Home Periféricos Headphones CM Storm Ceres 400

A Cooler Master torna-se cada vez mais isenta de apresentações, especialmente ao apresentar os produtos da sua vertente de gaming, Storm. Desta vez, apresentamos a sua nova aventura, pela gama dos headphones portáteis, para que um gamer os possa ter on the go. O LILIREVIEWS fala-vos, assim, dos CM Storm Ceres 400, os headphones para jogar onde se quiser.

Características

Headset
Drivers: 40mm por 75mm
Frequência de resposta : 20-20.000 Hz
Impedância: 32 Ohms
Sensibilidade (a 1kHz, 1V/Pa): 108dB +/- 4dB
Potência de input:  100mW
Conector : 3.55mm Headphone Jack
Comprimento de cabo: 2.5m

Microfone
Padrão de Recepção: Cancelamento de ruído
Frequência de resposta:10-10,000Hz
Rácio sinal/ruido: 50dB
Sensibilidade: -38+/-3dB

Embalagem e conteúdo

Como já aconteceu nos headphones que previamente lançaram, a CM gosta de ter uma frente que dê protagonismo ao próprio produto. No centro, podemos ver em pormenor o controlo de volume e microfone que nos proporciona o pequeno comando a meio do fio, mas mais para a frente falamos disso.

Atrás podemos ver as vantagens que nos pretende proporcionar e aludir a adquirir o produto em si. As características previamente referidas vêm no lado da embalagem, mas são rapidamente perceptíveis e simples de compreender.

Em Detalhe

Headset

Ao observar a robustez do headset, a primeira sensação é de que vai ser um pouco pesado e cansativo de usar durante relativamente longos períodos de tempo, e, infelizmente, não estava errada. Embora após a adaptação o seu peso não seja tão evidente, nota-se sempre um certo desconforto inicial e o inconveniente aperto de cabeça. Contudo, não escorregam e acabam por se moldar um pouco à cabeça do utilizador. A espuma utilizada é maleável apenas o suficiente para que se tornem adequados tanto no topo da cabeça como nas próprias earcups. O comprimento é ajustavelmente confortável e não há folga ao regular o tamanho.

Esteticamente são discretos e apelativos, com o seu design dirigido para quem não gosta de headsets vistosos, sendo surpreendentemente unissexo embora, devido especialmente às dimensões, apontado (como quase tudo o que é relacionado com gaming) para o público masculino.

Quanto à sua característica de portabilidade, são um pouco difíceis de arrumar e transportar, devido à sua robustez e pouca adaptabilidade exterior. É bom para o conforto, mas encontra-se bastante àquem da “ultra portabilidade” prometida pela marca. O cabo é demasiado grande e é desajustado para ser portátil, corre o risco de se enrolar bastante e acabar mesmo por ceder nalgumas partes, especialmente no pequeno dispositivo de controlo de volume e microfone que, embora prático, nuns headphones portáteis acabam por ter uma probabilidade grande de falha de contacto.

Microfone

Acoplado à earcup esquerda, como acontece nos headphones da CM, o microfone tem um design discreto que flui com as restantes partes e é bastante prático de usar, mantendo-se a uma boa distância. Contudo, é esta distância, e o arco que o microfone faz com a earcup quando em descanso, que o torna susceptível a pequenos estragos ao ser transportado. De facto, cancela o ruído exterior e é bastante bom em reconhecer sussurros, se os sensores estiverem bem adaptados. É manejável e fácil de controlar, com o botão de “On-Off” a meio do cabo que se torna bastante prático.

Porém, todas estas coisas se tornam superficiais quando o que interessa nuns headphones é a sua qualidade em relação ao som.

Jogos

Comecei por experimentar os headphones num favorito pessoal, League of Legends. Embora todos os sons sejam reconhecíveis e distinguíveis  uns dos outros, a CM optou por protagonizar os baixos com este modelo e, por causa disso, tudo o que é mais agudo torna-se figurante, nomeadamente vozes. Isto torna a dinâmica de jogo diferente para quem está habituado a ouvir claramente a announcer ou os próprios champions. Receei que em overlay fosse abafar também as vozes e embora tal tenha acontecido, não foi relevante considerando o resto, fez-se um bom equilíbrio entre sons de jogo e vozes de jogadores. De notar que os headphones, mesmo apertanto a cabeça, tornam-se bons isoladores do ruído exterior, quer para o microfone quer para o som em si, isto é, tornam-se muito úteis e práticos para quem gosta de se concentrar no jogo e abstrair do que está à volta. Característica relevante para headphones portáteis, para se poder jogar em ambientes menos calmos. Experimentei também Counter Strike: Source e notou-se um bom stereo mas, como nos outros jogos, os baixos (nomeadamente alguns sons das armas) foram protagonizados.

Música

Para quem gosta de ouvir música de batidas, com baixos fortes e relevantes à sonoridade geral, são uns bons headphones. Desde dubstep, jazz, a metal, ouve-se particularmente bem, aliás, sente-se particularmente bem. Contudo, não permitem uma grande clareza das vozes, como já referido previamente, o que se torna mais aborrecido para estilos musicais mais melódicos a nível agudo.

Filmes

Não dá para frisar mais o que foi referido: são headphones óptimos para dar relevância aos baixos, o que nem sempre acontece com séries e filmes. São bons headphones para gaming (foram feitos com esse propósito), mas são medianos quanto a esta categoria. Para se aproveitar convenientemente um filme, uma série, é geralmente necessário que as vozes sejam as protagonistas, quase tanto como as imagens. Porém, por serem portáteis, não podemos descartar a sua convenientemente útil capacidade de abafar o som exterior o que permite ouvir confortavelmente e com alguma clareza mesmo em ambientes menos propícios a tal.

Considerações Finais

A Cooler Master tentou inovar novamente no campo dos periféricos, ao fazer uns headphones portáteis embora a sua capacidade de ser transportado possa ser questionável. Contudo, para o preço que eles têm para o público, torna-se uma aposta não tão errada. Têm o conforto limitado característico dos headphones da sua gama, embora a sua capacidade de isolamento do som exterior seja uma forte qualidade a seu favor. São práticos com o seu dispositivo de controlo de áudio e microfone sempre à mão, além de terem algumas das vantagens pelo seu tipo de ligação ao computador: por ser jack, temos um stereo impecável e um som relativamente puro.

Tudo isto por um modesto preço de 35€, uma aposta bastante acessível para os gamers que queiram uns headphones discretos, isolantes e com um baixos que estão na média.

O bom:
Aparência discreta
Bom isolamento do ruído exterior
Microfone com um bom cancelamento de ruído
Entrada jack
Preço acessível

O mau:
Demasiado protagonismo dos baixos
Portabilidade questionável
Apertam demasiado a cabeça

0 Comentários a este artigo
  1. Olá, eu tive este headset, usei menos de 1 semana e comprei o Razer Kraken Pro e nunca mais me incomodei, o CERES 400 foi o pior headset que já testei na minha vida! o microfone não funciona corretamente, é praticamente de enfeite porque não é viável o seu uso de tão ruim que é, e o som dele é medíocre.

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos