhoria tecnológica que representa.

O modelo UD2H da Gigabyte já mostrou ser um grande sucesso nos chipsets H67 e Z68, por ser uma motherboard com formato micro ATX, bem equipada e fiável. Sendo o A75 o FCH mais potente, pois tem USB3.0 e SATA 3.0 (6Gbps) nativas, é a escolha certa para tirar o máximo partido da nova plataforma AMD.

Esta motherboard acompanha bem o modelo topo de gama A8-3850 e a combinação destes dois produtos é a solução ideal para computadores de tamanho reduzido (SFF) e também para quem prefere um ter um PC para cinema em casa (HTPC).

Pelas tecnologias presentes, a visualização de conteúdo de alta definição em qualquer formato e a partilha de ficheiros são os pontos mais fortes. Do lado menos positivo, temos as tarefas que puxam intensivamente pelo processador e em que este se revelou pouco eficaz para um quad-core.

Apesar de não ser vocacionada para overclocking, esta motherboard é capaz de levar o APU mais longe. No entanto, há outros modelos Gigabyte com alimentação mais musculada onde será possível obter melhores resultados. Para os interessados, a Gigabyte está a promover um desafio de OC em plataformas A75.

O preço ronda os 100€, o preço médio das motherboards socket FM1. Definitivamente esta plataforma fica em conta e a Gigabyte A75M-UD2H é uma motherboard a ter em conta na altura de decisão.

0 Comentários a este artigo

Deixar um comentário

Outros Artigos