Home Hardware AMD Radeon HD 6670

Introdução

A AMD introduziu recentemente no mercado das gráficas os seus produtos para o segmento mais baixo. Hoje analisamos um desses produtos, a placa gráfica Radeon HD 6670.

Este tipo de mercado é muito procurado por utilizadores que pretendam montar um sistema HTPC (Home Theater Personal Computer), mais virado para o conteúdo multimédia, mas que possibilite também um desempenho razoável a nível de jogos. Nesse sentido, a HD 6670 é a placa de topo dentro do segmento, uma vez que a série HD 6700 já se encontra num patamar de desempenho e custo mais elevado.

Baseado no processador gráfico de 40nm Turks, a HD 6670 usa memória GDDR5 com um interface de 128-bit e tem consumos muito baixos. A placa tem uma velocidade de clock de 800MHz, 1Gb de memória GDDR5 a 1000MHz (4000MHz efectivos), 480 stream processors, 24 texture units e 8 ROP’s. Suporta Eyefinity até três monitores e é apoiado pelo software Hydravision display head manipulation.

Vamos lá então ver do que ela é capaz.

Fotos e Especificações

A placa gráfica é muito simples e é bastante pequena, o que é ideal para sistemas montados em caixas com pouco espaço interior.

Não tem conector para Crossfire o que é uma pena. Também não tem conectores de alimentação extra, o que significa que é uma placa que não consome muito.

Uma vez que esta versão nos chegou directamente da AMD, esta é a referência para todos os fabricantes. Isto significa que esta é a base da qual partem para fazer outras versões com coolers, PCBs, componentes e velocidades diferentes. E como é a referência, é também o mais básico. O cooler tem um design simples, cumprindo a função de um modo eficaz. Apesar de ter um aspecto alto, não chega a ocupar duas slots. A ventoinha tem um tamanho reduzido mas ajuda eficazmente no arrefecimento. A velocidades elevadas é bastante audível mas quando se está a jogar ou a ver um filme não se dá por ela.

A placa é muito estreita o que será ideal para usar em caixas desenhadas a pensar nos HTPC. Infelizmente a peça que suporta os outputs de ligação é de tamanho único, standard para as caixas ATX. Porém, os vários fabricantes poderão incluir algum acessório para a sua substituição, alargando o leque de opções de configuração de sistema.

Os componentes que constituem a placa são de boa qualidade, mesmo para uma placa de referência, onde normalmente poderá haver algum descuido. Tendo em conta que muitos fabricantes não alteram muito os seus produtos em relação à placa de referência (alguns só mudam mesmo o autocolante da ventoinha), ficamos descansados em relação à sua qualidade.

A AMD permite usar a tecnologia Eyefinity utilizando até três monitores. Para isso a marca disponibiliza três tipos de ligação, VGA, DVI e DisplayPort. Juntamente com a gráfica não nos chegou nenhum acessório extra, mas os diferentes fabricantes irão disponibilizar os mais variados adaptadores para estas ligações uma vez que o normal seria a placa ter uma porta HDMI mas foi substituída pela DisplayPort.

Na parte inferior, o sistema de retenção habitual da AMD segura o cooler no sítio. Não existe nenhum backplate para ajudar a refrigerar uma vez que este GPU não aquece muito.

A substituição do cooler é muito simples e não requer muitos cuidados. O cooler em si tem uma base de cobre que está em contacto directo com o GPU. A restante zona que não toca no GPU tem uma película de plástico para evitar qualquer tipo de curto circuito com os restantes componentes.

Uma vista geral da parte inferior da placa, completamente despida…

E a parte da superior em topless… As memórias são da marca Hynix. Aqui dá para ver perfeitamente que a placa é mesmo pequena.

Estas são as características técnicas principais:

  • GPU Clock MHz: 800 MHz
  • Stream Processors: 480
  • Memory Interface Bus (bit): 128
  • Memory Type: GDDR5
  • Memory Size (MB): 1024 MB
  • Memory Clock (MHz): 1000 MHz

Testes

O sistema usado foi o seguinte:
AMD Phenom II X4 840
GSkill Ripjaws F3-12800CL7D-4GBRL 2x2Gb 1.5V DDR3 1600
AMD Radeon HD 6670
Kingston SSDNow V+100 64GB
GIGABYTE 870A-UD3
Thermaltake Frio
Gigabyte Odin GT 800W

O desempenho geral da placa é muito satisfatório. Tendo em conta o segmento em que se insere, não podemos esperar um desempenho estrondoso, principalmente se pensarmos que esta é uma placa mais indicada para um tipo de utilização multimédia com algum apontamento de jogatana aqui e ali.

Temperaturas, Consumos e Overclock

As temperatura verificadas estão dentro dos valores aceitáveis para GPUs AMD. A concorrência normalmente apresenta valores muito superiores e com coolers mais elaborados.

Os consumos que se verificaram com esta placa foram muito baixos. A variação entre Idle e Load foi de apenas 58W. Não vale a pena estar a indicar quais os valores máximos ou mínimos atingidos pelo sistema porque cada um de nós tem o seu próprio computador o que significa que esses valores variam de sistema para sistema. O que não varia é a diferença de consumo quando a gráfica está a 0% de utilização e a 100% de utilização. Ou seja, um sistema com i7 vai ter a mesma variação de 58W que um sistema com um i3.

O potencial de overclock desta placa gráfica é enorme. Com esta gráfica, e com recurso a software especializado, foram atingidos os 950MHz no GPU (800MHz de origem) e 1250MHz na memória (1000MHz de origem). E com uma placa de referência. Quando os diferentes fabricantes começarem a colocar no mercado as suas versões com coolers superiores e componentes de elevada qualidade, como o fazem a MSI, Gigabyte e Asus, deveremos ver por aí umas peças muito interessantes. Este overclock obtido significou um aumento de 19% no GPU e 25% na memória.

Conclusão

Quando me chegou esta placa às mãos pensei: uma gráfica gama baixa com um desempenho baixo que não corre jogo nenhum, só dá para ver filmes ou jogar com a qualidade no mínimo. Como estava enganado… É certo que esta placa não está talhada para correr os jogos mais puxados com a melhor qualidade nas resoluções mais altas mas como hoje em dia a resolução mais usada até é o 1080p, esta placa é perfeita. Mas temos de perceber muito bem onde é que esta placa se encaixa.

Ora então vejamos. O mercado desta placa é o mercado dos HTPCs, ver filmes e séries, uns concertos de música e pouco mais. Esta função todas as placas gráficas fazem e esta, portanto, também. Outra função das placas gráficas são os jogos. E é aqui que esta placa sobressai porque torna o HTPC numa excelente alternativa a uma consola de jogos com uma qualidade muito superior e mais funcionalidades. É certo que não está talhada para resoluções elevadas mas até os 1080p das televisões actuais a HD 6670 aguenta. E se quisermos ligar mais dois monitores/televisores, é possível embora nesse caso o desempenho diminua a pique. E se adicionarmos a isto o preço e o consumo, então encontramos nesta placa um produto a ter muito em conta quando montamos um sistema deste tipo.

A AMD conseguiu produzir uma placa com um desempenho sólido a um preço bastante acessível. De pensar que à não muitos anos atrás uma HD 4890 custava mais do dobro quando foi lançada e actualmente tem um desempenho semelhante, com a HD 6670 ainda a usar drivers pouco optimizados. Esta é uma placa gráfica perfeita para quem quer montar uma alternativa a uma consola de jogos, um HTPC ou um computador de baixo custo.

Resta-nos agradecer à AMD por este exemplar e esperar que continuem a apostar no Lilireviews.com para divulgar os seus produtos.

0 Comentários a este artigo
  1. ya! esta placa tem um forte potencial. e o preço é extremamente apelativo. mas agora também fiquei curioso em relação à 6770 porque provavelmente chega ao mercado a rondar os 120$ e com um desempenho ainda melhor.

    aqui o valor em dólares engana um bocado porque os 99$ correspondem a um valor bastante abaixo dos 100€ (já vi umas 6670 a menos de 85€) o que significa que os 120$ poderão significar valores perto dos 100€ e nesse caso o mercado fica muito mais interessante. 😉

  2. Obrigado pelo comentário David! De facto a 6770 está muito apelativa mas a 6670 também não está nada má. Temos de ter em conta, sempre, a utilização e o segmento em que se encontra, assim como o preço. Com este ponto de vista podemos dizer que a 6670 é a topo de gama do segmento mais baixo, ao passo que a 6770 (talvez mais a 6750) é a placa mais fraca do segmento médio. Uma vez que o mercado se rege pelos dólares e não pelos euros, a série 6700 situa-se no segmento acima dos 100dólares e isso tem muita importância. 😉

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Outros Artigos